Archive for the 'revolução' Category



14
Set
12

Passos é passado

30
Jun
12

900 anos de história

O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, considerou hoje que Portugal precisa de espírito empreendedor para dar a volta à crise e retomar o caminho do crescimento, mostrando-se confiante no futuro do país. “Precisamos de empreendedores para puxar o país para a frente”. “Ninguém pode ter a mínima dúvida que Portugal vai dar a volta a esta crise”, disse Santos Pereira, lembrando que nos quase 900 anos de história os portugueses sempre souberam reagir às dificuldades e reerguerem-se.

Pela primeira vez concordo com o Álvaro quando diz que em 900 anos de história Portugal sempre conseguiu reerguer-se mesmo quando a sua Independência lhe foi retirada. O que talvez devesse preocupar o Álvaro e os seus amigos do governo é que muitas vezes o fez correndo com os vendidos e os traidores pelas portas ou atirando-os pela janela fora. E janelas não faltam por aí.

08
Maio
12

Grécia, berço da democracia

 

Há dois anos debaixo de um plano de assistência financeira que lhes impõe dolorosos sacrifícios, os gregos foram ontem às urnas castigar de forma expressiva os dois partidos que desde 1974 dividem os lugares na política e no aparelho de Estado.
Nova Democracia (direita) e PASOK (socialistas), que nos últimos meses de transição política assumiram o cumprimento do plano de austeridade, arriscam-se a não ter votos suficientes para formarem uma coligação governamental. Os resultados eleitorais  deram uma vitória da Nova Democracia (ND) com 20,9% dos votos. O PASOK, que venceu as eleições de 2009 com mais de 40% dos votos, passa para terceira formação política, com apenas 14,6% de apoio popular. De permeio, está o Syriza, uma formação de partidos de esquerda, com 15,2% dos votos, para quem os resultados expressam “que a barbárie do memorando não tem lugar” na Grécia.

Se já anates dizia que éramos todos Gregos agora ainda mais o devo dizer quando, por um lado vão ser vitimas da chantagem e das manobras anti-democráticas de uma Europa mais preocupada com os mercados especuladores que com os povos e por outro quando representam a esperança do fim da falsa inevitabilidade a que dizem estarmos condenados. Hoje começa uma guerra e temos de escolher de que lados estamos.

03
Maio
12

12-15 Maio Vamos fazer a diferença

Não tenho prazer nenhum em ser pessimista mas há dias em que, olhando para aquilo que me rodeia, olhando para os políticos que temos e para a passividade das pessoas, me custa ver a saída para o buraco onde este sistema capitalista e liberal nos atirou. Estou farto de mentiras, de hipocrisia e de falsas esperanças sempre adiadas para um amanhã que nunca chega.
Que fazer então? Ficar em casa como tantos fazem? Desistir? Se há momentos em que parece o mais acertado há muitos mais em que sei não ser essa a solução. A solução só pode estar em nós, em todos nós unidos pela vontade de encontrar novos rumos e novos caminhos. É isso que me dá a força para, em vez de ficar sentado no sofá sair para a rua e procurar outros que como eu não aceitam resignar-se à inevitabilidade que nos querem impingir. É por isso que no próximo dia 12 de Maio vou uma vez mais desfilar nas ruas de Lisboa, como outros farão no Porto, em Coimbra, em Madrid, em Nova Iorque ou em mais centenas de outras cidades por todo o mundo. É por isso que depois vou ficar no Parque Eduardo VII a debater e a procurar força e soluções para gerarmos a mudança. De 12 a 15 de Maio vou ocupar o espaço público e aí procurar criar uma zona de liberdade e solidariedade, longe dos preconceitos e das certezas que nos impingem. Não sei quantos se me juntarão, mas sei que serão mais que aqueles que foram antes e que este movimento não pode parar de crescer, afirmando a indignação e exigindo a mudança. Se todos nus juntarmos poderemos derrotar o conformismo. Vais ficar parado a ver?

16
Fev
12

Cego, burro ou desonesto?

– A agência de notação Standard & Poor’s baixou a nota a sete bancos portugueses. As instituições já estavam todas classificadas como “lixo”.
– A agência de notação Moody’s baixou a nota de seis países europeus, entre os quais Portugal, Espanha e Itália, e colocou em perspectiva negativa a Áustria, França e Reino Unido.
O PIB português caiu 1,5% no ano passado face a 2010, em resultado de uma queda homóloga de 2,7% no quarto trimestre, segundo dados do INE. A forte queda do PIB no final do ano passado resulta sobretudo da queda da procura interna, “associado particularmente às diminuições mais expressivas do investimento e das despesas de consumo final das famílias”.
– Pedidos de ajuda de famílias em dificuldades quase duplicaram em Janeiro. Deco recebeu 2272 casos de sobreendividamento no primeiro mês de 2012, um aumento de mais de 90% face a Janeiro de 2011.
– A taxa de desemprego em Portugal atingiu um novo máximo em Dezembro e é já a terceira mais elevada entre os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), atingindo os 13,6%.
Podia continuar aqui a colocar noticias sobre a nossa economia que o quadro geral não se ia modificar muito. Portugal está em queda livre, esta politica já mostrou que em vez de travar só acelera essa queda. Quando já não puderem maquilhar a realidade é claro que a culpa vai ser da crise, mas eu digo que não é, a culpa é do sistema e só a sua mudança pode permitir o fim desta desgraça anunciada.

10
Fev
12

Vamos dizer-lhes NÃO

08
Dez
11

Como se constrói uma ditadura

Já nos cortaram nos direitos sociais e nos salários, já nos fazem viver numa democracia de fachada mas cada vez mais se nota um ambiente de insegurança e medo. Não a normal acontecer com o aumento de roubos e assalto sempre que a fome  e a miséria se tornam no dia a dia de milhões de cidadãos, mas a praticada pelo próprio poder e pelas forças que nos deviam defender dessa insegurança e desse medo. A violência criada e fomentada por agentes policiais infiltrados à civil na manifestação do dia 24 de Novembro é disso uma prova concreta e a falta de resposta dos responsáveis a demonstração de quem a promove.
Mas há mais a acontecer, as ilegalidades e inconstitucionalidades do orçamento, e agora o desrespeito do Ministro Miguel Macedo perante a opinião da Comissão Nacional de Protecção de Dados que considerou inconstitucional a proposta do Governo sobre a instalação de câmaras de video vigilância, afirmando que o parecer da comissão como uma «declaração política» e argumentando que «o Governo não legisla sobre o parecer da CNPD». O que o Ministro faz tábua rasa dos órgãos  criados para garantir o respeito pela lei, pela Constituição e pela defesa do direito e das liberdades e garantias dos cidadãos. Este governo desrespeita tudo e todos pelo que antes que o Gaspar se transforme em Salazar temos de correr com esta gente.
12
Nov
11

Otelo, os militares e os seus limites


Otelo Saraiva de Carvalho defende que “se forem ultrapassados os limites” a resposta deve ser um “golpe militar para derrubar o governo” e não em manifestações como a que está marcada para sábado próximo. Esse golpe, acrescenta Otelo que até seria “mais fácil” de levar a cabo actualmente do que o de 1974.
O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS) manifestou-se hoje contra as declarações de Otelo Saraiva de Carvalho, considerando que as revoluções “não se anunciam na comunicação social”.

Tem razão o Presidente da ANS quando diz que as revoluções não se anunciam, elas fazem-se. Já o Otelo, não anunciou nada, o que fez foi dizer de sua justiça com a experiência de quem já uma vez participou no derrube de um governo anti-democrático. Agora é legal fazerem o desfile faltando saber se o que procuram é ajudar os cidadãos deste país ou só procuram ajudar-se a si mesmos. Quanto ao mentiroso do Passos Coelho e a sua camarilha talvez ainda venham a descobrir que mais valia uns tumultos. Como diz o Otelo há limites para tudo.

24
Out
11

Os soldados são filhos do povo. E os polícias?

Volto ao assunto do post anterior por vários motivos. Primeiro porque me permitiu utilizar um dos belos desenhos do Abel Manta, depois porque me parece relevante que as declarações do Vasco Lourenço possam ajudar a mostrar que não estaremos sozinhos nesta premente necessidade de agir, de mudar, de acabar com este regime de mentira, de roubo, de subjugação a que estamos sujeitos perante o poder do capitalismo financeiro. Outra razão, é a de que as revoluções têm de ser feitas pelos povos, não pelos militares pois isso acaba muitas vezes em ditaduras em que se vai de mau para pior. É a nós todos que cabe a escolha e as decisões que determinam o nosso futuro, é a nós que cabe a criação e participação numa democracia mais verdadeira. Finalmente a última mas não menos importante a de sabermos que não estamos sós, que ao nosso lado há gente disposta a lutar. Cheira a cravos.

24
Out
11

Está a chegar a hora de escolher o lado da trincheira

O capitão de Abril Vasco Lourenço que o poder foi tomado por um «bando de mentirosos» e apela aos militares para estarem ao lado da população caso se verifique repressão policial nas ruas. O coronel, actualmente na reserva, acredita que as medidas de austeridade vão gerar convulsão social com repressão da polícia. A confirmar-se esse cenário, Vasco Lourenço espera que os militares estejam do lado da população.
«A população certamente não vai aceitar de bom grado essas medidas e eles vão tentar fazer pressão. Vamos ver como vão reagir as forças de segurança quando tentarem utilizá-las para fazer a repressão, depois espero que os militares tenham a vontade e a força suficiente para, como se passou no Egipto, dizer ‘não’ à repressão», afirmou.


Disseste que não ias admitir tumultos, coelhinho. O pior é se aqueles que esperas que te venham defender virem as armas para o teu lado. Está a chegar a hora de escolher o lado da trincheira em que cada um quer estar. Não te ponhas a pau Coelhinho que ainda vais corrido a pontapé. Já faltou mais.


18
Out
11

Conselho de um Estado doente

O Presidente da República convocou o Conselho de Estado para o próximo dia 25 de Outubro tendo como ordem de trabalhos o tema “Portugal no contexto da crise da Zona Euro”.

Coitado de Portugal com médicos destes  a querer curar os males que afectam o país na crise da Zona Euro. Nunca descobrirão a causa da doença porque a causa são eles mesmos. Eles são o vírus, eles representam o sistema em toda a sua maldade. Eles, a coberto dos seus Bilderbergs, Iluminatis, OpusDeys e Maçonarias causam a pobreza e a miséria que se alastra para defenderem o seu poder e a riqueza de alguns. A cura não está em Conselhos de Estado, em Conselhos de Ministros ou em Cimeiras Europeias, a cura está nas mãos de todos nós, assumindo as nossas responsabilidades e o nosso destino. Depende só de nós.

10
Out
11

E o cuzinho lavado com água de malvas? Não querem?

A descida da Taxa Social única já deu o que tinha a dar. Agora, a alternativa para aumentar a competitividade das empresas passa pelos horários e dias de descanso. A medida-bandeira de Passos Coelho pode morrer às mãos do próprio partido. O primeiro a insurgir-se foi Marques Mendes, que defendeu um aumento de meia hora de trabalho por dia – uma proposta que não é descartada por Miguel Frasquilho.O deputado acredita que é uma solução a “ponderar” e acrescenta a redução das férias anuais. “São medidas que servem para um aumento da produção”, justificou.

E porque não duas horas por dia, ou quatro, ou oito, ou um colchão no canto da fábrica, aumentava ainda mais a produção. Férias? Férias para quê? Acaba-se com elas e então é que a produção batia todos os recordes. Melhor mesmo era deixarem utilizar o chicote, aí é que ninguém nos agarrava. Era a produção em todo o seu esplendor com fogo de artifício e tudo.

05
Out
10

Monarquia vs Republica

Se ainda estivéssemos  na Monarquia, teriamos como Rei, um “Duarte Pio” qualquer, assim, 100 anos depois da implementação da Républica temos um Cavaco. Não conseguimos mesmo arranjar nada melhor?
05
Out
10

100 anos de Republica

Sou Republicano porque não entendo que alguém possa ser governante só por ser filho de outro alguém ou por alguma ordem divina, independente de ser doido, burro ou simplesmente um filho da p… Infelizmente aqueles que nos governam agora não honram os ideais daqueles que,  há 100 anos derrubaram a monarquia. Infelizmente o poder continua a corromper e a perpectuar a injustiça. Felizmente há sempre quem acredite que tudo pode ser diferente. Nada obriga a que o futuro não possa ser diferente e construido por gente mais humana, honesta e capaz. Está nas nossas mãos se assim o desejarmos.

03
Jan
10

Alguns mereciam bem ser defenestrados


Miguel de Vasconcelos foi defenestrado em 1 Dezembro de 1640. Há por aí outros que mereciam o mesmo castigo pelas mesmas razões.




Indignados Lisboa
Junho 2021
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Blog Stats

  • 720.934 hits


%d bloggers like this: