05
Dez
08

Contas à Merceeiro

O Merceeiro do Ministério

O Merceeiro do Ministério

As contas, como tem sido hábito, não batem certo. De acordo com o Ministério da Educação, 61% dos professores participaram no protesto de ontem, parando 30% das escolas. Os sindicatos falam em 94%. Mas a conclusão não muda: a greve de ontem foi mesmo a maior de sempre, geral ou sectorial. Isto porque, se os dados da “plataforma” são recordistas, também não há registo de um governo ter admitido mais de dois terços de adesão a uma greve.
Estas são, no entanto, contas que o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, não terá considerado antes da conferência de imprensa que deu na 5 de Outubro, onde defendeu que apesar da “significativa” mobilização, “os objectivos traçados pelos sindicatos de professores falharam”. De resto, a avaliar pelo discurso ministerial, nada do que se passou ontem justifica ponderar novos recuos.
Confrontado com o facto de, pela terceira vez num ano, mais de 60% dos professores se terem associado a essa “posição” sindical e de a suspensão já ter sido exigida em mais de 300 escolas e agrupamentos, o governante não desarmou: a lei “é para cumprir” e o Governo “não cede a ultimatos”.

É o que dá meterem “Merceeiros” em pastas ministeriais. Acabam sempre a roubar no peso.


0 Responses to “Contas à Merceeiro”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


Indignados Lisboa

Blog Stats

  • 714.328 hits


%d bloggers like this: