08
Maio
12

O lucro do prejuizo


Pingo Doce começou a cobrar custo da promoção de 50% a fornecedores.
Fornecedores que não aceitem “pagar” o custo da campanha temem que os seus produtos sejam retirados dos supermercados do grupo JM.
Os fornecedores dos supermercados Pingo Doce, detidos pelo grupo Jerónimo Martins, estão a ver os seus piores receios confirmarem-se: os custos da polémica campanha de 50% de desconto em compras a partir de 100 euros, realizada no 1º de Maio, será repercutida nas facturas que os produtores vão receber nas próximas semanas. “A promoção, decidida de forma unilateral pelo Pingo Doce, será paga pelos fornecedores”.

Tanto já foi dito sobre o Pingo Doce e do seu dono o Alexandre Soares dos Santos que acreditamos que pouco mais há para dizer, mas eles conseguem sempre surpreender. Agora foi a noticia de que a cadeia de supermercados que possui na Polónia foi condenada por abuso sobre os trabalhadores locais, obrigando-os a trabalhar mais horas que as contratualizadas, muitas vezes sem pagar e proibindo mesmo que perdessem tempo a ir à casa de banho. Como se não bastasse ter transferido a sua sede fiscal para a Holanda para fugir aos impostos, depois da vergonhosa promoção feita no 1º de Maio ficámos a saber que chantageiam os seus fornecedores para que o prejuízo do lucro seja passado para eles compulsivamente.
O Pingo Doce é o único supermercado que serve a zona onde vivo, mas há já vários meses que prefiro aceitar a dificuldade de me deslocar para não lá gastar um cêntimo que seja. Se outros fizessem o mesmo e os fornecedores deixassem de lhe vender os seus produtos talvez esta gente percebesse que isto do “vale tudo” tem de acabar. Estou farto deste capitalismo que só pensa em engordar esquecendo que sem consumidores acabaria por falir. Muitos ainda não se deram conta disso, mas quem tem a faca e o queijo nas mãos somos nós, bastando para isso que nos unamos naquilo que queremos.

 

Anúncios

2 Responses to “O lucro do prejuizo”


  1. 1 amribas
    Maio 8, 2012 às 18:40

    Uma das poucas coisas que funcionam bem em Portugal é a concorrência nos supermercados.
    Mas há sempre uns quantos que querem ser os donos do povo e falam em nome do povo sem que tenham o seu voto nem autoridade para tal.
    Alguns países que não tem concorrência convidam empresas estrangeiras para fazer concorrência no comercio. Por exemplo, a Austrália pediu aos alemães da Aldi e Lidl que fossem lá acabar com monopólios na distribuição que vendiam tudo com margens altíssimas.
    Neste sector, Portugal tem uma boa concorrência e parece que o governo, a esquerda e algum jornalismo elitista não gosta. Quem vai sair prejudicado? Os mais desfavorecidos claro!
    Em Portugal ainda temos esse luxo da lei da oferta e da procura que devemos acarinhar e não destruir, acompanhar e não ignorar (como fazemos com os combustíveis). Com campanhas promocionais mais frequentes, o povo habitua-se e a histeria acaba. O Continente faz promoções de 50%+25% e ninguém pia! Será que a Sonae tem previlégios neste país?

  2. 2 Luís Garcia
    Maio 22, 2012 às 12:12

    Reblogged this on Pensamentos Nómadas.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Indignados Lisboa
Maio 2012
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Blog Stats

  • 693,240 hits


%d bloggers like this: