30
Jan
12

Arménio Carlos. E agora?

Que vai mudar no sindicalismo em Portugal com a saída do Carvalho da Silva e a entrada do Arménio Carlos para líder da Intersindical? Uns dizem que nada, outros que vai haver uma maior colagem ao PCP e outros que a luta se vai radicalizar mais. Honestamente não sei, mas talvez um pouco a soma de todas elas. Mais ou menos ligado ao PCP vai continuar, como ele, a ser bem comportado e a deixar descansado o poder por saber que não será dali que nascerão os famosos tumultos que o Passos Coelho tanto parece temer?
Alguma coisa vai ter de mudar porque algo vai ter de acontecer. É impossível manter esta paz podre entre os que vêm os seus direitos e o seu trabalho a sua vida, serem destruídos e aqueles que no poder continuam a vender o país e a alma aos assassinos mercados especuladores. Está na hora dos sindicatos deixarem a sua posição de defensiva em relação ao ataque aos direitos dos trabalhadores e assumirem a luta, não só pela sua defesa mas para lançarem um verdadeiro conta-ataque ao grande capital e os seus acólitos. Já não se trata de mais ou menos um direito, mas da própria existência como seres humanos. Há muita gente, crianças, idosos a viverem na miséria e a passarem fome. Como agora se diz, está na hora dos Sindicatos deixarem a sua “zona de conforto”.

Anúncios

2 Responses to “Arménio Carlos. E agora?”


  1. 1 Sergio Montez
    Janeiro 31, 2012 às 04:01

    Viva Kaos!! Como o teu escárnio não poupa nada nem ninguém acho que és coerente!! Mas fico preocupado quando te tornas coerente também com a Comunicação Social dominante!!! Não sei se alguma vez fizeste um post aos dois empregos do Carvalho da Silva, ao episódio do apoio ao Vital Moreira e ao António Costa, nem sei se para ti isso são derrotas dos trabalhadores, para mim foram!! As analogias entre a CGTP e o PCP não me chateiam nada, toda a gente sabe que sindicalismo revolucionário em Portugal conta com o PCP. Em Espanha o PCE colou-se ao PSOE e os efeitos estão á vista!! Cá na CGTP temos alguns PS, BE e pseudo radicais de mãos dadas contra o PCP e os trabalhadores…. problema de quem cair na treta deles!! Para esse peditório existe a UGT em Portugal. Uma coisa é certa, o Passos Coelho não só não teme os tumultos como precisa deles para eliminar os restantes direitos, liberdades e garantias!! E os pseudo-anarcas nunca quiseram perceber isso: os comunistas estão dispostos a formas organizadas e orientadas de luta direccionada contra o capital, não a ser dirigidos por forças que acabam por fazer o seu jogo como é o caso dos que á pressa querem aparecer na foto como os radicais de uma vanguarda que nunca existiu. Porque o que nos move não é a ancia de protagonismos mas o passo firme que tenha resultados progressivos de uma nova ofensiva dos trabalhadores que referiste.

  2. 2 Kaos
    Janeiro 31, 2012 às 13:47

    Olá Sérgio
    Fico satisfeito de ver que estamos de acordo em muitos pontos, nomeadamente na forma algo erronea de como a CGTP do Carvalho da Silva tem agido nos últimos tempos. Também a ligação ao PCP não me faz confusão se essa ligação não acabar por fazer que a CGTP sirva mais os interesses do partido que dos trabalhadores que deve representar. É que por mais que se queiora dizer que os interesses coincidem sabes que quem aceita viver de uma forma reformista numa falsa democracia burguesa acaba sempre por ter de aceitar certas cumplicidades com o próprio sistema. E, falar da continuação da luta, negando uma maior radicalização, é o mesmo que aceitar que os seus direitos vão ser destruyidos um a um com o passar do tempo. Isto não é ter uma boal de cristal para ver o futuro mas sim um simples análise do que está a acontecer todos os dias e aconteceu até hoje. Isto de “ser bem comportado” com a desculpa de que o poder deseja o confronto para poder aplicar a ditadura é uma forma resignada de ver a questão que não partilho. As conquistas sempre foram conseguidas com lutas que afrontaram o poder estabelecido pois acreditar que ele vai dar algo de boa vontade é ingenuidade.
    Não é de nenhum dos partidos que por aí temos que espero a mudança, mas da força das pessoas e da sua revolta contra a injustiça, sem medos ou tacticas. Estou certo que nessa altura os dois estaremos do mesmo lado da barricada contra um inimigo que é comum.
    Um abraço
    Kaos


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


Indignados Lisboa
Janeiro 2012
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Blog Stats

  • 707.913 hits

Anúncios

%d bloggers like this: