Posts Tagged ‘Carlos Zorrinho

16
Out
12

Vão de burro mas zurrem baixo

 

Depois de um fim-de-semana  e de protesto contra a Troika e a situação de miséria a que está a condenar os portugueses e de um serão de segunda-feira bem quentinho à porta do Parlamento para renegar o roubo este orçamento  representa finalmente volto a casa e me sento em frente do computador. Posso agora dizer aqui que estes políticos que têm passado pelo poder não têm a mínima ideia daquilo que sentem os cidadãos e que por isso já há muito perderam o direito de falar em seu nome. Quem não tem o discernimento para entender que num momento em que a austeridade está a destruir a vida de milhões de pessoas, quando há gente a passar fome, sair a noticia de que a Assembleia da Republica gastou duzentos mil euros em quatro carros para a liderança parlamentar do PS é algo que choca e ofende as pessoas. Mas, vir alguém que já foi liderou essa bancada, mostrando-se muito indignado e perguntar se queríamos que o lider parlamentar do PS andasse de Clio é inimaginável. É não entender o sofrimento, é não entender o desespero, é não entender a raiva que cresce contra os políticos profissionais da treta, é não compreender todo um povo. Nós não queremos que ele vá de Clio, nós queremos que ele vá a pé, de transportes públicos (talvez ai aprendesse alguma coisa e entendesse o que sentem as pessoas), de carroça ou a cavalo num burro, Queríamos que ele andasse como quisesse se fosse pago por ele. Se quer ir de carro, compre um que ganha o suficiente para isso e para pagar a gasolina, o imposto automóvel, as revisões e as inspecções e os parquímetros e as portagens e tudo o resto. Queríamos que ele fosse um cidadão e não alguém que se considera valer mais que os outros. Queríamos que ele fosse gente como nós e que por isso pudesse representar-nos. Assim, só representa uma classe de parasitas que vivem à custa do sofrimento daqueles que deviam representar. Assim não passam de uma praga que temos de correr do poder.

10
Out
12

Golfe Para Lamentar

Estado paga torneio de golfe a deputados e não só. Associação dos ex-deputados e grupo desportivo receberam 286 mil euros do Orçamento da Assembleia da República nos últimos cinco anos
Saiu do orçamento da Assembleia da República dinheiro para financiar, este ano, um torneio de golfe para deputados, na Quinta da Marinha, entre 11 e 13 de Julho.
Segundo o jornal a Associação dos ex-deputados do Parlamento (AEDAR) e o Grupo Desportivo receberam à volta de 286 mil euros do orçamento da Assembleia da República nos últimos cinco anos. Só em 2012, a primeira encaixou 42,5 mil euros vindos do Estado e a segunda outros 15,2 mil euros.
Um montante que se destina também a custear o gabinete que a associação possui na assembleia, com uma funcionária a tempo inteiro e um técnico de contas, para além de apoiar antigos deputados com reformas baixas.

Contrariamente a muitos que defendem a diminuição do número de deputados eu prefiro que se lhes reduzam as mordomias. Olhe-se para o exemplo da Suécia em que os deputados vindos de fora da capital vivem em pequenos apartamentos com cozinha e sala de lavagem comuns onde cada um faz a sua comida e lava a sua roupa. Não Têm empregada, assim como o Primeiro Ministro, nem assessores ou secretárias. Afinal o deputado devia ser visto como alguém que ser o país e não como alguém que se serve dele. Temos de procurar uma nova forma de democracia mais verdadeira e participativa e modificar tanto na forma como são escolhidos como na forma como representam e são avaliados pelos seus eleitores. Aquilo que temos é uma vergonha que faz da democracia que temos uma palhaçada.

10
Jan
12

Na Loja dos Aventais

Segundo parece, 90% dos deputados dos três maiores partidos de alterne da nossa democracia, incluindo os três lideres parlamentares pertencem à Maçonaria. Pela amostra, se lhe somarmos os que andam pela justiça, pelas autarquias, pelas empresas, pelos bancos, pela comunicação social, pelas policias pelas secretas e sei lá mais onde não nos custa acreditar que sejam homens de aventalinho quem realmente governem este país. Se o utilizassem só para trocar receitas, assar umas febras e falar de futebol não ficava muito preocupado mas quando vejo tantos “compadres” juntos vêm-me logo à cabeça a palavra compadrio que a realidade não cessa de demonstrar. Assim, nunca se sabe o que vão comprar quando entram na Loja, tanto pode ser um taxo como um perdão ou até uma caixa de robalos. A estas Lojas não vai a ASAE.
08
Nov
11

As zurradas do Zorrinho

O líder parlamentar do PS, Carlos Zorrinho, garantiu sobre a abstenção socialista ao Orçamento do Estado que «Este não é o nosso orçamento. O nosso voto significa que o PSD e o CDS-PP não têm desculpa e têm todas as condições para aplicar o seu orçamento, que é um mau orçamento».

Esta gente só pode estar a gozar connosco. Em primeiro lugar porque votarem a favor, contra ou absterem-se na votação do Orçamento em nada muda a sua aprovação já garantida pela maioria parlamentar no poder, depois porque se consideram que é um mau Orçamento tinham a obrigação de votar contra. Esta zurrada do Zorrinho não engana ninguém e se vão abster-se assumam a a-besta-são que é o seu voto. O PSD e o CDS não têm desculpa, mas o PS ao vir armado em amiguinho propor que só cortem um subsidio, em vez dos dois, aceitando a ilegalidade da medida e caucionando a sua anti-constitucionalidade, também não a terá. Somos governados por gente sem escrúpulos, mentirosa e sem qualquer consideração pelos cidadãos e infelizmente na oposição não se encontra gente melhor. Vão Zurrar para outro lado.

01
Nov
11

O pecado da palavra

O vice-presidente da bancada parlamentar do PS, Fernando Jesus, acusou hoje de irresponsabilidade e deslealdade as vozes que propugnam um voto do partido contra o Orçamento de Estado para 2012.Fernando Jesus afirmou textualmente que “os responsáveis do partido que têm vindo a público emitir a sua opinião sobre o voto no Orçamento, antes de a Comissão Política do PS reunir e decidir, estão a revelar deslealdade em relação à direcção”. E acrescentou que os membros do grupo que propõe um voto contra o Orçamento “revelam também irresponsabilidade nos actos que praticam”.

Há muito que critico aquilo a que teimam em chamar de democracia mas que não passa de uma outra forma de manutenção do poder de alguns e de regalias de outros. Controlando os meios de comunicação social, fazendo as leis e “premiando” quem mantenha as aparências de alternativas foi fácil criar um sistema em que se garante uma politica de alterne que nos convence, de quatro em quatro anos,  que temos opções de correr com quem nos mentiu e lixou para lá colocarmos outro que nos vai também mentir e lixar.
Mas isso é na politica mais generalista, porque quando chegamos aos partidos, ai nem a voz é livre. As direcções impõem a sua lei da rolha e obrigam, até aqueles que foram eleitos nessa falta democracia, a obedecerem às ordens de uma liderança, por mais patética e inconsequente que ela seja.
Este orçamento é um caso daqueles que envergonha todos os que foram eleitos sob a bandeira de um partido, que mesmo não o sendo, se chama de socialista. Um orçamento que viola a Constituição, que condena um povo à pobreza e à miséria e que em muito ultrapassa as próprias exigências internacionais para garantir a ajuda externa e o cumprimento do acordo feito com a Troika não devia necessitar de qualquer discussão e obrigatoriamente ser chumbado. Não o fazer  e ainda criticar aqueles que o defendam é a demonstração de que a democracia não passa de uma palavra sem sentido na boca desta gente.




Indignados Lisboa
Novembro 2019
S T Q Q S S D
« Jun    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Blog Stats

  • 713.924 hits


%d bloggers like this: