Archive for the 'Violência' Category

19
Jan
13

O Bastão da Ordem Pública

miguel macedo gas pimenta

A polícia usou gás pimenta, esta manhã, para dispersar uma manifestação de estudantes que estava a decorrer à porta da secundária Alberto Sampaio, em Braga. Seis alunos tiveram que receber tratamento hospitalar.Os estudantes estavam a protestar contra a integração da escola num mega-agrupamento, fecharam as portas da escola a cadeado.
A comissária Ana Margarida, da PSP de Braga, diz que foi preciso usar pimenta «para abrir caminho por entre os estudantes e para conseguir chegar ao portão, permitindo que os bombeiros cortar a cadeado». Segundo a comissária esta atitude foi tomada para evitar uma postura mais musculada como o uso do bastão de ordem pública.

O Sr. Ministro pode andar a enganar as pessoas quando envia infiltrados para as manifestações dos movimentos sociais para criar incidentes e justificar a violência da acção policial, pode deixar policias a serem apedrejados durante duas horas para depois poder justificar cargas cegas e brutais sobre gente pacifica, pode fazer o que desejar e abrir averiguações sobre inquéritos e inquéritos sobre averiguações ou inquéritos sobre inquéritos que já ninguém está para o aturar. Pode ter feito tudo e tudo justificado com a violência dos manifestantes e a manutenção da ordem pública. Pode ter inventado grupos terroristas e grupos violentos onde não os há. Pode e fez mesmo quando essa violência não existiu ou foi provocada pela própria policia. O que não pode justificar é o uso de gás pimenta sobre jovens do secundário, miúdos de 12 anos que protestavam em frente da sua escola e que acabaram alguns no hospital. Pior ainda fica quando se justifica o uso desse gás pimenta como justificação para evitar uma postura mais musculada como o uso do bastão de ordem pública. E porque não de tiros de shotgun?
Quem ordenou esta violência policial devia ser demitido e o ministro que tutela a policia tinha a obrigação de se demitir ou ser demitido. Uma vergonha, uma afronta à liberdade e ao direito de protestar. Não estamos a falar de terroristas, de grupos violentos e organizados, de gangs de bandidos, estamos a falar de miúdos de uma escola secundária. Tenha vergonha na cara e demita-se em nome da decência e em respeito pela democracia e pela liberdade. Se é que a tem.

16
Nov
12

Como se rouba um país

 

Hoje vimos confirmado aquilo que já muitos sabíamos e que ao longo do tempo temos vindo a denunciar; os boys que o governo foi colocando no estado, nos ministérios e secretarias de estado, cerca de 1500, todos receberam subsidio de férias enquanto todos os outros trabalhadores do estado receberam zero. A desculpa é tão esfarrapada que nem merece qualquer comentário e o que prova é que esta gente não está ali de boa fé, não é para ser vir o país mas para se servirem a eles e aos seus amigos, que esta gente se está marimbando para o sofrimento dos cidadãos desde que os seus possam passar nos intervalos da brutal austeridade. Muito criticaram a violência de alguns manifestantes no dia da greve geral, mas fazer o que esta gente faz, atirar para a miséria milhões de cidadãos, de idoso, de crianças, destruir o estado social e vender ao desbarato tudo o que era nosso não é bem mais violento. De cada vez que morre alguém por não ter dinheiro para comprar os medicamentos isso não é mais violento. Crianças a chorar de fome não é uma violência muito maior. Eu não queria estar na pele destes bandalhos se um dia a população lhes lançar a mão, mas a cada dia eles mostram que o merecem.

24
Abr
12

Exibicionismo policial

«PSP prepara tolerância zero nas «manifs» do 25 de Abril. Com o 38º aniversário do 25 de Abril a aproximar-se, assim como a celebração do 1º de Maio, a PSP recebeu orientação de impedir todos os desfiles ou acções de rua que não obedeçam aos procedimentos legais para a sua realização.É uma reacção ao que sucedeu a 22 de Março, dia da última greve geral.

Quem tem de assumir a tolerância zero contra a repressão e o fascismo somos todos nós. Este clima de intimidação publica e de criminalização dos protestos mais “ruidosos” e incómodos é que têm de ser banidos e não aceites por ninguém. Em Portugal não existem factos que comprovem nem que justifiquem este clima de opressão criado por um exagerado e visível corpo de segurança policial e muito menos de repressão activa. Não é aceitável que numa sociedade que se reclama democrática e livre se utilize a provocação e a força para calar protestos e indignação perante as mentiras e o abuso de poder que este governo representa e corporiza. A criação artificial pública do medo e a justificação antecipada da repressão que pretendem praticar sobre vozes incomodas que contestam, não só as politicas assassinas deste governo, mas o próprio sistema de ditadura dos mercados exigindo uma democracia verdadeira em que o poder esteja centrado nas pessoas e não na criação e sustento dos grandes grupos económicos. Mas, a indignação não se silencia e cada vez mais pessoas sentem na pele que o roubo aos seus salários e aos seus direitos só serve para alimentar a gula e a ganância dos mercados, mesmo que isso signifique que sejam atiradas para a pobreza e a miséria. A mudança faz-se na rua com ou sem exibicionismo policial porque a única coisa de que devemos ter medo é de ter medo.

05
Abr
12

Os policias não são máquinas

Alguns agentes da PSP envolvidos em agressões no Chiado, em Lisboa, no dia da greve de dia 22 de Março deverão ser punidos. O relatório da Inspecção-Geral da Administração Interna sustenta a abertura de processos disciplinares aos polícias que agrediram manifestantes e jornalistas.

Não tenho nenhuma simpatia especial por policias, sobretudo por alguns a quem muitas vezes o poder que lhes é concedido pela profissão lhes sobe à cabeça. Sei que como nós também são gente com vidas próprias, sentimentos, emoções, problemas e que também passam por dificuldades financeiras criadas pelo sistema mercantilista em que vivemos.
Sendo as policias forças altamente hierarquizadas não se compreende que os processos sejam aplicados somente aos policias e não às suas chefias tendo como responsavel final o próprio Ministro que, confirmada as agressões a cidadãos livres na prática do seu direito constitucional de manifestação, se deveria demitir. Mesmo não havendo qualquer justificação para uma acção tão brutal, ou a carga policial foi mal executada e isso nos remete para uma deficiente formação dos policias ou então foi ordenada por um superior a mando do Ministro, coisa que não estranho se notarmos que os casos de atropelo ao nosso direito à indignação se tornaram mais frequentes  após a posse deste governo, o que evidentemente não é coincidência. Demita-se Sr. Ministro.


PS: Se os policias acabarem por ser os únicos a sofrerem punições por aquilo que aconteceu o melhor que têm a fazer é passarem-se para o lado dos manifestantes e ajudarem a correr com este governo e esta canalha que nos governa. Afinal a sua função é prender ladrões e os seus cúmplices.


28
Mar
12

A Troika Mata

O ministro da Saúde. Paulo Macedo, admitiu este sábado que a crise pode levar a um aumento dos casos de tuberculose em Portugal.  «As condições sociais têm influência nesta doença, que tem tido uma evolução positiva em Portugal»

Já aqui o tinha dito, o FMI, o Neo-liberalismo, o Capitalismo, a Mercadocracia, matam. Quanto mais se corta no serviço público, nos apoios sociais e se promove a pobreza e na miséria mais gente morrerá. Será que um governo que aceita como danos colaterais à sua politica a condenação a uma morte antecipada não tem legitimidade para governar. Demitam-se antes que sejam outros a despedi-los.

25
Mar
12

Afinal quem vandaliza a luta social?

25
Mar
12

A frieza violenta do poder

Quando vemos a policia e o ministro a desculparem-se pelas agressões de que foram vitimas dois jornalistas propondo que futuramente não se misturem com os manifestantes, percebemos que todos os outros, à excepção dos jornalistas, merecem ser agredidos e espancados por participarem numa manifestação. Não importa que o direito à manifestação seja um direito consagrado na Constituição, não importa se estão ou não a praticar qualquer acto de violência, não importa o sexo ou idade. São carne para bater.
Se só isto já demonstra o neo-fascismo desta gente, pior é quando percebemos que para além dos manifestantes, também aqueles que por ali estejam ou passem também são alvos potenciais. Não reconhecem qualquer valor às pessoas, são indiferentes à justiça dos seus actos e desprezam a  sua existência. Elas não contam, só a manutenção do poder e a repressão sobre os que não calam a sua indignação e a sua razão são importantes.  Esta é a gente que temos no governo do nosso país.



Indignados Lisboa
Dezembro 2019
S T Q Q S S D
« Jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Blog Stats

  • 714.346 hits


%d bloggers like this: