16
Dez
08

Esquerdas

Esquerdas

Esquerdas

Manuel Alegre deixou hoje aberta a possibilidade de poder surgir um novo partido que vá a votos nas próximas eleições. Isso resolveria de vez o problema da maioria absoluta, de muita gente que anda sem uma alternativa de voto para as próximas eleições e até o do PCP, que veria travada a fuga dos votos da esquerda do PS para o Bloco, o que lhe garantiria o estatuto do maior partido da esquerda. Que mudaria? Provavelmente nada, mas como pior do que estamos é difícil que venha mais uma esquerda. Pena é que estas esquerdas continuem a impossibilitar uma honesta união e continuem a preferir o “teimosamente sós”.
Vivemos tempos difíceis em que o capitalismo, cada dia que passa, estende mais as suas garras e é urgente que esta seja uma luta comum. Aceitam-se ideias de como o fazer.


7 Responses to “Esquerdas”


  1. 1 Manuel Gouveia
    Dezembro 16, 2008 às 09:13

    Uma ideia de como não o fazer: com iniciativas para as quais só se convida alguns, se excluem outros, e depois se acusam os excluídos de não estar presentes.

    Uma ideia de como o fazer: toda essa esquerda requerer a verificação da constitucionalidade das normas sócretinas do código do trabalho (o cavaco só mandou uma norma para o tribunal constitucional). São precisos 23 deputados.

  2. Dezembro 16, 2008 às 12:43

    Manuel:
    Uma boa ideia essa da verificação da constutucionalidade da lei do trababalho. Aliás podia-se pedir de todas as leis só para atafulhar o tribunal constitucional.
    Quanto aos excluidos isso já é outra história. Pareceu-me que o Jerónimo se excluiu quando no Congresso defendeu um PCP orgulhosamente só e que eu saiba a iniciativa era aberta à participação de todos.

  3. 3 Manuel Gouveia
    Dezembro 16, 2008 às 17:00

    Gostei do argumento – a iniciativa era aberta à participação de todos.

    Vale para o PCP?

    Pode o PCP montar sozinho uma iniciativa, decidir do programa, dos oradores, dos moderadores, e chamar-lhe Encontro dos Canhotos, e depois queixar-se que os outros canhotos são uns sectários?

    Sobre a intervenção do Jerónimo ela responde por si em http://www.pcp.pt.

    Um abraço,

  4. Dezembro 16, 2008 às 22:36

    KAOS
    devo dizer que ainda não consegui entender o manuel alegre,nem o bloco de esquerda…
    Quanto ao pcp revejo-me na maioria das teses defendidas.
    O que eu acho é que isto só lá vai com acções de rua…com tudo que se quer diferente e contra o capitalismo.porque é no capitalismo que existe a incongruençia.
    Quando ouvir o louçã a dizer que temos de acabar com o capitalismo,isto é dizé-lo de forma objectiva,então aí sim penso que estaremos perante uma verdadeira esquerda.
    Quanto ao Manuel Alegre não acredito que vá tão longe.
    Este mundo agoniza…e os grandes capitais espremem até mais não os mais pobres.
    O numero de guerras , o numero de pobres , o numero de iletrados que crescem de dia para dia…
    E agora como já não dá para espremer mais…passam à classe seguinte …a classe média…só que esta ainda tem meios de se fazer ouvir na rua porque quanto a mim é na rua que se faz revolução.
    abraço de duartenovale

  5. 5 wehavekaosinthegarden
    Dezembro 16, 2008 às 22:48

    Manuel Gouveia:
    Quando aquilo que se procura não é o antagonismo é sempre possível participar. Agora quem deseja ser sempre a figura nr.1, aparecer na televisão e tem ideias que não aceita discutir realmente só pode esperar um convite dourado e um trono para se sentar.
    O problema do discurso do Jerónimo foi o de ou estão comigo ou contra mim. Agora cada um pode escolher o seu caminho, não pode é depois queixar-se que ele tem buracos e não se lhe vê um destino

  6. 6 wehavekaosinthegarden
    Dezembro 16, 2008 às 22:54

    Duartenovale:
    Concordo contigo quando falas que é na rua que temos de combater pelos nossos direitos. Foi aliás uma discussão que aqueceu no “Cheira-me e revolução” onde alguns defenderam que só nas eleições se pode chegar ao poder. O próprio Jerónimo afirmou-o no congresso quando disse que só seriam poder quando o povo assim o decidisse pelo voto.
    Também não acredito que o Manuel Alegre seja a solução, assim como o Bloco de Esquerda ou o PCP. Só procurando encontrar os pontos de consenso, tentando encontrar o que une a esquerda e não procurar acentuar as diferenças para procurar ter mais votos que o outro, é possível vencer. O capitalismo está instalado e a cada dia se arma e barrica mais. É urgênte agir, mas isso só é possivel na unidade
    um abraço

  7. Dezembro 17, 2008 às 11:38

    KAOS
    quanto ao jerónimo afirmar,que só quando o povo assim o decidisse pelo voto,é que seremos governo,concordo plenamente.
    A democracia assim o exige…mas como sabemos,os media estão controlados…logo a democracia não existe.
    Não devemos nós então concentrar-nos naquilo que nos une…concentrar-nos na luta por um futuro melhor?
    Deixemos de lado os sectarismos…porque sózinhos não somos nada,juntos temos o mundo na mão.
    Kaos creio que todos podemos ser”frères , camarades ou complices”
    um abraço revolucionário.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


Indignados Lisboa

Blog Stats

  • 716.831 hits


%d bloggers like this: