Archive for the 'privado' Category

10
Set
13

“Cheque” mate ao ensino público

nuno crato paulo portas cheque ensino

O Paulo Portas veio informar-nos da intenção do governo de avançar com o cheque de ensino baseado na falácia de cada um poder escolher em que escola quer que o seu filho ande. Já aqui falei disso mais que uma vez e há vários anos. Isto não passa de uma forma de favorecer os que têm mais dinheiro ajudando a pagar o colégio onde já andam os seus filho e de preparar o terreno para o fim da escola pública. Falácia porque nenhum dos colégios particulares para gente rica alguma vez aceitará receber gente da Cova da Moura. Falácia porque assim irá fomentar o aparecimento de escolas particulares “low cost”, com más condições, professores mal pagos e ensino deficiente para abocanharem os ditos cheques. Em contrapartida as escolas públicas vão definhar e baixar ainda mais de qualidade para não fazerem sombra ao novo negócio do ensino. Com o tempo, o valor dos cheques irá diminuir e só alguns passarão a recebe-lo parque o Estado não vai ter dinheiro e assim acabam com a Escola Pública gratuita para todos.

Que este governo quer acabar com o Estado Social, com o ensino gratuito, a saúde e segurança social. Isso foi notório recentemente quando mandam cortar nas despesas da escola pública e aumentam a comparticipação por estudante nas privadas. Isso é notório quando preferem que o estado pague a hospitais privados os tratamentos enquanto fecha urgências, centros de saúde e hospitais. É notório quando prefere subsidiar as instituições  de apoio social e lares privados em vez de construir e gerir os seus.

Os meus filhos sempre frequentaram a escola pública, não só por uma questão de dinheiro, mas sobretudo porque é ai que encontram a vida real, se cruzam com outras condições, e outras vivências fazendo deles gente mais rica e mais apta a viver o dia a dia. Que melhor forma de combater o racismo e a xenofobia que proporcionando aos nossos filhos o viverem, brincarem e estudarem lado a lado com outras etnias e outras culturas. Se há dinheiro dos meus impostos que não me importo de pagar é aquele que vai para permitir a saúde, a educação públicas, universal gratuita. Isto é algo de que nos devemos orgulhar, mas que alguns pretendem destruir só em nome do lucro de alguns.

30
Dez
12

Um crime contra a vida

miguel relvas privatizar aguas

O Governo deu mais um passo para a privatização dos sectores da água e dos resíduos, ao aprovar um pacote legislativo que abre a possibilidade de empresas privadas poderem gerir os sistemas multi-municipais.

Este governo, para além de todas as outras malfeitorias que está a fazer, tem vindo a privatizar tudo o que é público, oferecendo aos seus amigos, a preços de saldo, bens, empresas e património que pertencem a todos nós. A desculpa é uma vez mais as contas públicas e a malfadada e fajuta dívida e, embora tudo o que dai vai resultar é alguns a beneficiarem com aquilo que devia ser de todos, por incrível que possa parecer, ainda há quem acredite que essa é a solução. Se isto já é um crime contra a a economia o que dizer da vontade de privatizarem também a água, um bem essencial à vida e que não pode ser de ninguém. Muitos dizem que a água vai ser o petróleo do século XXI, a grande negociata de um bem que é escasso, (há zonas do planeta onde já morrem milhares por não ter acesso a água potável), e que cada vez será mais valioso. Entregar nas mãos de especuladores algo tão precioso como a água é um crime e espero que todos nos unamos na condenação e sobretudo em tudo fazer para o não permitir. A água é de todos e algo de que nunca podemos prescindir. Estes bandalhos, que nos andam a roubar direitos e salários querem agora roubar-nos o próprio direito à água, um bem que é de todos e por isso nem lhes pertence. Vamos dizer não tão alto e não o permitir em nome da vida.

17
Dez
12

Este anda a brincar com o que é nosso

miguel relvas todo poderoso

Um “amigo” enviou-me a imagem e a ideia. Gostei, foi só criar o boneco e publicar. Esta nem necessita de texto a acompanhar.

15
Dez
12

miguel relvas privatizacoes hospedeira

Numa altura em que se fala de privatizações quem surge sempre à cabeça é o Miguel Relvas. Aliás sempre que se fala de coisas meio obscuras, onde nada é claro e muita coisa é feita por debaixo da mesa o nome do Relvas aparece sempre. O homem está metido em todo o lado, secretas, comunicação social e claro no roubo em que o que é de todos nós está a ser vendido ao desbarato aos amigos isto sem olhar mais para trás e para a licenciatura, viagens fantasmas de deputados, etc, etc. A presença deste traste no governo do país é uma vergonha e mostra bem o estado da nossa democracia. Tenho nojo de tudo isto e indignação por ver que é possível tudo acontecer e nada ser feito para acabar com a pouca vergonha. Se de Belém não se pode esperar nada de um povo a ser atirado para a miséria esperava-se uma maior reacção. Espera-se, espera-se e ou isto rebenta de vez ou desespera-se.

19
Nov
12

Uma pergunta fácil com uma resposta directa

 

 Nem vale a pena escrever um texto para justificar a resposta, basta olharmos para os salários que recebemos, ou para as pensões, ou para o subsidio de desemprego, ou para as cartas do fisco. Isso para não falar do património, das boas empresas públicas e do futuro do país que está a ser desbaratado. A resposta é sim.

05
Nov
12

O SNS do Futuro…próximo

 

O Passos Coelho já avisou que agora pretende refundar o Estado, uma estranha forma de dizer que pretende destruir o Estado Social. Também já avisaram que para o ano serão cortes de 4 mil milhões em funções sociais. ou seja saúde educação e segurança social. Prevê-se por isso que para breve  o Serviço Nacional de Saúde, uma das maiores conquista do 25 de Abril, venha a ser destruído na sue essência. Não vai acabar porque esta gente é pérfida, vão deixar um SNS para pobres, um SNS sem condições e onde quem possa nunca recorrerá. Sorriem os grandes grupos económicos de saúde e as seguradoras.
Esta é a minha visão do Serviço Nacional de Saúde do futuro.

09
Out
12

Um governo que é um filme de horrores

O Governo uma vez mais escolhe a Função Pública como inimigo e culpado de todos os males do país. São os médicos e os enfermeiros porque trabalham no Serviço Nacional de Saúde, os Professores porque ensinam nas escolas públicas, os polícias porque não trabalham para empresas privadas e por aí fora. Para este governo, tudo o que seja público é mau pois podia pertencer a um privado menos os seus tachos como políticos, trabalhadores do banco de Portugal ou assessores. Esses fazem falta à democracia, os outros são despesa.  Assim uma vez mais são eles a sofrer a maior talhada ao que o governo se viu obrigado a somar alguma coisas dos trabalhadores do privado por imposição do Tribunal Constitucional. Claramente este orçamento não cumpre com essa imposição, mas já se está a tornar natural ver a constituição metida na mesma gaveta em que o Mário Soares meteu o socialismo. A Justificação para a disparidade entre privado e público é porque estes têm regalias. Quais serão? Ganham mais? Já foi provado que não é verdade. Não podem ser despedidos? Pelos vistos já podem e o governo vai tratar disso. Reformam-se mais cedo? A partir de agora já não. Quais são as vantagens então?
Este governo é composto por gatunos, por vampiros que comem tudo e não nos deixam nada. Dráculas FP.

 

02
Out
12

The Goldman Sucks

28
Ago
12

Para ver na RTP

 

30
Jul
12

Caça à Função Pública

Estes escolheram os funcionários Públicos como o inimigo, a fonte de todos os males , a culpa da miséria de todos os outros, promovem a imagem dos maus da fita, dos grandes beneficiados do sistema para que os trabalhadores privados concordem que é sobre esses malandros que devam cair todos os cortes, toda a austeridade, toda a violência. Mas são funcionários públicos os policias que os guardam e evitam que alguém mais desesperado lhes dê uns bons e merecidos tabefes, são funcionários públicos os bombeiros, os médicos, os enfermeiros, os professores, os homens e mulheres que todas as noites nos limpam as ruas. São gente que, como nós, sofrem e muito mais profundamente a violência deste governo, que, como nós, sente os meses cada vez mais cumpridos e os salários mais curtos. São gente com vidas e problemas como todos os outros e por isso a luta de uns em defesa do emprego e da dignidade de uns deve ser assumida por todos. funcionários públicos ou do privado a luta é de todos e não é com atirar com os males de uns para cima dos outros que se trava esta escumalha que todos os dias nos rouba. Quando todos apertamos o cinto e vemos os preços dos combustíveis e da energia subirem a GALP aumenta os seus lucros em mais de 50%. Não pode haver aqui funcionários públicos e privados, há uma luta para travar e o inimigo não é certamente o vizinho do lado.

20
Abr
12

Uma Missa para o Macedo

Gestão de Paulo Macedo chumbada, diz estudo ‘Os Portugueses e a Saúde’. Inquérito ‘Os Portugueses e a Saúde’ dá nota negativa ao desempenho do ministro da Saúde, Paulo Macedo. Um em cada três entrevistados considera “mau ou muito mau” e cerca de 50 por cento considera que está a ser feito um trabalho “muito mau”, no ministério da Saúde.

Está na hora de lhe rezarmos uma missa de finados antes que seja ele a dar a extrema unção ao Serviço Nacional de Saúde.

13
Abr
12

Um aborto laranja

A inseminação artificial segundo Passos Coelho
Passos Coelho descobriu um destino a dar aos serviços públicos de excelência, divide-os em bocados pequenos e usa estes para os inocular nos outros serviços que apresentem problemas de qualidade, isto é, usa-os num processo de inseminação artificial com vista à sua clonagem.
Esta é a teoria do Passos Coelho que entende que os portugueses são idiotas, a realidade é outra, ao desmembrar os serviços de excelência está a destruí-los e a promover a competitividade dos serviços privados. Ao encerrar a Maternidade Alfredo da Costa o governo está a promover o negócio das maternidades privadas que em tempos já floresceu em Lisboa. Só que a partir de determinada altura a classe média e os mais endinheirados percebeu que era melhor esquecer a criadagem dos hospitais privados e apostar na qualidade dos públicos, o negócio privado caiu.
Um serviço público de excelência não tem boas equipas por coincidência, é o resultado de um processo que demora anos, a qualidade atrai profissionais de qualidade mesmo quando a remuneração não é estimulante, as equipas de qualidade criam condições para investigar e promover novas técnicas e o uso de novas tecnologias. Ao distribuir as equipas da MAC o governo não está a destruir excelência, está a destruir o ambiente que favoreceu essa excelência e está a criar condições para que os hospitais privados contratem os excelentes médicos da MAC que não vão querer servir para “inseminação”.

O que Passos Coelho pretende não é melhorar o SNS ou poupar dinheiro, é destruir a concorrência que um serviço público de excelência faz ao sector privado, é isso que o irmão Macedo pretende, conseguir com o que não conseguiu como gestor da MEDIS; assegurar que o sector privado passa a ser competitivo e ter uma grande fonte de receitas num sector onde ficou sem clientela, a maternidade.

Texto “roubado” ao blog “O Jumento
28
Mar
12

A Troika Mata

O ministro da Saúde. Paulo Macedo, admitiu este sábado que a crise pode levar a um aumento dos casos de tuberculose em Portugal.  «As condições sociais têm influência nesta doença, que tem tido uma evolução positiva em Portugal»

Já aqui o tinha dito, o FMI, o Neo-liberalismo, o Capitalismo, a Mercadocracia, matam. Quanto mais se corta no serviço público, nos apoios sociais e se promove a pobreza e na miséria mais gente morrerá. Será que um governo que aceita como danos colaterais à sua politica a condenação a uma morte antecipada não tem legitimidade para governar. Demitam-se antes que sejam outros a despedi-los.

09
Mar
12

Mais uma que dá choque

O Estado vai abdicar de 36,1 milhões de euros de dividendos da REN relativos a 2011, para os novos accionistas da gestora das redes energéticas, cuja entrada na empresa deverá ser formalizada em Abril. Assim, os chineses da State Grid vão receber 22,56 milhões de euros ou vão ver este valor abatido ao preço de compra, de 287,15 milhões de euros, por 25 por cento do capital da REN, enquanto os árabes da Oman Oil Company vão auferir de 13,54 milhões de euros em dividendos ou ter este valor descontado nos 205,06 milhões de euros que ofereceram por 15 por cento do capital da empresa.

Mais 36 milhões que parecem não fazer falta para o orçamento e que resolveram ser simpáticos. Mais uma vez pagamos nós como já pagamos tanto desleixo, compadrio e negociatas de tanta gente e de tantos governos, que no fim acabam sempre por ser o mesmo mas com caras diferentes. As finanças que nos mandem a conta.

03
Fev
12

Em defesa dos transportes públicos

O secretário de Estado dos Transportes alegou hoje que a greve dos transportes convocada para quinta-feira vai custar 150 milhões de euros à economia portuguesa e destruir num dia o esforço de poupança feito num ano. Numa declaração política no Parlamento, Sérgio Monteiro disse também que as empresas de transportes públicos tiveram prejuízos superiores a 30 milhões de euros com o conjunto de greves de 2011″.
Os protestos por todo o país, eu não os sinto. E não os sinto porquê? Porque eles não representem a opinião da generalidade da população, representam a opinião de alguns, através das comissões de utentes, que não são mais que do que extensões de alguns dos partidos que hoje aqui mais vociferaram contra a política do Governo”, afirmou Sérgio Monteiro, depois de ter ouvido duras críticas da parte do PCP, BE e PEV.

Este discurso dos milhões somado ao incomodo que a greve causa a quem necessita dos transportes públicos consegue fazer com que muita gente se vire contra os grevistas. São prejudicados, muitos já pagaram o passe e não têm o serviço e custa dinheiro. Mas, na verdade quem está a fazer greve também está a perder um dia de trabalho, a sofrer pressões e ameaças em defesa de direitos, muitos deles que são de todos nós. Quem é mais prejudicado se os preços dos Transportes públicos aumentam brutalmente e o serviço é reduzido? São todos aqueles que dependem deles para se deslocarem todos os dias para os trabalhos e escolas. Somos todos nós que não temos um motorista à porta de casa à nossa espera.
Afirma o Secretário de Estado que o custo vai ser de 150 milhões. É muito dinheiro, mas ainda há poucos dias afirmaram que os 148 milhões que meteram no já privatizado BPN não iam influir no Orçamento de Estado (e já se fala de mais 600 milhões). Só numa coisa ele tem razão, na falta de reacção dos utentes que se lamentam em privado, em casa, nos locais de trabalho mas não assumem a luta na defesa dos seus direitos. Está na hora de dizer não a estes aumentos brutais e não aceitar a privatização dos transportes públicos em nome do lucro privado. Não é contra os grevistas que devemos virar a nossa frustração e indignação mas sim contra este governo e a pobreza e miséria que espalham pelo país.




Indignados Lisboa
Setembro 2020
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Blog Stats

  • 717.025 hits


%d bloggers like this: