02
Set
12

Um casamento por conveniência

O clima de tensão entre CDS e PSD adensa-se na coligação governamental e Paulo Portas já fez saber a Passos Coelho que o seu partido e ele mesmo não concordam com a solução de concessão da RTP e não aceitarão que haja qualquer aumento da carga tributária sobre os cidadãos no Orçamento do Estado para 2013.

Há dois tipos de pessoas, uns que eu admiro, os inteligentes e uns a quem não acho graça nenhuma, os espertos. O Paulo Portas faz parte deste último grupo com o seu populismo e os seus truques que acabam sempre por ser os mesmos. O CDS que sempre tanto criticou aquilo que agora está  a fazer no governo, mais cedo ou mais tarde terá de criar uma crise para atirar o odioso destas politicas para cima do PSD e tentar sair de tudo isto como aquele que até aceitou ir contra as suas convicções por necessidade imperiosa do país mas que chegou ao ponto de não poder mais apoiar os “desvarios” do Passos Coelho. Não se esperava é que isso começasse já a acontecer tão cedo, mas com as contas públicas a derrapar e o governo cada vez mais isolado o Paulinho das feiras pode ter considerado que o melhor era pedir já o divorcio. Ou, pelo menos começarem a dormir em camas separadas.


0 Responses to “Um casamento por conveniência”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: