Arquivo de 23 de Agosto, 2012

23
Ago
12

O bueiro de Portugal

16 casais por dia ficaram desempregados em Julho. De acordo com os dados recolhidos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional , em Julho deste ano, face ao mês homólogo, há mais 4.388 casais (um aumento de 99,3 por cento).

A dívida das administrações públicas aos bancos portugueses subiu em mais de 10 mil milhões de euros no primeiro semestre, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal no Boletim Estatístico.

O Governo já admite arrecadar quase menos três mil milhões de euros em impostos face ao que está previsto no Orçamento Rectificativo, um valor que representa menos 8,5% de receita do que aquele que estava previsto.

Escolhi só três notícias de uma lista quase infindável que provam o falhanço destas políticas e a destruição da economia e da vida dos portugueses. Como este governo não se mostra com o mínimo de vontade de mudar essas políticas cabe-nos a nós exigi-lo e promover essa mudança. Cada dia que passa é um dia perdido e maiores dificuldades para o futuro.

Anúncios
23
Ago
12

Ensino Crato-profissional

«Os nossos planos são chegar a 50 por cento ainda este ano, do ensino secundário. Pretendemos que os jovens escolham as suas carreiras e acreditamos que chegar aos 50 por cento na parte da escolaridade obrigatória no ensino profissional é um objectivo que faz sentido para o país», disse Nuno Crato, ministro da Educação, à saída da reunião que os membros do Governo realizaram esta terça-feira com os parceiros sociais.

Nada tenho contra quem seja electricista, canalizador ou cozinheiro, antes pelo contrário respeito-os muito mais que qualquer licenciado com o curso feito com mais equivalências que exames ou que de um ministro incompetente, mas há aqui duas questões que convêm esclarecer. A primeira é como pensa o governo, num toque de mágica, atingir esse número num ano. Vai iniciar campanhas de lavagem cerebral aos alunos do secundário para que essa seja a sua opção? Vai fazer avaliações tão exigentes que metade se vê sem outra possibilidade que optar por essa via?
Já a segunda questão é a de saber qual a aposta de desenvolvimento que se deseja para o país. Até agora todos falavam e foi feita uma clara aposta na qualificação dos nossos jovens, nas novas tecnologias e na inovação. O que parecem desejar agora é criar mão de obra menos qualificada para abastecer um mercado de trabalho de baixos salários. Olhando para as politicas de empobrecimento dos portugueses essa parece ter sido claramente a via escolhida. resta saber se esse é também a escolha dos portugueses.




Indignados Lisboa

Blog Stats

  • 712.614 hits

Anúncios

%d bloggers like this: