Archive for the 'revolução' Category

11
Out
13

Um dia a coisa rebenta

passos coelho paulo portas maria luis albuquerque orcacento bum

Um dia a coisa rebenta e é assim, ou rebentamos nós porque esta gente nos mata de fome e de miséria ou rebentam eles quando os povos compreenderem que são sempre eles que têm o poder para mudar tudo ocupando as ruas e fazendo a revolução. Eu sei que quando se está numa ditadura há revolucionários e que quando vivemos no que chamam de democracia (embora fajuta, aldrabada e controlada) o poder gosta de apelidar de terroristas a quem não acata o seu poder de cabeça baixa, mas isso não os salvará. Isto vai ter de rebentar por qualquer lado e só espero que seja onde deve ser, pelo lado do poder corrupto, imoral e desumano. Enquanto aceitarmos que o poder governe em nome do dinheiro, do grande capital, dos mercados e nós sejamos meras ferramentas descartáveis para o lucro e para a criação desse vil metal nada mudará. Meus amigos, não serão os meus bonecos nem o que aqui escrevo que mudará nada. Não é o eu ir para a rua sempre com os mesmos que vai mudar nada. Não serei eu nem nenhum de vocês. Seremos todos e só quando formos todos algo poderá mudar, porque não somos terroristas e o que queremos é uma revolução para que se implante uma verdadeira democracia, em que, como o poder corrompe o distribuamos por todos, em que quem comande seja a voz de todos, em que os corruptos e os ladrões sejam responsabilizados, em que a fome e a miséria sejam erradicadas e as pessoas voltem a ser o objecto da politica que voltará a ser algo de nobre e digno porque praticada por todos com o objectivo de servir todos. O poder somos nós, só temos de o exercer.

09
Out
13

Em crise a lei é para cumprir só mais ou menos

durao barrosos Herman van Rompuy passos coelho caca TC

Depois do Durão Barroso vir avisar que se o Tribunal Constitucional chumbasse mais medidas do governo o “caldo estava entornado” foi a vez de um alto responsável do Eurogrupo afirmar que “É um Tribunal Constitucional activista comparado com qualquer outro Tribunal Constitucional que eu conheça” e que em momentos de crise é necessário mostrar mais flexibilidade. Começou por cá com as afirmações do Passos Coelho e agora já é a Europa a querer pressionar e a fazer chantagem sobre o país para obrigar a aceitar ir5 contra a sua lei fundamental. Se o nosso Presidente da Republica não fosse uma múmia a quem se esqueceram de avisar que tinha morrido, teria, de acordo com a sua função principal de defender o escrupuloso respeito e cumprimento da Constituição bem como a soberania do país, apresentado imediatamente um protesto por este abuso e pelo desrespeito pelas leis deste país. Aliás já deveria há muito ter posto o bandalho do Passos Coelho na ordem mas prefere manter-se no silêncio dos culpados. Um Zombie que não só não faz nem serve para nada como acaba a legitimar o desrespeito pela nossa lei fundamental e pelos direitos dos cidadãos. Agora é para permitir que nos roubem ainda mais mas um dia destes é para aprovarem leis que nos retirem o direito à indignação, à greve, à manifestação ou à liberdade de expressão. Afinal estamos em crise e com isso tudo parecem querer legitimar. Filhos-da puta.

11
Jun
13

Destruição Social

cavaco silva fragmentação social

 Cavaco Silva afirmou que com a imagem de um país que, “apesar da austeridade”, de um “grande desemprego” e do número de “famílias em risco de pobreza”, ainda preserva “a coesão nacional”. O Presidente afirmaria mesmo que “não há desestruturação social” em Portugal além de “não existir fragmentação social”.

Em casa dele provavelmente não há pois tem servido bem a família, que o diga  o genro que ficou com o pavilhão Atlântico a preços de saldo. O mal desta gente é, como tem medo do seu próprio povo como provam as medidas excepcionais de segurança de que se rodeiam para que ninguém se possa aproximar, verem o mundo através de números e estatísticas, muitas delas “marteladas” para servirem as suas ideias e interesses. Não sabem nem imaginam o que pensam as pessoas e aquilo porque passam. Não sabem o que é viver no desemprego pois têm sempre o futuro garantido por amigos e favores, não sabem o que é viver com o salário mínimo porque sempre foram principescamente pagos e muito menos sabem o que é ver os filhos com fome ou serem despejados das suas casas. Para esta gente tudo está bem e pode-se sempre pedir mais um sacrifício porque a eles não os atinge. Para esta gente haver quem ganhe milhões todos os anos enquanto outros andam aos caixotes não é fragmentação social. Para esta gente só haverá destruição social quando começarem as pilhagem ou o povo enraivecido lhes invadir as casas e os atirar ao Tejo. Já faltou mais.

16
Mar
13

Um palhaço acossado

vitor gaspar palhaco dedos apontados

Agora que saíram os números que mostram o descalabro a que as políticas troikistas deste governo nos trouxeram e o negro futuro que representam muitos dedos começam a apontar para o Vitor Gaspar. Ele é sem dúvida o rosto da desgraça, mas as culpas não podem ser só atribuídas a uma pessoa. Temos todos culpa quando não os corremos a pontapé mal abriu a boca pela primeira vez, têm culpa todos os que elegeram este governo, têm culpa os economistas, comentadores, especialistas, jornalistas e outra cambada que o defenderam e o apoiaram, têm culpa os militantes dos partidos do poder, têm culpa os deputados que o foram defendendo no parlamento, mesmo os que o criticavam mas não cortavam com as politicas, têm culpa todos os outros ministros que não o afrontaram, tem culpa o Passos Coelho que o apoia e tem culpa o Cavaco Silva que não demitiu este governo. Mas, mesmo havendo cada vez mais dedos apontando para o Gaspar e para as politicas da Troika a verdade é que sabendo-se ser este um caminho errado nada se faz para o travar e corrigir. Tirar de lá o palhaço Gaspar e colocar lá outro Palhaço qualquer não resolve nada, tirar de lá este governo de figurantes e colocar lá outro de outros figurantes, tirar de lá o Passos Coelho e colocar lá o Seguro não resolve nada se não fizermos um corte radical com estas politicas e estas opções de sociedade. Culpados somos todos, uns mais que outros, mas a solução tem de passar por todos e, enquanto houver quem continua a querer mudar caras e não politicas não saímos daqui. Enquanto continuarem a dizer-nos que não pode ser só austeridade mas é preciso também economia, que só precisamos de mais tempo para pagar a dívida, que a solução é afinal só suavizar a austeridade e enquanto nós continuarmos a fingir que acreditamos ou a dizer que não há alternativas o desemprego, a pobreza e a miséria vão continuar a aumentar e daqui a uns tempos vamos estar todos a pedir a demissão de mais um governo e a apontar o dedo a novos culpados. Eu quero que o Gaspar, o Coelho, o Seguro, o Cavaco e toda essa cambada se lixe, mas eles é que nos estão a lixar a nós. Alternativas e soluções existem, não serão fáceis e vão obrigar a uma nova forma de encarar o que é viver em sociedade. Uma vida mais comunitária, mais humana, mais solidária e mais justa.  Até lá, tudo pode mudar que tudo continuará na mesma. Crucifiquem o Gaspar que ele sem dúvida merece e é culpado, mas não esperem que isso resolva alguma coisa

26
Fev
13

Ainda esta semana

2Mar2013 indignados lx 27

Hoje não há boneco porque o tempo não estica para fazer tudo. No próximo dai dois espero que as ruas deste país e encham de centenas de milhares de pessoas exigindo o fim destas politicas e também deste sistema. É por isso que a partir das 15 horas vamos estar no Marquês de Pombal a exigir uma democracia mais directa e participada, que vamos estar a apresentar alternativas reais ao actual sistema de democracia de alterne. Comecei a fazer umas imagem para a sua divulgação na Internet e quando dei por isso já tinha quase 50. Quem desejar pode ver aqui [AQUI]

Já na próxima 5ª feira vai haver gente a pintar cartazes e faixas para a manifestação de dia 2 e quem sabe para que mais. Uma oportunidade para dizeres aquilo que realmente desejas e sentes e o poderes mostrar aos outros. [AQUI]

pintar cartazes

 

 E ainda um para um para que no dia 3 de Março não aconteça como aconteceu no 12 de Março ou no 15 de Setembro em que não aconteceu nada. Tudo ficou como estava sem ficar como estava embora não satisfizesse ninguém. Se queremos mais temos de fazer mais. Temos de voltar a sair à rua dispostos a sair muito mais vezes. Temos de compreender que a democracia obriga ao comprometimento, dá trabalho e mais trabalho dá ainda quando ainda só temos o desejo de a ter e temos um sistema com todas os poderes, todas as armas, das leis ao aparelho de justiça, da comunicação social às policias, dos interesses ao grande capital, pela frente. Dia 3 de Março vamos juntar-nos na Praça do Comércio  às 16 horas para falar sobre isso e sobre o que realmente desejamos para o nosso futuro.[AQUI]

Assembleia 3Mar

21
Fev
13

Já tocaram a senha da revolução …outra vez

passos coelho paulo portas vitor gaspar alvaro santos pereira aguiar branco paulo macedo miguel macedo nuno crato miguel relvas assuncao cristas paula teixeira da cruz pedro mota soares grandola

Que ao menos saibam a letra:Grândola Vila Morena (Zeca Afonso)

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina, um amigo
Em cada rosto, igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto, igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola, a tua vontade

Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade

18
Jan
13

Mais uma manha paralamentar

passos coelho antonio jose seguro jeronimo sousa joao semedo auto da barca paralamentar

Hoje de manha passei em frente a uma televisão que transmitia em directo mais um debate parlamentar com a presença de Sua Exª o Aldrabão Passos Coelho. Nada disto é novo, 230 deputados, alguns membros do governo, um monte de funcionários, jornalistas, técnicos, policias e sei lá que mais numa perda de tempo para saloio ver. Não seio o que disseram, imagino que o PCP e o BE criticaram fortemente o governo e ouviram como resposta que o que dizem não serve para nada, o PS criticou e pôs-se em bicos dos pés afirmando-se como possível alternativa, o PSD e o CDS criticaram o PS por não apresentar propostas e o Passos Coelho fez o seu auto-elogio, acenando com a inevitabilidade das medidas e pintando o futuro deste país com as mais lindas cores do mundo. Nada de novo, nada de construtivo e certamente que ao fim de todas aquelas horas o que dali saiu não criou um emprego, nem impediu a perda de muitos, não melhorou as condições de vida de ninguém, não impediu nenhum disparate do governo nem mudou nada de nada. Nada, zero, um exercício de retórica inócuo, um teatro paralamentar sem interesse algum.

Este governo continua a governar como quer e lhe apetece não respeitando nada nem ninguém, sejam as oposições, a Constituição, as leis ou os cidadãos, cria miséria, fome, desemprego, destruição da economia, perda de direitos e até a morte de alguns sem uma hesitação ou um qualquer sinal de preocupação. Perante isto as oposições nada mais fazem que alguns protestos de ocasião, mais preocupadas com as próximas eleições que com o país real. Mas podem fazer mais e por isso reitero aqui a minha proposta a todos os deputados que não queiram pactuar com o que está a acontecer, que queiram evitar a tragédia, a que já vivemos e a que se aproxima com a destruição do Estado Social, a de que abandonem o Parlamento, saiam, recusem-se a colaborar ou dar cobertura “democrática” ao que está a acontecer. Saiam do Parlamento, não participem e atirem com uma pedra ao charco politico em que vivemos. Algo teria de acontecer, a democracia teria de dar uma resposta e este governo perderia toda a legitimidade (que há muito não tem mas que o jogo politico vai disfarçando). Abandonem o Parlamento e juntem-se àqueles que cá fora protestam e exigem mais democracia, mais directa, mais participativa e mais justa. Não aceitem ser parte do sistema dando-lhe cobertura, saiam do parlamento e façam parte da mudança. Os cidadãos estarão na rua à vossa espera de braços abertos se o fizerem.

09
Jan
13

FIM e FMI são sinónimos do mesmo

christine lagarde passos coelho paraiso do fmi

Hoje foi dado a conhecer um relatório encomendado pelo governo ao FMI que pretende cortar 4 mil milhões na despesa do Estado. Coisas como corte nas pensões, no subsidio de desemprego, nos salários na ordem dos 20%, despedimento de dezenas de milhares de funcionários públicos, aumento da idade da reforma, dos horários de trabalho, das taxas moderadoras na saúde e nas propinas escolares são as soluções apontadas. (Relatório completo aqui). Claro que muitas das sugestões são inconstitucionais, mas o governo já veio dizer que não descarta nenhuma e o velho Ministro das Finanças dos Sócretinos veio defender que se tem de mudar a Constituição para não atrapalhar a governação.
Chamar filhos da puta a esta gente do FMI e quem lhes presta vassalagem é pouco. São assassinos dispostos a fazer um genocídio dos que menos têm para encher a mula a meia dúzia de gulosos que  trabalham para os mercados e grandes corporações. Não sei o que pensarão os portugueses daquilo que está a acontecer, ou melhor saber sei, o que não sei é até quando e o que estão dispostos a fazer para mudar a situação. Soluções há, das mais violentas ás mais pacificas, mas para que se concretizem há que estar disposto a fazer e a participar. Ir a uma manifestação pode ser um começo, mas está muito longe de ser o fim. Eu e muitos outros temos estado presentes e activos à espera dessa hora, agora só falta que se juntem os milhões que também desejam a mudança.

28
Dez
12

O General Coelho

passos coelho general da treta

Sei que já passaram alguns dias e tantas têm sido as tretas ditas pelo gatuno do Passos Coelho  que fui adiando o que queria dizer sobre a sua afirmação de que «precisamos de encontrar em cada cidadão um soldado que esteja disposto a lutar pelo futuro do país». Parece-me desapropriada porque o roubo e a burla não se combatem com soldados mas simplesmente com justiça. É claro que estamos prontos a lutar pelo nosso futuro mas se o fizermos o inimigo é ele e a cambada que o acompanha na imensa burla em que está transformada a politica neste país. O inimigo são as grandes corporações, os mercados, os que vivem à custa de dívidas odiosas e fabricadas para escravizar e roubar os países bem como os bandalhos que os servem sem respeitarem o seu próprio povo. Era bom por isso que o Passos Coelho tivesse cuidado com o que diz e deseja pois os portugueses podem compreender  quais são os seus verdadeiros inimigos e resolvam ser soldados para correr com os traidores e os seus donos.

21
Nov
12

A canção dos gatunos

A direcção do PSD voltou esta noite a apelar a António José Seguro que participe no debate sobre a redefinição das funções do Estado, argumentando que o PS tem “responsabilidades especiais” e a “obrigação” de entrar nessa discussão. “Existe a obrigação de todos de participarem no debate estrutural do Estado por razões de qualidade dos serviços e também por razões orçamentais”, disse Moreira da Silva, lembrando que a maioria quer concluir essa redefinição “do ponto de vista conceptual das funções do Esrtado” até Fevereiro. Num reiterado apelo ao secretário-geral socialista, António José Seguro, o vice-presidente do PSD repetiu: “O PS não pode deixar de estar presente”. O Governo quer cortar até 2014 quatro mil milhões de euros em despesa.
Moreira da Silva desafiou ainda os socialistas “a clarificarem” a sua posição sobre a despesa pública. ” Ou assumem que querem reduzir a despesa para evitar aumentar impostos, como nós queremos, ou decidem que não se deve reduzir despesa mas têm que assumir que querem aumento de impostos”,Esta gente é mesmo reles. Primeiro sobem os Impostos a um nível que se torna insuportável para os cidadãos e para a própria economia do país, destruindo empregos e empresas e agora vêm matar o estado social com a ameaça de ou isso ou mais impostos. Esta “refundação do Estado Social” que querem ter pronta até Fevereiro vai ser mais um ataque à dignidade e a condenação à mais profunda miséria e até à morte de milhares de cidadãos. É por o saberem e também porque para muitas das mudanças que desejam fazer necessitarem de alterar a Constituição que esta cambada de gatunos vem pedir batatinhas ao PS. Assustador é saber que este PS não é de confiança e, em troca de alguns favores ainda lhes faz o favor. Se o país já está mal, se as pessoas já passam por enormes dificuldades imagine-se o desespero quando as reformas forem cortadas, o Serviço Nacional de Saúde e a Escola Pública destruídos e os apoios sociais cancelados. Claro que tudo isto não será feito de uma vez só, mas vai ser colocada a primeira tábua no caixão onde nos pretendem enterrar. Ou se calhar nem isso porque, para está escória da sociedade que assaltou o poder, uma vala comum serve-nos muito bem.
Está na hora de dizermos definitivamente não, de correr com a bandidagem e construir uma sociedade mais justa, mais assente numa verdadeira democracia participativa, na liberdade de escolhermos o nosso próprio caminho e na dignidade de todo os ser humano. Não pode ficar para amanhã tem de começar já hoje e todos, mas mesmo todos, têm de sair para a rua impondo a mudança.
18
Nov
12

Soltaram os cães

Além dos nove detidos após a carga policial no dia 14, dia da greve geral, a PSP está empenhada em efectuar mais detenções. Serão cerca de 30 os suspeitos a identificar e podem ser detidos nos próximos dias.

Podem largar os cães que o protesto contra este governo, a destruição do país e a condenação à pobreza de todo um povo vai continuar. Eu nunca atirei nenhuma pedra contra um polícia, sei que muitos que as atiraram, uns porque são gente violenta, (claques de futebol e coisas do género), outros por desespero, (gente que já perdeu tudo o que tem) e outros ainda por profissão, (policias infiltrados). Não creio que esse seja o caminho, mas perante tanta prepotência, tanta desfaçatez, tanta desumanidade já começo a ficar sem argumentos para mostrar alternativas. As noticias do dia mostraram a violência dos manifestantes e serviram para esconder a Greve Geral e justificar a acção da policia Mas a verdade uma vez mais veio ao de cima e já não conseguem esconder a presença de infiltrados a da sua acção entre os manifestantes, a brutalidade da carga policial sobre gente inocente, as detenções ilegais de gente que nem estava na manifestação e a premeditação planeada de tudo o que aconteceu para simplesmente acusarem os movimentos sociais. Agradeço ao governo o mostrar que os movimentos sociais os estão a incomodar realmente ao ponto de os querem incriminar e combater. Agradeço por estarem a mostrar que vale a pena o esforço a a participação nesses movimentos pois são eles quem realmente coloca em causa o seu poder. Não nos vão parar, não nos vão amedrontar e muito menos nos vão vencer porque a razão nunca se calem nem pode ser derrotada. Este país é de todos e não pode ser roubado e o seu povo escravizado e condenado à miséria. Dizemos não hoje e não nos calaremos. Os FdP cairão mais cedo ou mais tarde.

15
Nov
12

Escolher um lado da Barricada

 

Ontem a CGTP fez o seu comício em frente da Assembleia da Republica e depois de cantar o hino, coisa que me parecia desnecessária sobretudo num dia em que a greve geral afectou mais seis países da Europa, mandou todos para casa. Foi um ver as bandeirinhas vermelhas a correr para a saída. Não Gostei.
Já na conferencia de Imprensa, o Arménio Carlos, depois de demarcar a CGTP da violência que aconteceu, esteve bem quando lamentou os factos ocorridos mas não condenou os manifestantes, afirmando que embora não concorde com esse tipo de luta não lhe compete a ele criticá-la.
Já pior esteve o Ministro Miguel mkacedo, primeiro garantindo à CGTP que conta com eles e que não lhe atribui nenhuma responsabilidade naquilo que aconteceu. Depois quando falou que os problemas existiram porque estavam na Assembleia cinco ou seis profissionais da violência e dá os parabéns à polícia que correu à bastonada milhares de manifestantes. Porque permitiu que a situação do arremesso de pedras durasse todos aquele tempo? Porque não deteve esses cinco ou seis e preferiu bater em milhares que não praticaram qualquer acto de violência? É isto a boa e competente actuação policial? Porque andaram pelas ruas de Lisboa a deter pessoas mesmo que nem tenham estado na manifestação? Porque cercaram grupos de pessoas em esplanadas mesmo não tendo qualquer razão para os deter? Porque, no dia seguinte à visita da Frau Merkel houve actos de violência num protesto dos estivadores e outra vez ontem?
O mal não está só nos homens que nos governam, o mal está no sistema corrupto e que trabalha a soldo dos grandes grupos económicos e dos mercados. Não há dois lugares para se estar, dentro do sistema a pactuar com ele, ou fora recusando servir os seus interesses. Há que escolher. Quando as posições se extremam há que escolher a barricada onde queremos estar. A CGTP brevemente vai ter de optar.

 

15
Nov
12

O Tempo está sem tempo

 

O tempo sempre me fascinou. É algo que é inexaurível, constante e sobre o qual tudo o que podemos fazer é tentar medi-lo por nunca o podermos controlar. Se é que o tempo realmente existe, pois não tendo matéria pode ser simplesmente uma invenção nossa. Hoje na Assembleia vi os escudos da polícia e as escadarias serem bombardeados com pedras durante cerca de duas horas sem que nada tentassem fazer para o impedir. Depois, em 30 segundos carregar, limpar a praça, ver os que atiravam as pedras fugir, a policia a bater violentamente nos que nos muros circundantes assistiam ao que se passava e não puderam escapar. No meio das ruas circundantes caixotes de lixo a arder num jogo entre policia e gente revoltada, enquanto se procurava encontrar amigos e familiares perdidos no meio da confusão. Na televisão o Ministro desresponsabilizava a CGTP pelos incidentes, um qualquer deputado do CDS, que passava de carro, descreve o que se passava com autentica guerra urbana, qual Síria, qual Líbano, e onde viu guerrilhas organizadas e “cocktail’s molotov” e só não explicou se também viu, kalashnikov’s, Mig’s21 ou Misseis de cruzeiro.
Vai tudo isto alterar alguma coisa? Talvez venhamos a conhecer uma diferente forma de violência contra o sistema ou praticada por ele. Certo é que este governo e este sistema estão moribundos, o seu tempo chegou ao fim. Não sei quanto tempo terão até ao fim desse tempo, mas já não é muito tempo.

03
Out
12

Daqui a umas horas vamos ser finalmente informados da forma que o governo escolheu para nos assaltar mais uma vez e nos roubar salários, direitos, dignidade e futuro. O Ministro Vitor Gaspar virá uma vez mais anunciar austeridade e sacrifícios em nome de um défice e de uma Troika mercantilista. Para nós ainda faltam umas horas que para a Comissão Europeia, a Merkle e o FMI já são conhecidas e até já deram o seu ámen. Nós somos como o marido traído, os últimos a saber e na realidade estamos a ser traídos todos os dias por esta gente mais interessada em agradar aos seus patrões do grande capital que em servir os portugueses. Esta corja que mente todos os dias, que nos promete uma coisa e arranja sempre forma de justificar porque não cumpre acabando a culpa por ser sempre nossa, ou porque somos piegas, cigarras ou ignorantes. Puta que os pariu a todos que já estou farto. Correr com esta cambada já é um dever de todos nós porque o país não aguenta mais continuar a ser assaltado todos os dias e ver-se humilhado por uma Europa de gananciosos. Gatunos para a rua.
30
Set
12

A mama não acaba

O Estado português concedeu em 2011 benefícios fiscais de quase mil milhões de euros a 40 empresas, segundo dados publicados pelo Ministério das Finanças.
No total, o Estado concedeu no ano passado benefícios fiscais em sede de IRC a perto de 11 mil empresas (10.834), num total de 1370 milhões de euros, o que representa quase um quinto do défice de 2011. Assim, 0,37% das empresas com benefícios fiscais arrecadaram 972,7 milhões de euros, o que corresponde a 71% do total concedido.
Na lista disponibilizada, destacam-se claramente duas empresas, a Livermore Lda e a Aljardi SGPS, com benefícios fiscais de respectivamente 217 milhões e 160 milhões de euros. Seguem-se a Itasant, a Broadshit Gibraltar e a Malpensa, com benefícios de respectivamente 78,3 milhões, 76,3 milhões e 48,4 milhões de euros. Estas cinco empresas recebiam estes benefícios por terem sede na Zona Franca da Madeira.
A Livermore é uma sociedade unipessoal com actividade na consultoria de serviços, segundo a informação dos directórios on-line de empresas, onde não se identifica o seu proprietário. A Aljardi é uma holding do Grupo Santander com actividade na finança e seguros.
A Itasant é uma gestora de participações sociais também unipessoal, enquanto a Malpensa e a Broadshit Gibraltar são ambas consultoras – a primeira de serviços e a segunda de projectos.
As primeiras 22 empresas da lista de beneficiários de IRC em 2011 têm na sua esmagadora maioria sede na Zona Franca da Madeira, com três excepções: PT Ventures (do grupo PT), Portucel e o Banco BPI, com benefícios de respectivamente 40,2 milhões, 27,7 milhões e 16,3 milhões. Algumas delas deixaram entretanto este centro de negócios.
Nos lugares seguintes surgem algumas grandes empresas nacionais: a Autoeuropa (23ª, com quase oito milhões), a PT (24ª, 7,9 milhões), ou Celbi (26ª, com 7,3 milhões). A Lactogal está em 33º (5,6 milhões) e o BCP em 38º (4,9 milhões).
Os 1370 milhões de euros atribuídos em benefícios fiscais às empresas representam 18,86% do défice de 7262 milhões de euros que o Estado teve no ano passado (4,2% do PIB, segundo foi comunicado a Bruxelas), conseguido apenas com recurso a uma medida extraordinária. [Publico]
Há mais algum comentário a fazer a esta noticia que a própria noticia? Chamar-lhes porcos, mamões, canalhas  alivia mas não resolve. Roubam-nos, tiram-nos tudo o que levamos anos a conquistar, saúde pública, educação, justiça, transportes, reformas, direitos laborais, e sei lá que mais, atiram centenas de milhares para o desemprego e milhões para a precariedade, pobreza e miséria. Aumentam brutalmente os impostos sobre quem trabalha e dão benesses a empresas que nada produzem a não ser especulação. Beneficia-se quem se esconde na zona Franca e a banca com grandes culpas na situação a que chegámos. Uma vergonha a que a indignação começa a ser pouco. Há alternativas e estes números mostram-nas bem. Rua com esta canalha toda já.




Indignados Lisboa
Setembro 2020
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Blog Stats

  • 717.069 hits


%d bloggers like this: