Archive for the 'Fundamentalismo' Category

08
Set
13

A cornucópia do poder

passos coelho angela merkel mario draghi vitor constancioa cornucopia

O Paulo Portas gosta muito de falar de um país intervencionado e da perda de soberania para justificar as filha-de-putisse, a destruição e a pobreza que espalham pelo país. Tretas, porque nenhum cidadão decente nunca aceitaria conduzir o seu país à miséria. O que se passa é que o aceitam em nome de manterem e aprofundarem um sistema neo-liberal e capitalista que defendem. Portugal pode ter tido e ter a necessidade de pedir ajuda mas isso nunca pode determinar a sua perda de soberania e devem ser sempre os cidadãos  a primeira prioridade de qualquer governante, Não podem governar para os mercados à custa da miséria de um povo. Ai, mas precisamos do dinheiro, dizem como se tal coisa fosse inevitável. O dinheiro é uma ferramenta para ser utilizada e não um fim em si. Não se podem condenar as pessoas a serem escravos em nome de salvaguardar o dinheiro de alguns. Se não há dinheiro utilizam-se outras formas de relação entre as pessoas. E, mesmo sem ser necessário ir tão longe acredito que há no mundo povos dispostos a ajudar e sobretudo a unirem-se em busca de resolver os nossos e os seus problemas em conjunto. Vivemos tempo de mentira em que tentam mostrar o egoísmo e a lei do mais forte como a regra a seguir, mas há outras formas de fazer e de relacionamento possíveis. Temos é de ser capaz de retirar das nossas cabeças as mentiras que usam para limitar as alternativas e impedir novas soluções. Limpar as cabeças e pensar em alternativas em que sejam as pessoas o centro e a razão das politicas. Só isso acabaria com as inevitabilidades, mudaria tudo e tudo seria possível.

01
Jul
13

O que é isso de centro esquerda?

antonio jose seguro cabeca balao

 Ainda me lembro quando um partido que se dizia do centro era considerado um partido de extrema-direita. E era. O PCP era um partido revolucionário, o PS um partido de esquerda e o PSD, dizia-se social democrata mas agrupava a direita da altura. Hoje, o O PSD e até o CDS dessa altura estaria muito à esquerda do actual PS nas ideias que defendia. Claro que o PS do Mário Soares meteu o socialismo na gaveta mas não foi isso que fez dele um partido do bloco central. E, na realidade, a ideia de esquerda ou direita quase perderam o sentido pois os princípios que as separavam há muito que se esbateram e o revolucionário transformou-se muito mais em evolucionário, o que mesmo assim é bem mais radical que o o evolucionário que se transfigurou em  retrocesso civilizacional com cortes nos direitos e na prática democrática. O capitalismo venceu essa guerra e desembestou pelas sociedades e pelos países marrando à esquerda e à direita trazendo-nos a esta situação. Quando o homem passa a ser uma ferramenta descartavel daquilo que se transformou no objectivo primordial, o dinheiro, algo está de pernas para o ar. Quando o homem criou o dinheiro, a sua função era de ele ser uma ferramenta para servir o homem e não o contrário. O dinheiro serve para comprar bens e serviços e não para comprar homens. Só a reposição dessa ordem natural em que a politica, a economia, o dinheiro forem colocados ao serviço do homem algo poderá realmente mudar e a dignidade como seres humano nos será restituída. Esta deve ser a nossa luta e o nosso objectivo.

10
Maio
13

Realidade, o azeite da política, vem sempre ao de cima

vitor gaspar afundar final

De acordo com os dados publicados nesta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego passou de 16,9% no final de 2012 para 17,7% no primeiro trimestre deste ano, um novo máximo histórico em Portugal.  Só com origem no sector da agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca aumentou 53,1% nos primeiros três meses do ano, face ao trimestre anterior.
Pelo segundo mês consecutivo, a saída de bens nacionais para o estrangeiro está em queda. Em Março, e quando comparado com o mesmo mês do ano passado, as exportações nacionais caíram 2,8%, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística. Já em Fevereiro as exportações caíram 2,6% em relação ao mesmo período de 2012.

E podíamos continuar por ai fora que de número em número nada parece melhorar, da recessão ao valor da divida externa. O que é mau sobe, o que é bom desce. Este é o resultado das politicas deste governo e da Troika, mas nada muda a não ser os sacrifícios que nos impõem que todos os dias aumentam.
O Gaspar é doido e obcecado, o Coelho é parvo e teimoso e o Cavaco anormal e cobarde. Uma combinação de gentinha reles e canalha que só podia dar mau resultado como se vê. Eles afundam o país e tal como no Titanic, a primeira classe embarca nos salva vidas e os outros vão ao fundo.

04
Maio
13

Mentes criminosas

passos coelho vitor gaspar paulo portas assuncao cristas paula teixeira da cruz pedro mota pereira alvaro santos pereira criminal minds

 

Ontem à noite mais um episódio desta série, que contrariamente ao que usual não procura aumentar as audiências, mas antes pelo contrário deseja destruir os próprios espectadores indefesos a olhar para tanta perversidade, tanto rancor contra os seus direitos, tanta mentira e tanto ódio. São efectivamente mentes criminosas e neste caso não basta desligar o televisor para se ficar a salvo, neste caso é necessário entrar no próprio filme e ir lá correr com eles a qualquer custo. Isto já não é política é crime.

19
Mar
13

Um verdadeiro comediante

vitor gaspar AR stand up comedy

 Afinal o Vitor Gaspar não é um mau Ministro das Finanças porque o homem não é um Ministro das Finanças mas sim um actor de Stand-up Comedy. Foi um erro de casting deste governo e ninguém notou. Nem mesmo quando ele falava com aquela voz arrastada e dizia barbaridades todos se deixaram enganar. Se hoje na Assembleia da Republica ninguém morreu com um ataque de riso com aquilo que ele disse é porque aquilo é tudo gente muito sisuda e séria.

15h15 “Tivemos sete avaliações positivas”, disse o ministro das Finanças. 15h21 Vítor Gaspar fala sobre a consolidação orçamental. “Julgo que vale a pena destacar que 4,9% do PIB é o défice como apurado de acordo com a metodologia acordada com a troika”
15h31 – Vítor Gaspar diz que Portugal pode beneficiar do apoio dos parceiros europeus.
15h34 – Só será possível obter empregos em Portugal com bons salários se houver recapitalização da economia
15h44 – O envelope de financiamento para Chipre reflecte o consenso económico entre o Eurogrupo e o governo do país.
15h46 – “Na ausência desta medida, os cipriotas estariam a enfrentar consequências ainda piores.”
15h49 – “O pacote de medidas é naturalmente da iniciativa e da responsabilidade de cada país”, disse Gaspar.
15h50 – Vítor Gaspar diz que não houve radicalismo na execução do programa.
15h52 – A recuperação de crescimento será o motor da recuperação económica.
15H54 – “O grupo tem sabido usar o papel de bom aluno para bater o pé à troika”, disse o deputado do PSD
16h07 – O ministro das Finanças sublinha que o desemprego não é uma preocupação macroeconómica, mas humana e social, constituindo o problema mais dramático. Segundo o governante, a melhor forma para combater o desemprego é procurar primeiro as bases para recuperação económica com vist ao crescimento sustentado e criador de emprego.
16h19 – “Portugal está empenhado no aprofundamento da união bancária a nível europeu e na harmonização da garantia dos depósitos a nível da União Europeia, que conjuntamente com outros elementos da união bancária são vitais para a confiança no sistema bancário europeu”, declara o governante.
16h25 – O regresso aos mercados, explica Vítor Gaspar, serve para poder distribuir a consolidação orçamental num período mais alargado, sendo que o programa não terá mais tempo.
16h40 – O ministro das Finanças afirma que, de acordo com os cálculos, a dívida pública portuguesa é sustentável, estando abaixo dos níveis que se verificam na Itália, por exemplo, e muito perto dos níveis da Irlanda.
16h55 – “A tomada de uma medida deste tipo [a taxa sobre depósitos] está completamente fora de causa”, reitera o ministro das Finanças.
16h57 – Vítor Gaspar explica que os números que foram apresentados hoje aos deputados e os números que decorrem do sétimo exame regular ao programa de ajustamento são consensualizados entre o Ministério das Finanças, o BCE, CE e FMI. Relativamente à questão do Orçamento Rectificativo, o ministro das Finanças explica que o mesmo só se justifica quando é necessário rever ou aumentar limites orçamentais, frisando que neste momento o tesouro português tem uma posição muito confortável, pelo que não há qualquer calendário para um Orçamento Rectificativo.
17h34 – Vítor Gaspar garante que a decisão em relação aos depósitos no Chipre não foi apoiada inicialmente pelo Eurogrupo, nem consequentemente apoiada pelo primeiro-ministro e pelo próprio ministro das Finanças. A iniciativa partiu do governo cipriota, sendo posteriormente apoiada pelo Eurogrupo.
“Considerações de estabilidade sistémica e de confiança aconselhavam que não fosse tocado qualquer depósito abaixo do limiar garantido”, afirmou.
17h38 – “A procura interna já está alinhada com a oferta interna e consequentemente a urgência do financiamento não se coloca da mesma maneira, sendo que a procura interna deverá primeiro contrair a um nível mais lento e depois recuperar gradualmente ao longo do tempo”, afirma o ministro das Finanças, sublinhando ainda que o sector exportador está a recuperar e as taxas de juro estão também a ajustar.
Vítor Gaspar diz também que há perspectivas de recuperação do investimento privado nacional e do investimento direito estrangeiro.

17
Jan
13

Palhaço ou parvo?

passos coelho palhaco e estadista

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, considerou hoje que o debate sobre a reforma do Estado começou bem, elogiando a conferência organizada pela advogada Sofia Galvão, mas pediu a mobilização de todos os cidadãos para futuras iniciativas.
De realçar que os jornalistas não foram autorizados a fazer registos de imagem nem de som e foi comunicado que o seu conteúdo poderia ser reproduzido, mas sem citações que não fossem autorizadas pelos intervenientes. No entanto, uma colaboradora da organização disse aos jornalistas que lhes poderia ser posteriormente enviado um “clip” com alguns excertos dos painéis de debate produzido pelo Portal do Governo, que filmou a conferência.

Começou realmente bem o debate sob a reforma do Estado com os cidadãos a não poderem saber o que foi dito e quem o disse. Mobilizem-se os cidadãos para futuras iniciativas que nesta é tudo em segredo. Em segredo não, que há depois o clip filmado e recortado pelo Governo para propaganda nas televisões. Primeiro encomendam um relatório ao FMI que já se sabe não ter passado de um repositório das ideias que o governo pediu para lá serem colocadas, agora vem a OCDE e não se pode saber o que foi dito e ainda pede a mobilização dos cidadãos. Um palhaço que tanto coloca o nariz vermelho como se arma em parvo. Não sei em que papel fica melhor porque em ambos encaixa na perfeição.
O que está a ser discutido é algo de muito sério e que pode colocar em causa todo o estado social, desde o SNS, à Escola Pública ou aos sistema de pensões e segurança social. Também o emprego deverá sofrer um autentico massacre e já se fala em números da ordem das muitas dezenas de milhares de funcionários públicos a ir para a rua. Para este governo a miséria nunca é suficiente e gostam sempre de arranjar maneira de criar mais e mais. Isto é gente com uma agenda liberal, que nem entendeu bem o livro onde a aprendeu e que a quer aplicar a todo o custo, mesmo não tendo mandato dos portugueses para o fazer. Não tivéssemos um Presidente da Republica da qualidade que temos e não haveria problema porque punha logo um travão nisto demitindo-o já. Assim não podemos contar com ele. Há a oposição, mas em minoria na Assembleia e com o PS com um pé dentro e outro fora acabarão a fazer lindos discursos enquanto vêm a banda passar. Já dei a ideia de abandonarem a Assembleia da Republica mas não acredito que resolvam afrontar o sistema. Restamos nós, cidadãos para fazermos alguma coisa, mas para isso é necessário tirar o rabo do sofá, assumir responsabilidades e ir para a rua dizer não e ficar lá até que isto pare. Se acredito que vai acontecer é outra coisa, mas sei que um dia terá de acontecer. Se vai a tempo ou não para travar isso já não sei. Resta-me só a esperança que este povo acorde deste longo sono.

21
Nov
12

A canção dos gatunos

A direcção do PSD voltou esta noite a apelar a António José Seguro que participe no debate sobre a redefinição das funções do Estado, argumentando que o PS tem “responsabilidades especiais” e a “obrigação” de entrar nessa discussão. “Existe a obrigação de todos de participarem no debate estrutural do Estado por razões de qualidade dos serviços e também por razões orçamentais”, disse Moreira da Silva, lembrando que a maioria quer concluir essa redefinição “do ponto de vista conceptual das funções do Esrtado” até Fevereiro. Num reiterado apelo ao secretário-geral socialista, António José Seguro, o vice-presidente do PSD repetiu: “O PS não pode deixar de estar presente”. O Governo quer cortar até 2014 quatro mil milhões de euros em despesa.
Moreira da Silva desafiou ainda os socialistas “a clarificarem” a sua posição sobre a despesa pública. ” Ou assumem que querem reduzir a despesa para evitar aumentar impostos, como nós queremos, ou decidem que não se deve reduzir despesa mas têm que assumir que querem aumento de impostos”,Esta gente é mesmo reles. Primeiro sobem os Impostos a um nível que se torna insuportável para os cidadãos e para a própria economia do país, destruindo empregos e empresas e agora vêm matar o estado social com a ameaça de ou isso ou mais impostos. Esta “refundação do Estado Social” que querem ter pronta até Fevereiro vai ser mais um ataque à dignidade e a condenação à mais profunda miséria e até à morte de milhares de cidadãos. É por o saberem e também porque para muitas das mudanças que desejam fazer necessitarem de alterar a Constituição que esta cambada de gatunos vem pedir batatinhas ao PS. Assustador é saber que este PS não é de confiança e, em troca de alguns favores ainda lhes faz o favor. Se o país já está mal, se as pessoas já passam por enormes dificuldades imagine-se o desespero quando as reformas forem cortadas, o Serviço Nacional de Saúde e a Escola Pública destruídos e os apoios sociais cancelados. Claro que tudo isto não será feito de uma vez só, mas vai ser colocada a primeira tábua no caixão onde nos pretendem enterrar. Ou se calhar nem isso porque, para está escória da sociedade que assaltou o poder, uma vala comum serve-nos muito bem.
Está na hora de dizermos definitivamente não, de correr com a bandidagem e construir uma sociedade mais justa, mais assente numa verdadeira democracia participativa, na liberdade de escolhermos o nosso próprio caminho e na dignidade de todo os ser humano. Não pode ficar para amanhã tem de começar já hoje e todos, mas mesmo todos, têm de sair para a rua impondo a mudança.
22
Jun
12

FMI – Organização assassina, terrorista, fascista e xenófoba

Não são apenas as indemnizações por despedimentos lícitos que devem ser reduzidas. Num relatório publicado no início desta semana, o Fundo Monetário Internacional (FMI) pede um corte no custo que as empresas suportam pelos despedimentos considerados inválidos pelos tribunais e também aqueles que tenham por base motivos políticos ou étnicos.

Já se sabia que nos países onde o FMI intervém a esperança de vida das populações diminui e que por isso se pode considerar uma Organização que atenta contra a vida de inocentes e por isso terrorista. Agora ficámos a saber que para alem de terrorista também é fascista e xenófoba. Quando defende a facilitação dos despedimentos por razões políticas ou étnicas está a defender que qualquer pessoa possa ser descriminada pelas suas ideias ou simplesmente por ter uma cor ou feições diferentes. Isto é fascismo e isto é racismo puro e simples. Puta que os pariu.

03
Jun
12

A Troika portuguesa

Trabalhar por menos dinheiro, ser menos generoso no subsídio de desemprego e acelerar as reformas estruturais. Estas são as principais recomendações de política económica feitas pela Comissão Europeia a Portugal. A troika já tinha dado a entender que existe uma ligação entre o crescimento do desemprego e a rigidez dos salários. O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, revelou ter assumido, numa reunião com a ‘troika’, a prioridade de acelerar “o ritmo de execução das reformas estruturais”.

Vítor Gaspar, ministro das Finanças, justifica o aumento do desemprego (15,5 por cento este ano e para 16 por cento no próximo ano) com um problema estrutural da economia e recusa que a causa para a perda de postos de trabalho se deva às políticas do Governo e à austeridade da troika.

O Governo está a preparar uma descida da TSU suportada pelas empresas com trabalhadores jovens e salários baixos, portanto, que aufiram o salário mínimo nacional.

Um aprendeu o liberalismo na JSD e como não tem capacidade para pensar pela sua cabeça aplica a receita sem entender as consequências. O outro está-se nas tintas para as pessoas, olha para os números sem assumir as culpas quer nas falhas nas previsões quer nas consequências. Já o outro não sabe o que diz ou o que faz porque não passou de um erro de casting que lê o texto sem entender o que diz.
Com uma “troika” destas às ordens da outra “troika”, se nada fizermos, tudo o que podemos esperar é mais pobreza e miséria. Correr com esta canalha não só é necessário como sobretudo urgente.

28
Maio
12

Um ano de desgraça

Há um ano que este governo tomou posse com o Passos Coelho como Primeiro Ministro e a desculpa do acordo da Troika para poder impor e praticar todos os roubos aos salários e direitos. Depois do Passos Coelho nos informar que o seu objectivo era empobrecer os portugueses rapidamente se percebeu que quem mandava não era o incapaz, mentiroso e impreparado Coelho mas o falinhas mansas Vitor Gaspar. Tecnocrata, ultrapassou a Troika pela direita sem respeitar nada nem ninguém tentando passar uma imagem de honestidade e competência. Honestidade que se desvaneceu logo que se percebeu que andava a cavar falsos buracos no orçamento para impor mais medidas de austeridade  e competência que se mostrou ser falsa quando se começou a ver que as suas previsões económicas estão sempre ultrapassadas mesmo antes das medidas que as procuram justificar entrarem em vigor. Isto sem falar da incompreensível politica de aceitar destruir toda a economia em nome do défice condenando tanto o futuro do país como o próprio cumprimento do défice com mais austeridade sobre a recessão. Os quinze por cento de desemprego, as falências, o crédito mal parado, o aumento da despesa pública e a redução das receitas prova-o.

09
Maio
12

Ladra mas não morde?


Angela Merkel escreveu a Francois Hollande sublinhando as “decisões necessárias” que estão pela frente e que têm de ser coordenadas por ambos. A chanceler alemã enviou a François Hollande uma carta em que o felicita formalmente pela sua eleição como presidente da França. Nela, Angela Merkel sublinha a necessidade de acção e a responsabilidade partilhada dos dois países fundadores do projecto de integração na Europa, referindo ainda querer “continuar com François Hollande o caminho da responsabilidade comum” e “trabalhar para o bem dos dois países (Alemanha e França) e da Europa”. “Temos de tomar as decisões necessárias à União Europeia e à Zona Euro, para preparar as nossas sociedades para o futuro, salvaguardando e avançando no caminho da prosperidade de forma sustentável”, frisa Merkel.

Já a gestora de fundos Schroders de fundos diz que “uma potencial disputa com Merkel” é o resultado que mais se pode recear com a eleições de Hollande. No entanto, é provável que os mercados e as agências de “rating” exerçam pressão para que o francês reduza o défice orçamental e não acredita que François Hollande consiga alterar as políticas de austeridade defendidas por Merkel para a Europa. “Este pode ser um caso em que o ladrar de Hollande é pior do que a mordidela”, conclui a Schroders.

Como já era previsível a primeira forma de tentar fazer o Hollande “baixar a bola” é pela sedução e oferecendo-lhe a partilha da Europa com a Alemanha, enquanto os mercados ameaçam atacar a sua economia se não ceder. Sorrisos e palmadinhas nas costas para o convencer que tem muito a ganhar se aceitar partilhar o poder em troca de esquecer as ideias que defendeu nas eleições, coisa que para os políticos parece muito fácil de fazer. Se resolver que é honesto e não aceitar voltar atrás na palavra dada aos franceses que o elegeram então é bom que se prepare para sofrer o ataque dos cães de fila da Europa. Mas, infelizmente, como diz a Schroders o mais provável é este seja mais um caso em que cão que ladra não morde.

09
Maio
12

O Delfim de Wolfgang Schäuble


Jean-Claude Juncker pretende deixar a liderança do Eurogrupo em Junho e a discussão sobre a sua sucessão à frente do Eurogrupo foi ontem relançada pelo ministro alemão das Finanças. Wolfgang Schäuble, assumiu, pela primeira vez, que não descarta a hipótese de ocupar o cargo mas sublinha que há outras pessoas capazes, como por exemplo, o português Vítor Gaspar. “Pessoalmente, aprecio muito o ministro das Finanças de Portugal, Vítor Gaspar”, disse o político conservador alemão, embora considere “que seria difícil” explicar semelhante nomeação devido ao facto de Portugal ser um país intervencionado.

Porra, se a Europa está como está e o Vitor Gaspar só é Ministro das Finanças de Portugal, o que seria dela se ele mandasse nas políticas económicas de todo o espaço Europeu. Para nós, que nos livrávamos  dele seria uma lufada de esperança, mas deixar um ditador ficar à frente do Eurogrupo, sobretudo sabendo como no caso do Durão Barroso que acabam por ser “mais papistas que o papa”, acabaria inevitavelmente por colocar toda a Europa a pão e água.

22
Dez
11

A Divina Troika para nos salvar

Chamar-lhes filhos da puta é pouco porque esta gente é aldrabona, mentirosa, esclavagista e subserviente. Passaram todo o tempo a garantir-nos que as medidas de austeridade e os sacrifícios eram parte do acordo com a Troika assinado pelo anterior governo. Todos já tinhamos visto que este governo era mais troikista que a própria troika e onde ela dizia mata o Gasparzinho dizia esfola. Mas com grandes sorrisos o Passos Coelho não se cansava de dizer que estávamos a cumprir todas as exigências. Cortaram nos direitos e salários, taparam “buracos” que nunca ninguém soube quais eram e espalharam a fome e a miséria. Isto antes de o pior que estava previsto nos cair em cima em 2012.  Mas, surpresa das surpresas, o governo continua a negociar com a Troika e ao que parece a adequar o acordo àquilo que faz e ainda lhes pede para carregarem mais no lápis vermelho dos direitos. Cumprimos tudo o que exigiam, até fizemos mais, mas agora passamos a ter de cortar nas indemnizações por despedimento  (foi de 30 para 20 e agora vai para 10 dias por ano de trabalho), facilitar o despedimento (ao ponto de bastar o patrão pensar que há alguém de quem ele goste mais para o lugar), baixar os ordenados da função pública, cortar mais nos serviços de saúde, aumentar as taxas moderadoras, despedir professores e eu sei lá que mais. Podia aqui perguntar se o PS foi consultado nestas alterações assim como o PSD exigiu ser parte no acordo com a Troika, mas prefiro perguntar-me se já não merecemos a sorte de um balde de bosta, com balde e tudo, lhes cair em cima?

PS: Esta é a mesma gente que já fez com que na Grécia haja crianças que desmaiam nas salas de aula por fome e desnutrição.

18
Out
10

A morte do multiculturalism

As declarações de Angela Merkel foram proferidas num momento em que aumenta o sentimento anti-imigrante na Alemanha. «A abordagem multicultural [à questão da imigração] falhou, e falhou profundamente», afirmou Angela Merkel, dias após o líder da CDU, Horst Seehofer, ter declarado que «o multiculturalismo está morto». As palavras de Merkel são as mais fortes alguma vez ditas por um líder alemão da era democrática em relação aos 16 milhões de imigrantes que vivem no país.

Uma das coisas que me deixa triste é saber que vou deixar aos meus filhos um mundo em retrocesso civilizacional, um mundo que se encaminha para mais uma idade média de obscurantismo. Cultura, solidariedade e cooperação estão a ser substituidas pela imposição, autoritarismo e poder. A Europa multicultural, que tanto a enriqueceu, a Europa solidária, a Europa da Democracia é já coisa do passado. Os imigrantes que foram utilizados como mão de obra para o desenvolvimento são agora vistos como inimigos. A extrema-direira fascista e xenofoba ganha terreno, deputados em Parlamentos e até se torna parceira em coligações de governo. A direita que se dizia centrista e democratica começa a copiar o seu discurso, as suas ideias e as suas práticas. A Europa e o mundo caminham rapidamente para a conflitualidade e, como a história mostra, para mais guerras, miséria e desgraça. Sarkosis, Berlusconis e Merkels são gente que colocam os seus interesses imediatos à frente de qualquer ideia de futuro. Vendem a alma, se é que ainda a têm, pisam tudo e todos se isso lhes garantir o poder. Apelam aos piores sentimentos dos seus povos e destroiem todo e qualquer ideal de humanismo. Se há coisa de que me posso orgulhar é de sempre ter tentado criar os meus filhos nos valores da igualdade, da partilha e da solidariedade. Fica contente quando os vejo brincar, falar e conviver com gente de todas as raças e condições sociais. Fico triste quando vejo outros, mais velhos e bem mais responsaveis, apregoarem o racismo, a insensibilidade social e o ódio. Que raio de Europa esta, comandada por gente desta, onde nos fomos meter.

05
Abr
10

Sapatinhos para Gaza

Pela primeira vez em perto de três anos, os camiões carregados de roupa e sapatos foram autorizados por Israel a entrar na Faixa de Gaza.

Um povo que foi vítima do Nazismo durante a segunda Guerra Mundial deveria ser o primeiro a lutar contra qualquer tipo de genocídio. Mas, a sua ânsia expansionista não pára de massacrar o povo Palestiniano e de ocupar o seu território. À força das bombas e da morte, continua a construir colonatos em território ocupado. Continua a espalhar miséria, horror e desespero. A comunidade internacional nomeia altos-representantes para processos de paz que nada fazem para mudar a situação e fechando os olhos aos crimes e às ilegalidades praticadas por Israel. O total desrespeito, a miséria, o horror, a morte a que são condenados os Palestinianos, demonstra a total hipocrisia e desinteresse pelos direitos humanos. Devíamos ter todos vergonha daquilo que deixamos acontecer sem nada fazermos para evitar.




Indignados Lisboa
Dezembro 2020
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Blog Stats

  • 718.262 hits


%d bloggers like this: