Arquivo de Janeiro, 2012



24
Jan
12

Um cadáver que há muito estava morto

A verba está consignada em Orçamento do Estado – 4,5 milhões de euros por mês para este ano. Este dinheiro serve para o pagamento de despesas do gabinete de Cavaco Silva, Casas Civil e Militar e também para pagamento de despesas de anteriores Presidentes da República, escreve o jornal.
Cavaco Silva recebe 2900 euros por mês para despesas de representação que são são acrescentados aos cerca de dez mil euros de pensões que o Presidente da República aufere.

Para mim há muito que o Sr. Silva foi um cancro que vitimou este país já desde o tempo em que foi o responsavel pelo inicio desta era de compadrio estado/grupos privados, surgimento de bancos como o BCP, BPI, BPN ou BPP. destruição da nossa agricultura, pescas e industria a troca de verbas europeias que depois foram esbanjadas e cedidas com muita pouca utilidade para Portugal. Foi com ele que começaram as parcerias publico/privadas e da era do betão e do alcatrão. Foi com ele que foram liberalizadas a regulação e a supervisão dando carta branca a todo o tipo de trafulhices protegidas por uma justiça tornada inoperante face ao dinheiro. Quando da sua primeira eleição para Presidente da Republica afirmei neste blog que não lhe reconhecia a capacidade nem a moralidade para isso. É que, contrariamente ao que ele afirmou, não acredito que ainda esteja para nascer gente mais honesta que ele.
Agora, finalmente caiu a máscara e para além da sua incapacidade óbvia para o cargo também surge a sua hipocrisia e falta de respeito por todos os que passam dificuldades. Se depois de tudo isto ainda houver quem o defenda e acredite nele, então merecem todo o mal que nos está a acontecer. O Sr. Silva deve ser considerado um cadáver politico porque é o que ele merece.

23
Jan
12

Só falta chamarem-nos de parvos

23
Jan
12

O mendigo de Belém

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho comentou as polémicas declarações de Cavaco Silva sobre a sua reforma. «Todas as pessoas, independentemente da posição que ocupam, fazem hoje sacrifícios importantes sejam aqueles que tem reformas maiores ou aqueles que têm reformas mais pequenas».

Realmente o sacrifício que o Sr. Silva está a fazer é igual ao de um reformado que receba uma pensão mínima. Tem razão, Sr. Primeiro-ministro, são para (quase) todos.

22
Jan
12

A Saúde ao preço da morte

Portugal e os seus cidadãos vivem neste momento um dos mais fortes ataques do capitalismo liberal globalizado, com a especulação, a corrupção e o compadrio a serem utilizados contra os direitos e a dignidade de vida de todos nós. É claro que com maior ou menor qualidade de vida todos nós sobrevivemos à redução de salários, ao aumento de preços e destruição da coisa pública. Menos transportes públicos, aguentamos, menos direitos no trabalho, sobrevivemos, mas a destruição do Serviço Nacional de saúde é um crime contra a vida daqueles que não podem pagar as fortunas exigidas nos privados. Claro que os nossos políticos não padecem desse mal já que não lhes falta meios para pagarem os seus serviços e os grandes grupos económicos se babam pelo fim de tudo o que seja saúde pública. Para esta gente a linguagem do dinheiro vale mais que a da vida das populações. É por isso que esta iniciativa da Plataforma Cidadã de Resistência à Destruição do SNSé importante e merece o nosso apoio.  Defender a saúde pública, mais que uma opção é uma obrigação de todos nós em nome da justiça e da vida.
22
Jan
12

Há lojas a quem a crise não bate à porta

Estive mesmo para pôr um daqueles balõezinhos de fala da banda desenhada, só que fiquei com a dúvida do que deveria lá escrever, se “Tem cartão laranja de desconto?” ou talvez, “Embrulho ou é para ocupar já?”.

21
Jan
12

Quem pode sobreviver com uma pensão de 10 mil euros?

O Presidente afirmou ganhar 1.300 euros da CGA, para a qual descontou durante 40 anos sobre o seu vencimento de professor universitário e investigador da Fundação Calouste Gulbenkian. Do Banco de Portugal, para onde descontou 30 anos, Cavaco Silva disse não saber quanto receberá (8.235 euros). Mas adiantou que a soma dos dois valores não chegará para as suas despesas (em 2011 foram 141 mil euros em pensões).

Se fosse gozar com a Senhora que o pariu fazia muito melhor. Esta gente já não tem vergonha na cara e sobretudo este exemplar de múmia que vive num palácio com um orçamento que quase duplica o da Casa Real Espanhola (16 milhões) e que tem uma casa na Praia da Coelha comprada com dinheiros que os seus amigos do BPN lhe deram a ganhar. O que ele merecia era viver com o rendimento mínimo para ver o que sofrem aqueles que ele ajuda a empobrecer todos os dias. Correr com esta escumalha não só é necessário como é essencial.

21
Jan
12

Capa para um livro que merecia ser escrito

20
Jan
12

Acordo Laboral

A UGT assinou o Acordo Laboral que negociou com o governo e os patrões, esquecendo todos os que devia representar. Sempre foi uma Central Sindical que serviu bem os governos, que foi assinando todos os acordos para que eles pudessem assinar acordos e fazer o foguetório, como acabou por fazer de novo. Só que desta vez a coisa é mais grave porque legaliza o despedimento sem justa causa, bastando para isso a vontade do patrão, coloca os horários da nossa vida nas suas mãos e transforma a UGT em lixo laboral. A ar acanhado com que o João Proença surge aos microfones tentando justificar-se com as exigências da Troika (enquanto o Passos Coelho se gabava de a ter suplantado) e reagindo com ar zangado e carrancudo a qualquer pergunta dos jornalistas, mostram-no bem. Não é para isto que serve uma Central Sindical nem é por masoquismo que os trabalhadores pagam a sua quota sindical. Correr com esta gente é necessário pois são uma vergonha para o sindicalismo.

20
Jan
12

A saúde está de partida

Uma associação francesa está em Portugal para recrutar todo o tipo de profissionais das áreas médica e paramédica. O objectivo é preencher vagas em instituições públicas e privadas francesas. Mais de 700 médicos e enfermeiros portugueses já se mostraram interessados em trabalhar em França onde estes profissionais poderão ganhar €3.900 mensais em França. (Um jovem diplomado, em Portugal, pode ganhar €2.000 brutos).
Segundo a Lusa, estão a decorrer, também em Lisboa, outros recrutamentos para profissionais de saúde, neste caso para o Norte da Europa.

Depois de a Jerónimo Martins ter aceite o desafio do Passos Coelho e ter feito emigrar a sua sede fiscal para a Holanda, é agora a vez dos médicos fazerem as malas e partirem. Se a isto juntarmos a quantidade de médicos que têm pedido a reforma antecipada para escapar às medidas de austeridade do governo sobre os pensionistas, quem ouviu o Paulo Macedo afirmar na véspera que espera cumprir com a promessa eleitoral de, no fim da legislatura, todos os portugueses terem um médico de família, tem de ficar desconfiado das palavras do Ministro.
Custa entender esta política de exportar os nossos jovens mais qualificados e em que Portugal investiu milhões de euros. É que mesmo estando Portugal condenado a transformar-se no INATEL da Europa, ainda há serviços qualificados que quem vier a banhos vai exigir. Não vai bastar termos sopeiras e homens do lixo e por este andar nem esses vão ficar por cá.


19
Jan
12

Passos de Coelho no Jardim do Alberto João

Quem no final vai acabar por se lixar? Os mesmos de sempre, os Madeirenses e os “Contenentais”. São sempre os povos que pagam a incompetência e a hipocrisia dos governantes que com ou sem crise acabam sempre mais gordos e mais ricos. Como muitos deles já têm dito, as crises são fornecem boas oportunidades.

19
Jan
12

Estes até vendiam a mãe

A participação de capitais angolanos em empresas portuguesas de comunicação social é normal e decorre de Portugal ter uma economia aberta, disse hoje em Luanda Miguel Relvas, ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares português.

Venderam a EDP ao democrata  Partido Comunista Chinês e agora vão pojar-se aos pé do honesto e democrata José Eduardo dos Santos para lhes venderem o Canal um da nossa televisão pública. Valores como a liberdade, justiça, direitos humanos, corrupção são palavras proscritas nos negócios do governo mais liberal e capitalista que existiu em Portugal.
Como bem diz o Ministro somos uma economia aberta o que quer dizer que tudo está à venda, das nossas empresas à própria soberania do país . Mas não é só por cá, muitos outros países europeus estão a ser atirados para a bancarrota para poderem ser comprados pelos “mercados” em época de saldos. O que se está a passar é um assalto, um roubo consentido pelos nossos impotentes e incompetentes governantes. Se ainda somos um país, se ainda temos uma história, uma cultura e uma identidade tudo isso não pode ser assim desbaratado e destruído por hipócritas vendilhões do templo. Há coisas que não se vendem nem têm preço.

18
Jan
12

Palhaçada sindical

Assisti práticamente em directo à saída da reunião dos membros da Concertação Social. Todos foram ao microfone dizer de sua justiça e, ao ouvir o que cada um dizia, só me dava vontade de lhe fazer logo ali um boneco. Aos “patrões” o mais dificil era esconderem o sorriso de satisfação e a pressa de irem abrir o champanhe para festejar. O Ministro, como cada vez que fala só diz disparates, repetiu o discurso que lhe mandaram decorar tendo eu muitas dúvidas que tenha percebido o que andou ali a fazer. Mas quem ganhou o prémio do boneco foi o João Proença, envergonhado, a querer justificar tudo com o acordo com a Troika e a querer tirar dali uma vitória com o não aumento do horário de trabalho em meia-hora. Os patrões trocaram um chouriço por um porco e a UGT e o seu Proença uma vez mais trairam os trabalhadores que deviam representar, deixando-os sem o chouriço nem o porco. A figura de palhaço atrapalhado que fez em frente aquele microfone devia ser mais que suficiente para os trabalhadores da UGT lhe barrassem a entrada da porta em sindicatos para sempre. Se quer fazer o jogo do capital e dos patrões então que jogue limpo e se vá juntar a eles e não ande a vender os direitos de quem trabalha em troca sabe-se lá de quê. Ou será que ainda um dia destes vai ter direito a uma medalhinha em Belém e um cadeirão numa qualquer empresa portuguesa de capitais chineses com sede fiscal na Holanda?

18
Jan
12

Economia. Se são pararelas nunca se vão encontrar

Em 2009, quando o índice foi apresentado pela primeira vez, a economia paralela representava 24,2% do Produto Interno Bruto (PIB) português. Um ano depois, em 2010, a economia não registada, como prefere chamar-lhe o seu autor, cresceu 2,5%, o que faz subir o peso para 24,8%. Em Valor a economia paralela representou 42,7 mil milhões de euros. Em 2011, a barreira dos 25% do PIB vai seguramente ser ultrapassada, dado que os factores que a fizeram crescer em 2010 se agravaram no ano passado. Entre esses factores está o aumento de impostos e da taxa de desemprego.

O problema é reconhecido, as razões conhecidas e as soluções são atiradas para a fiscalização e punição que, como já se viu não surte efeito. Se é reconhecido que as causas são o aumento dos impostos e ainda os aumentam mais e o desemprego que é facilitado, estão a combater o fogo com gasolina. Dizem-nos que se todos pagassem o que é devido, todos pagaríamos menos, mas o que não vemos é que o dinheiro recolhido seja aplicado em nosso beneficio, mas sim daqueles que mais têm e que mais fogem ao seu pagamento. Será a Senhora da Mercearia que não passa factura de um quilo de batatas é mais culpada que o Mega Merceeiro que transfere a sede fiscal para a Holanda. Quem utiliza as offshores? São os que ganham mil euros ou os que têm milhões?
Não vou exigir factura na tasca nem apontar o dedo nas lojas locais, algumas mais velhas que eu e com quem cresci. Muitos dos que lá trabalham jogaram à bola e brincaram comigo. Mas, sendo no meu bairro, ou no Porto ou em Faro não são esses os que lixam a vida da grande maioria de nós. Esses são os que tentam resistir, muitas vezes por não terem alternativas, aos grande tubarões da distribuição, que não se cubem de utilizar todos os truques, até a vender abaixo de preço a que compraram para os destruir. Até a utilização de produtos que produzimos ou fabricamos, o simples comer as couves do nosso quintal é economia paralela. Devíamos pagar os 23% do IVA.
E assim alegremente lá vamos nós de crise em crise, de buraco em buraco, de sacrifício em sacrifício enquanto os direitos são destruídos simplesmente porque os Mercados assim o exigem.

17
Jan
12

Fim da carreira

17
Jan
12

Ser ou não ser hipócrita por um pentelho

“50% do que eu ganho vai para impostos. Quanto mais ganhar maior é a receita do Estado com o pagamento dos meus impostos, e isso tem um efeito redistributivo para as políticas sociais.”
Eduardo Catroga sobre os mais de 45 mil euros que vai ganhar como Presidente do Conselho Consultivo da EDP para juntar à sua humilde pensão de 9 mil.
Se haver altos salários é bom para o Estado, porque se empenha ele tanto em promover a redução dos salários em Portugal? Será que desejam conscientemente o mal para o país? Será que são só burros ou incompetentes? Ou as duas coisas. Ou será que somos todos filhos, uns da mãe e outros filhos da puta?
Quanto ao “pentelho” da questão é que o Catroga é um mãos largas e sacrificasse a que lhe paguem ainda mais para ele poder ajudar ainda mais o país e os seus pobrezinhos, redistribuindo ainda mais. E, ainda há quem lhe chame hipócrita .



Indignados Lisboa
Janeiro 2012
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Blog Stats

  • 720.497 hits


<span>%d</span> bloggers like this: