Arquivo de 5 de Setembro, 2012

05
Set
12

Candia, quer dizer santa ou é uma doença?

“Digo olhos nos olhos: O nosso país não é corrupto, os nossos políticos não são corruptos, os nossos dirigentes não são corruptos”, disse este sábado à noite a procuradora-geral adjunta, na Universidade de Verão do PSD, em Castelo de Vide.

“Em resposta à solicitação, o DCIAP informa que o chamado ‘processo dos submarinos’ tem a sua investigação aberta contra desconhecidos, não tendo sido recolhidos indícios da prática de ilícito de natureza criminal por parte de V. Exa (Paulo Portas)”, escreveu Cândida Almeida, directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal  no documento enviado hoje ao ministro dos Negócios Estrangeiros que cumpre uma deslocação ao Brasil.

“Não vou responder a isso, parece que me estou a oferecer”, disse Cândida Almeida quando questionada pelos jornalistas sobre a sua disponibilidade para a função. A directora do Departamento de Investigação e Acção Penal.

Em dois ou três dias esta senhora mostrou o quanto se pode rebaixar alguém para conseguir ser nomeada para um cargo, neste caso de Procuradora Geral da Republica  que ficará vago em Outubro.  Dizer o que anda a dizer no país em que as conclusões do relatório anual da Organização Transparência Internacional sobre os níveis de corrupção coloca o Estado português no 32º lugar à escala global, (4º à escala Europeia se não me falta a memória), é querer dizer que se ocupar o cargo não haverá uma grande vontade de a investigar. Só se pode compreender o que esta senhora diz se pensarmos no número de casos de corrupção em que os corruptos são condenados, mas isso só mostra que a nossa investigação e a nossa justiça ou são complacentes ou incompetentes. Demita-se que mal já nós estamos com os fracos desempenhos da nossa justiça e não necessitamos de mais um lambe botas como procurador.

05
Set
12

Há quem se veja Grego

Os representantes da troika que fiscalizam o cumprimento do programa de assistência financeira na Grécia sugeriram ao Governo helénico que aumente a semana de trabalho de cinco para seis dias. Esta é uma das medidas propostas com vista a uma flexibilização das reformas laborais. Outras propostas incluem que os patrões possam pagar metade das indemnizações por despedimento aos trabalhadores, além da redução do descanso mínimo entre turnos de trabalho para 11 horas.

Sei que muitos dizem que Portugal não é a Grécia mas posso apostar que não passará um ano sem que estas mesmas propostas estejam a ser discutidas em Portugal se nada fizermos para o travar. Podem dizer que por cá somos bons alunos e que temos cumprido o memorando, mas os resultados já começam a falhar e a troika já começa a dizer que o memorando não é da troika, mas sim do governo português”. Mais cedo ou mais tarde vão impor “ajustamentos” e medidas como estas são do gosto do actual poder capitalista que governa a Europa. Ou os travamos agora ou então poderá ser já tarde demais.




Indignados Lisboa

Blog Stats

  • 714.212 hits


%d bloggers like this: