Arquivo de Abril, 2011



23
Abr
11

Corrida Eleitoral

As últimas sondagens começam a mostrar que, nem o Passos Coelho já era Primeiro-ministro, nem o Sócrates estava morto, havendo mesmo uma em que já está à frente do Coelhinho. É a diferença entre um sacana aldrabão com a escola toda e um sacana aldrabão que nem tem jeito nem capacidades para pelo menos isso fazer bem. No PSD já se agitam as águas e começam a aparecer as garras  e parece que a pergunta que muitos já fazem é de quem será o próximo líder do PSD.

22
Abr
11

Uma maça bichada

Eu sei que a minha mente tem de ter problemas de sanidade, mas se é assim que vejo o discurso da ajuda externa que posso eu fazer. Uns vêm uns senhores engravatados a sair de luzidios carros  a dizerem umas coisas com um ar muito sério e num tom muito convincente de quem anda a salvar o país. Eu vejo isto.
22
Abr
11

O vencedor antecipado

Vão haver eleições e pelo menos dois destes personagens vão fazer parte do próximo governo. Um é certamente o Paulo Portas que se aliará ou ao Passos Coelho ou ao Sócrates para garantir uma maioria. Nem precisa de fazer campanha. Ganhe quem ganhe ele ganha sempre e nós perdemos todos.

21
Abr
11

O mestre de cerimónias da desgraça nacional

Ainda há poucos meses uma minoria dos portugueses se deram ao trabalho de reeleger o Sr. Silva de Boliqueime para a Presidência da Republica. Agora começamos a pagar por isso. Primeiro quando no seu discurso de posse abriu as hostilidades que vieram a levar à quedo do governo passados poucos dias e à chegada do FMI. Agora, põe-se de lado e passa a batata quente para o governo e oposições, como sempre fez no passado em relação a tudo. Deu inicio ao baile, mas recusa-se a participar nele.
21
Abr
11

Só à marretada

Normalmente ouvir o Marinho Pinto é ouvir alguém que não tem papas na língua e que chama os bois pelos nomes. Já quando veio apelar à “greve” ao voto nas próximas eleições parece-me  uma irresponsabilidade e um perigo. Talvez ele não encontre nos partidos um que lhe agrade, (eu também não), mas esta é a última hipótese que temos de tentar travar a desgraça que se anuncia  ir desabar sobre todos nós; a chamada ajuda externa. A abstenção e até o voto em branco acabam por ser a aceitação desta situação. Só o voto em quem é contra esta ajuda, contra a miséria, os cortes na segurança social, nos salários e o aumento do desemprego e da precariedade nos pode dar alguma esperança. Sei que a esquerda que temos se preocupa mais com o seu umbigo que com o país, ou então já se teriam unido e tentado criar uma alternativa de vitória à esquerda, mas mesmo assim são a única saída que nos resta. Ou isso ou corrermos os FMIs, os FEEFes e quem os apoia ao pontapé.
20
Abr
11

O Nobre bebé com idade para ter juizo


Um dos casos mais caricatos da política portuguesa dos últimos anos tem sido a novela da participação cívica do Fernando Nobre nos terrenos da política. Cedo mostrou não ter muito jeito, mas mesmo assim 600 mil portugueses ainda foram enganados na sua conversa. Depois, foi o que se viu, com o faz o que disse que nunca faria, o contradizer agora o que tinha acabado de dizer pouco tempo antes, para acabar a trocar os pés pelas mãos voltando a desdizer o que já tinha dito e desdito. O Passos Coelho bem pode limpar as mãos à parede com a asneira que fez  e quanto mais procura justificar o que o Fernando Nobre disse e desdisse mais se baralha e enterra.

20
Abr
11

Os conspiradores

A vitória antecipada do Passos Coelho nas próximas eleições já começa a ser colocada em dúvida por muita gente, mesmo dentro do próprio PSD . É que este PSD há muito que é um autentico saco de gatos e há sempre quem seja oposição ao líder da altura, quer seja por vingança, maldade ou simplesmente para manter poderes subterrâneos no partido. As recusas em aceitar os lugares de deputados de Manuela Ferreira Leite, Marques Mendes e António Capucho a que se pode juntar a revelação do Pacheco Pereira, no dia em que se soube que não seria mais o cabeça de lista do PSD a Santarém, sobre o SMS enviado aos deputados no dia em que o governo discutia o peque quatro na União Europeia, facilmente se pode concluir que a vida não está fácil para os lados da Lapa. Sem esquecer o Sr. Silva de Boliqueime.
19
Abr
11

A harpa e o tridente

19
Abr
11

Uma Europa tão nossa amiga

Segundo parece o papão FMI entrou em Portugal em missão de charme e mostram-se muito sensibilizados com as nossas dificuldades e até compreensivos quanto à necessidade de não condenar Portugal a uma eterna recessão, propondo um juro de 3,5% num empréstimo a médio prazo. Já os nossos companheiros da União Europeia de que o Durão Barroso é Presidente da sua Comissão, querem ver-nos castigados e a sofrer impondo que o juro seja de 5,5% e pagos a curto prazo. Um castigo não aos governantes, mas sim aos cidadãos deste país condenados à fome e à miséria. Com amigos destes passo eu bem e se defendem a livre concorrência então mais vale Portugal negociar diretamente com o FMI mandando os nossos “parceiros” bugiar. Podíamos até  reunir com os que estão na mesma posição que nós, (Irlanda e Grécia) e com os que irão estar muito brevemente, (Espanha, Bélgica,…) e estudar como conjuntamente poderíamos pressionar esta Europa a mudar.
18
Abr
11

O estratega do PSD

Dizem que este é o braço direito do Paços Coelho e o seu mentor da estratégia que tem vindo a ser seguida pelo PSD. O homem sempre me pareceu um trauliteiro e aquele sorriso não me parece que convença muita gente e, se a isso somarmos a falta de qualidade e de jeito do Passos Coelho não me surpreendia nada que ainda voltássemos a ver o Sócrates a festejar mais uma vitória no próximo dia 5 de Junho. Curiosamente, após algum tempo em que todos já davam como certo o Passos Coelho como futuro Primeiro-ministro, já começa aparecer muita gente a acreditar que isso não vai acontecer. Triste é que estas sejam as únicas soluções que parecem possíveis quando há mais partidos e outras alternativas possíveis. Podemos até não acreditar muito nelas, mas as que têm governado Portugal há mais de 30 anos já mostraram não servir.

18
Abr
11

O Nobre tacho

Afirmações de Fernando Nobre:
“No caso de não ser eleito presidente da Assembleia da República, renuncio imediatamente ao cargo de deputado”.
“Ainda não vi o programa do PSD, mas confio em Pedro Passos Coelho”.
“Não aceito que os que me apoiaram, num processo que se encerrou, se sintam donos do meu destino”
“A página no Facebook não tinha de estar aberta a todos os insultos. Houve vários lóbis que se concentraram em ataques pessoais ao meu carácter”.

Que posso eu pensar disto? Que mesmo em crise, ou talvez por causa dela, não são todos os tachos que lhe servem, que nem sabe bem aquilo que vai defender mas isso não interessa para nada comparado com as suas ambições pessoais, que se está nas tintas para a opinião daqueles a quem andou a pedir apoio na campanha eleitoral e que não gosta de ser criticado.  A mim pessoalmente nunca me convenceu mas conheço gente que não merecia e se sente enganada e triste. Pode fechar todas as páginas que desejar no facebook que já poucos devem acreditar nele e haverá sempre blogs e páginas do facebooks que não deixarão esta vergonha passar em claro.

17
Abr
11

A magia do FMI

17
Abr
11

O padrinho


O país está doente como está e, embora eu nem acredite que  a terapia que esta gente escolheu cure a maleita e muito provavelmente vai mesmo acabar por o matar, é fantástico ver como os esta gente continua a entreter-se com os seus duelos privados e com a ansia do poder. O mais alto magistrado, a primeira figura da Republica, esse continua sem se mexer e a preferir incentivar e esperar para ver quem sai vivo da contenda. Afinal na casa deles nunca faltará o pão mesmo que nunca tenham razão.

16
Abr
11

Portugal e a Comissão Europeia


As vantagens de ter um palhaço português na Comissão Europeia

16
Abr
11

A torta guerra da direita mais à direita

Uns dias falam de coligação, de união, de partilha, noutros apunhalam-se nas costas. Para uma frente unida contra o Sócrates, (e por Portugal segundo eles), nunca via nada de tão desarticulado e mal-parido. Ambos querem votos dos ex-socretinistas, mas ambos sabem que o melhor lugar para aumentarem a votação é nos votos do outro. O PSD com o seu discurso liberal e o CDS sem ter outro lugar onde caçar eleitores que não seja nos descontentes do PSD.



Indignados Lisboa

Blog Stats

  • 721.371 hits


%d bloggers like this: