26
Jun
12

Ai a inevitabilidade

O PCP apresentou a sia moção de censura e confesso que há muito que já não tenho paciência, nem para ouvir os argumentos de uns nem as respostas dos outros. Só no caminho de casa ouvi na rádio alguns dos argumentos e se de um lado era a critica ao estado a que chegámos  do outro era a inevitabilidade das medidas perante o estado em que estamos.Não ouvi no entanto aquilo que me parece mais importante.
Primeiro que não existem inevitabilidades e que há sempre outro caminho, que terá outras dificuldades, outros problemas mas que existe. Depois que se estamos nesta crise isso se deve ao caminho escolhido antes que nos trouxe aqui e querer resolver o problema continuando pelo mesmo caminho, o da globalização capitalista neo-liberal, só nos pode levar a mais crise, mais dificuldades, fome e miséria. E é a inevitabilidade de seguirmos por este caminho que nos querem impingir, assim como o fizeram com a chantagem que fizeram com os Gregos e que continuam a fazer com todos os povos da Europa, apregoando austeridade para uns para financiar o mesmo sistema financeiro que foi o principal responsavel pela dita cuja crise.
Seja as soluções deste governo em cumprir o memorando e até ultrapassá-lo quer seja a solução do PCP de renegociar a dívida, ambos acabam por incorrer no mesmo erro, o de deixar o sistema continuar a funcionar baseado nos mesmos princípios capitalistas. O mal está no sistema e não só na forma de como ele é gerido. Só um sistema que coloque como centro as pessoas e não o capital e os mercados, só um sistema baseado na justiça ao serviço dos homens e não em leis criadas pelo próprio capital para dele se servir pode permitir uma mudança que realmente crie a mudança e transforme os homens, não em meros executantes dos desígnios de alguns, mas em seres completos capazes de criar e partilhar. Teremos nós coragem e determinação para o exigir ou vamos continuar a aceitar a inevitabilidade que nos impõem?

Anúncios

2 Responses to “Ai a inevitabilidade”


  1. 1 Alexandre Barbosa
    Junho 26, 2012 às 17:38

    A Inevitabilidade
    Ler no Kaos «Seja as soluções deste governo em cumprir o memorando e até ultrapassá-lo quer seja a solução do PCP de renegociar a dívida, ambos acabam por incorrer no mesmo erro, o de deixar o sistema continuar a funcionar baseado nos mesmos princípios capitalistas. », ou seja, meter PCP, BE, Verdes, etc, todos no mesmo saco com PSD/CDS e PS, é mesmo inevitável para os seus autores.
    Fazer do PCP gestor do capitalismo em Portugal, ou por exemplo, o mesmo do KKE na Grécia, é, no mínimo complexo de antagonismo. O Kaos está no seu perfeito direito de fazer ele a sua revolução em Portugal.
    Continuo a apreciar o Kaos.

  2. 2 Kaos
    Junho 26, 2012 às 23:35

    Não coloco o PCP no mesmo saco do PSD, o que digo é que ambos funcionam dentro do sistema e para mim é complicado entender como combater uma coisa fazendo parte dela. Reconheço as diferenças mas tenho de questionar a forma de o fazer.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: