Archive for the 'Professores' Category



05
Nov
09

Which is witch

Isabel alcada maria lurdes rodrigues espelho

Durante muito tempo personifiquei a Sinistra ex-ministra numa bruxa malvada, não só pela sua politica como pela sua pose e arrogância. Com as eleições chegaram as promessas de que algo iria mudar mas a realidade parece demonstrar o contrário. Saiu uma mas parece que entrou outra igual. Isabel Alçada já tinha elogiado a Sinistra Ministra e agora já só falam em pequenos ajustamentos às políticas anteriores, recusando abandonar o que já foi feito. Irá esta ministra ser só mais uma imagem reflectida da anterior?
Claro que há quem diga que agora, sem maioria absoluta, os outros partidos vão poder impedir a continuação de mais do mesmo. Poder podem, falta saber se querem. Antes podiam dizer o que queriam e defender o que lhes podia dar mais popularidade, (votos), mas agora que podem travar o processo talvez não o queiram fazer. É que confiar nesta gente, como muitos professores pareceram fazer durante as eleições, pelo que escreveram nos blogs e por aquilo que diziam, pode vir a ser mais uma facada nas suas costas. Cuidado que esta gente não é de confiança.

25
Out
09

Os velhos do novo governo – 5

Mariano Gago cientista louco
Este é mais um que continua a ocupar a mesma pasta que já ocupava anteriormente, não se pelos seus lindos olhos ou por ter aplicado a politica do Processo de Bolonha. O Engenheiro lá saberá.

21
Set
09

Um pacto com o Diabo

jose socrates manuela ferreira leite manifestacao de professores

A Assembleia da República, em Lisboa, foi hoje o ponto de confluência de centenas de professores — mil, segundo a polícia, e 1500 a dois mil, segundo a Associação de Professores e Educadores em Defesa do Ensino — que antes se tinham concentrado frente ao Ministério da Educação, contra a política educativa do Governo, e ao Palácio de Belém, “contra o silêncio do Presidente da República”. A manifestação, a última antes das eleições, foi convocada por três dos movimentos independentes nascidos da contestação ao modelo de avaliação docente, que deixaram sobretudo um apelo: “Votem em quem quiserem, menos no Partido Socialista de Sócrates”. Um cartaz resumia a ideia: “Se Sócrates se candidatar ao governo do inferno, nós votaremos no diabo”.

Desde o momento que os Socretinos na figura da Sinistra Ministra chegou ao poder e começou o seu ataque à escola publica e aos professores que me coloquei ao lado da sua luta pela dignidade e por uma escola que transforme os meus filhos em cidadãos e não em mão de obra barata para servir os grandes grupos económicos. Afastei-me quando comecei a ver que muitos pareciam esquecer os verdadeiros problemas para a trocarem por uma luta pessoal e partidária. Esta frase, em que aceitam fazer pactos com o diabo só para derrotar um homem e não uma politica, convence-me que fiz bem. Como dizia a canção de Sérgio Godinho, “para melhor está bem, para pior já basta assim”.

18
Set
09

O filho do pai … dos pais

albino almeida jose socratesdia do pai

O Pai dos Pais, Albino Almeida que, durante esta legislatura, tanto apareceu em todas as televisões representando os pais, apareceu mais uma vez, só que agora durante o tempo de antena do PS. Eu sou pai e sempre disse que ele não me representou, pois defendo uma escola pública de qualidade e democrática e não uma fábrica de mão-de-obra barata e não me representa quando defende o voto nos socretinos. Vão os pais aceitar que quem se diz falar em seu nome seja mais um fantoche do poder que em representar as ambições e expectativas do pais quanto à vida escolar dos seus filhos?

04
Set
09

O fantasma do PS nas eleições

Maria Lurdes Rodrigues Socrates fantasma educacao
Depois de o Engenheiro o ter feito na véspera foi agora a vez da ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, admitir que existiram problemas de comunicação entre Governo e professores nos últimos quatro anos. “Talvez não tivesse havido suficiente delicadeza no tratamento com os professores”, disse.

Quem seguiu a guerra entre esta Ministra e os professores não pode deixar de considerar estas declarações como um sinal de hipocrisia e mais uma demonstração de falta de respeito por uma classe a quem, ao longo da legislatura, chamou de professorzecos. Ninguém tem duvidas que o Engenheiro gostaria que esta guerra fosse esquecida e poder recuperar muitos votos que ficaram definitivamente perdidos, não só na classe dos professores mas em muitos que lhes reconheceram a razão e que se preocupam com a defesa da escola publica de qualidade. Tarde demais, naquele que foi o maior erro político do Engenheiro nesta legislatura; o não ter corrido com a Sinistra Ministra quando teve oportunidade disso. Basta ver os resultados que conseguiu na saúde, em que depois de toda a contestação em torno do Correia de Campos e do fecho das maternidades e urgências, substituiu por uma Ministra mais “tenrinha”, que apesar de não ter desfeito o que o seu antecessor fez, passou a ter uma vida bem mais calma sendo mesmo ela a beneficiar agora da abertura dos novos hospitais e urgências prometidas na altura. Se tivesse feito o mesmo na educação, o Engenheiro poderia agora cantar vitória, mas assim encontra-se na posição de fazer o papel de arrependido quando todos sabemos que não está. Só olhar para a cara daquela Sinistra personagem chamada Maria de Lurdes Rodrigues, enjoa e faz crescer uma raiva que não podem apagar.

PS: Sempre apoiei os professores e os seus movimentos, mas custa-me ver alguns desses movimentos, que deveriam só representar os professores e a sua luta, apoiarem claramente o PSD nestas eleições. Eu não voto PS, mas certamente também não votarei na Manuela Ferreira Leite que, por mais que diga que vai rasgar isto e aquilo, é farinha do mesmo saco.

20
Jul
09

Prémios da Legislatura – Maior Bruxa

Maria Lurdes Rodrigues bruxa da legislatura

Agora que estes quatro anos de Socretinos se aproximam do fim chegou a altura de fazer o balanço da sua actuação e distribuir os prémios que merecem. Começo por uma das mais sinistras personagens deste governo e atribuo-lhe sem qualquer dúvida o prémio da maior bruxa. Podia chamar-lhe outra coisa, mas podem aparecer por aqui crianças.


13
Jul
09

O diabinho que tramou o Engenheiro

Maria Lurdes Rodrigues diabinho

Esta foi sem duvida um dos maiores erros do dito Engenheiro. No início, ainda recebeu o apoio da direita mais reaccionária, que aplaudiu as suas reformas, mas quando viram que isso ia ter um elevado custo eleitoral, todos lhe começaram a atirar pedras. Só o Engenheiro, teimoso que nem uma mula, insistiu em manter a Sinistra no governo, mesmo quando já todos viam que ela e as suas politicas estavam mortas. Se perder as eleições em Setembro ela será certamente uma das principais responsáveis. Um diabinho que lhe saiu na rifa.


04
Jul
09

Raças Perigosas XXV – Manuela Ferreira Leite

manuela Ferreira leite Raça perigosa 1

Se vencer as eleições legislativas, a líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, promete alterar os estatutos do aluno e da carreira docente, o sistema de avaliação dos professores e aliviar a carga burocrática a que estão sujeitos.

Eu não sou professor e por isso seria um abuso da minha parte querer ensinar algo a quem tem por missão ensinar, mas tenho memória e ainda me lembro desta senhora como ministra da educação e essas memórias não são das mais agradáveis. Para evitarem más surpresas talvez fosse bom que os professores lhe exigissem que clarificasse exactamente o que pensa vir a fazer. Se pensa manter duas carreiras entre os professores, como pensa fazer a avaliação, se vai ser feita pelos professores ou por empresas externas e com que dinheiro a vai pagar, se vai manter as escolas dirigidas por directores, se vai matar a escola publica ou entregá-la nas mãos de privados transformando-os, aos professores, em mão de obra barata e descartável e tudo o resto que diz e ir alterar mas não como. Esta Manelinha é de uma raça perigosa e por isso não é de confiança. Quem for na história da sua politica de verdade corre o risco de ser bem enganado. Obriguem-na a trocar por miúdos estas promessas se não querem comprar uma cadela traiçoeira por um cãozinho de companhia. Sobretudo tenham memória e lembrem-se de quem ela é e o que fez quando foi Ministra.


09
Jun
09

Chapéus há muitos, unidade só há uma

socrates chapéus há muitos

Mais de mil polícias foram a São Bento entregar os seus bonés ao Engenheiro reclamando das suas politicas e contra Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações da Função Pública. Pena é que nesta manifestação não estivessem também os professores a entregar os livros de ponto, os funcionários públicos, os carimbos, os enfermeiros, as seringas, os médicos e todos os outros que fazem lutas “privadas” contra os mesmos males que este governo lhes quer impor. Deveriam hoje como já há muito deviam todos ter estado na luta dos professores, dos enfermeiros, e na de todos eles. Só unindo as nossas vozes na defesa dos outros podemos esperar que os outros nos apoiem a nós quando necessitamos. Os problemas são idênticos para todos mas continuam a fazer as lutas isolados. Para que serve então uma Central Sindical? Não deveria promover a união do que não devia estar dividido?
Este governo já está preso por fios, há muito que muitos ministros já deviam ter caído. Vamos unir-nos todos e vamos correr com esta gente de uma vez por todas. Vamos criar uma nova forma de encarar as lutas pelos nossos direitos baseda na união e na solidariedade de todas as profissões. Vamos todos exigir aos nossos sindicatos que promovam a unidade. Vamos correr com a canalha. Vamos dizer que não aceitamos as “ordens” que nos impõe a União Europeia. Vamos todos dizer “Mais Não”.


06
Jun
09

Foi dia de Natal para o Rangel

movimentos professores apoio psd

Oferta pelos Movimentos Apede, Promova e Mup do documento “Compromisso Educação “ ao Paulo Rangel que “manifestou uma extraordinária receptividade ao teor do documento, elogiando-o publicamente e considerando a apresentação do mesmo como “o momento mais alto” do dia de campanha”.
E eu que pensava que só o sindicato não era independente dos partidos? Afinal também os movimentos que se dizem independentes acabam a ajudar candidatos que pouco ou nada fizeram pelos professores ao longo dos anos. Mais, que não saberiam explicar como desatariam o nó que esta ministra já deu na carreira dos professores. Vão acabar com os professores titulares? Como? Retirando-lhes o aumento que tiveram ou aumentando todos os outros? Claro que o PSD não faria nada disso e tudo ficaria na mesma. Já alguma vez viram algum partido de alterne do poder revogar leis do anterior? Quando chegam ao poder esquecem o que criticavam antes, aproveitam o que o outro fez e acabam por piorar ainda mais as situações. Veja-se o caso da lei laboral que tanto foi criticada pelo PS quando era oposição e que quando foi a vez dele ainda a agravou mais para todos os trabalhadores. Só com uma luta séria, determinada e com coragem, unidade e sacrifício poderão os professores recuperar a dignidade que lhes foi retirada. Fazerem favores destes a gente desta é porem-se a jeito para a próxima facada que lhes darão no futuro.


20
Maio
09

Internacionalização do sindicalismo capitalista

carvalho da silva joao proença ces

A CGTP e a UGT participaram na euro manifestação de Madrid, uma iniciativa da Confederação Europeia de Sindicatos (CES) contra a crise e pelo emprego. No desfile, que ao fim da manhã percorre o centro da capital espanhola, participam 50 mil sindicalistas de Espanha, Portugal, França, Itália, Bélgica, Turquia e Andorra. De Portugal, as duas centrais convocaram 1900 sindicalistas para as ruas madrilenas. “Fomos os primeiros a fazer manifestações conjuntas em Portugal no ano 2000, foi no Porto com 80 mil pessoas”, recorda, ao PÚBLICO, Manuel Carvalho da Silva, da CGTP. A seu lado, no Passeo de la Castellana, à porta do café Gijón, local de concentração da participação sindical portuguesa na euro manifestação da CES, está João Proença, da UGT.

Texto “raptado” do blog Anarkismo.net
Mais de 330 organizações, de todos os continentes, reivindicando 167 milhões de sindicalizados vão criar a Confederação Sindical Internacional (CSI).
Esta internacional sindical teria o exclusivo, na prática, como interlocutor dos organismos internacionais de «regulação» da mundialização capitalista.
Emílio Gabaglio está na base deste projecto: ele é o ex-secretário geral da CES (Confederação Europeia de Sindicatos). Esta, sob a sua direcção, sofreu uma viragem no sentido de uma mais acentuada subordinação aos objectivos políticos da Comissão Europeia. Por exemplo, a CES esteve oficialmente implicada no apoio à guerra imperialista do Kosovo, aprovando a guerra ilegal e o bombardeamento às populações civis pelas forças da NATO… Mais recentemente, a CES tomou posição a favor da «constituição» europeia, documento que institui a desregulação completa do mercado laboral. Aliás, ao repudiar a «directiva Bolkestein», a CES entrou em contradição consigo própria, pois esta directiva se situa no directo cumprimento do projecto (abortado) de «constituição» europeia.
Ao nível mundial, pretende esta corrente sindical, dita de sindicalismo de acompanhamento, «representar em exclusivo» os trabalhadores.
Isto revela sua ambição totalitária, tendo em vista anular a possibilidade de expressão independente de outras correntes. Nomeadamente, remetendo para o gheto as correntes do sindicalismo alternativo e do anarcossindicalismo, ambas com expressão significativa em vários países europeus e não-europeus, não apenas em termos numéricos, como de capacidade de intervenção ao nível local, nacional e mesmo global (nomeadamente nos dias de acção global, com apoio de organizações sindicais diversas).
É mais um passo DA GLOBALIZAÇÃO CAPITALISTA E DA SUA INFLUÊNCIA DIRECTA NO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES, AO NÍVEL MUNDIAL.

18
Maio
09

Conquistas sindicais

Mario Nogueira eleições do SPGL

Dia 30 os professores saem de novo à rua para se manifestarem contra as politica da Sinistra Ministra. Já aqui afirmei que não sou professor, mas que como pai e cidadão me sinto parte interessada nesta luta, por sentir necessidade de defender uma escola pública democrática e de qualidade. É o futuro dos meus filhos e deste país que estão em causa. Acreditei que os professores, profissão que respeito e admiro, podiam vencer este braço de ferro e abrir uma brecha nesta falsa democracia em que vivemos. Acreditei que eram uma profissão culta, informada e que tinham todos os argumentos e armas para vencer. Quando os 120 mil desfilaram pelas ruas de Lisboa, vi finalmente uma profissão unida numa luta e tive a certeza que iam vencer. Não iam, já tinham vencido e só bastava um pequeno empurrão para a Ministra e a sua quadrilha ruírem. Bastava que as organizações sindicais não tivessem deitado a mão à ministra e a tivessem salvo. Bastava que não tivessem assinado um acordo, o famoso memorando, que lhe permitiu sobreviver e lhe deu tempo para dividir aquilo que estava unido; os professores. Hoje, derrotados os professores vêm o seu vínculo profissional perdido, a sua dignidade espezinhada e o seu futuro ameaçado. Perderam os professores e perdemos todos nós.
Onde falharam? Falharam ao não assumirem a luta nas suas mãos e em confiarem em quem os dizia representar. Falharam ao acreditar que quem “luta” dentro do sistema esteja interessado em o destruir ou até em o modificar.
Acredito que para lutar contra este sistema há que começar por o negar e começar a lutar fora das regrazinhas e do ser politicamente correcto. Há que lutar sem se procurar protagonismo ou esperar que nos ofereçam um lugar ao sol. Infelizmente os sindicatos que temos fazem mais jogo politico que luta real pelos interesses dos trabalhadores. Em cada manifestação acabam mais a tirar a pressão à panela do descontentamento que em resolver realmente os problemas. Vivemos tempos de mentiras e de consolidação de uma falsa democracia. Acredito que só na independência dos poderes políticos e na união de todos pode estar a resposta.
Desta vez, não vou estar presente na manifestação dos professores porque não acredito que vá mudar seja o que for. Prefiro ir para a rua falar com as pessoas, falar-lhes da necessidade de acabar com este estado de coisas, de proibir os despedimentos, de construir uma verdadeira democracia em que não sejamos, o “rebanho tolo” que querem que sejamos.
Acredito nos sindicatos e na sua força para mudar o mundo, mas isso só será possivel quando agirem, não em nome dos trabalhadores, dizendo-lhes o que têm e devem fazer, mas quando forem a união da sua verdadeira vontade. Não os lideres que conduzem as lutas dos trabalhadores, mas a arma nas mãos desses trabalhadores.


07
Abr
09

Herr Direktor

maria-lurdes-rodrigues-herr-direktor

07
Abr
09

Vem aí o Papão…de novo.

maria-lurdes-rodrigues-o-papao

O Ministério da Educação destitui o Conselho Executivo do Agrupamento de Escolas de Santo Onofre. Na base da alegada destituição estará o facto de não ter sido constituído naquele agrupamento o Conselho Geral Transitório, órgão fundamental para a implementação do controverso modelo de gestão e avaliação dos docentes implementado por este governo.
Os professores e educadores da escola defendem que “não existe qualquer fundamento sustentável para executar esta penhora extemporânea do mandato dos actuais órgãos de gestão deste Agrupamento” e afirmam que foram seguidos todos os trâmites legais para a instituição do órgão em falta, mas que não houve quem se quisesse candidatar.
Quanto ao Conselho Executivo, referem que foi “devidamente eleito por todos os professores dos 11 estabelecimentos de ensino associados, com mandato até Junho de 2010”.
«O cumprimento da lei não é uma questão facultativa, é uma obrigação. Nesta escola não se cumpriu uma lei e houve uma recusa à participação. É dada a possibilidade aos professores e às comunidades locais de se organizarem para dirigir as escolas. A comunidade local e os professores não querem tomar conta da escola nos termos em que a lei exige», respondeu Maria de Lurdes Rodrigues.

De ilegalidade em ilegalidade a Sinistra Ministra segue o seu caminho na destruição da escola pública e democrática. Com o cargo de director que agora vão criar nas escolas vão arranjar lugar para mais algumas centenas de pequenas “Margaridas Moreiras” (aquela coisa da DREN), pequenos ditadores, boys que vêm no seu pequeno poder a possibilidade de mostrarem a sua arrogância. (Se não o fossem certamente que não aceitariam o cargo). Depois lá vem a escola aberta à sociedade local, ou seja, ao negócio e ao compadrio.

Infelizmente muitos professores fraquejaram na luta e até vários sindicalistas entregaram objetivos individuais, ainda há quem tenha uma consciência daquilo que está em jogo e não desista da luta. Esses são os que merecem a nossa admiração e aqueles a quem devemos oferecer a nossa ajuda sempre que necessitarem dela.


06
Mar
09

Vamos todos para correr com e escumalha

maria-lurdes-rodrigues-cordao-humano-7mar09

Numa altura em que mais do que nunca é necessária a união de todos os que trabalham, sejam professores ou trolhas, Funcionários Públicos ou trabalhadores da iniciativa privada, estejam empregados ou não, seja a luta de cantoneiros ou policias, de bancários ou agricultores. Está na hora da solidariedade e de mostrarmos que só unidos podemos impedir que nos atirem para o buraco da miséria. Só todos juntos o podermos fazer. Eu vou dar as minhas mãos para fazer este cordão assim como espero que os professores, quando um dia necessitar, me dêem a deles.




Indignados Lisboa
Abril 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Blog Stats

  • 720.497 hits


<span>%d</span> bloggers like this: