Posts Tagged ‘Jean-Claude Trichet

22
Jul
11

O tempo não tem andado nada bom

Um verão para esquecer
09
Abr
11

FEEF, HOTEL & SPA

07
Abr
11

Portugal ajoelha frente à União Europeia. Vem aí o FMI

 

26
Mar
11

A vergonha continua

Ainda o governo não foi demitido e já o Passos Coelho foi ao beija mão da Frau Merkel e anuncia e defende aquilo que ainda ontem criticava; o aumento de impostos, com o IVA a poder subir para 24 ou 25 por cento. Só falta saber se, mal seja governo, (se o chegar a ser), vão chamar  às suas medidas de austeridade PEC 5 ou PEC 1 DS (depois de Sócrates). Mudam-se as moscas, mas não se muda o que cheira mal.
15
Jan
11

A Banca ligada à máquina

A Banca portuguesa ligada à máquina. Bancos completamente endividados.
In “Primeiro de Janeiro”

Segundo parece já devem mais de 40 mil milhões de Euros e eu que não entendo nada de economia espanto-me com a forma de funcionamento do sistema. A Banca pede emprestado lá fora para poder emprestar a quem lhe pede emprestado cá dentro, mas em contrapartida acaba por receber o que emprestou com o lucro dos juros, sempre bem superiores aos juros que terão de pagar a quem lhes emprestou o dinheiro. Se a Banca continua a necessitar de pedir sempre mais e  mais dinheiro lá fora, então é porque continua a emprestar cada vez mais cá dentro pelo que o lucro deverá ser também cada vez maior. Certamente um bom negócio.
Então como pode estar ligada à máquina e completamente endividada? Só pode haver uma razão, é a de que a Banca não paga a quem lhe emprestou, ficando no ar a velha pergunta; onde está o dinheiro?” No caso do BPN e do BPP sabemos que simplesmente foi roubado, mas nos outros bancos que passam em testes de robustez, apresentam lucros de centenas de milhões, onde está o dinheiro?

PS: Em todo o lado ouço falar da dificuldade em conseguir crédito, mas ainda hoje recebi um telefonema de uma menina a informar-me que o meu Banco tinha para me emprestar 30 mil euros em condições muito boas. Agradeci, mas informei que não recorria ao crédito para consumo e que por isso não estava interessado. Simpática, a senhora agradeceu-me o meu tempo, desejou-me uma boa tarde não sem antes me dizer que se eu mudasse de idéias bastava deslocar-me a um balcão do Banco que teria lá 30 mil euros à minha disposição. Depois, desliguei.

 

11
Dez
10

O exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda

O Allied Irish Bank, um dos bancos resgatados pelo Governo irlandês, está a preparar o pagamento de 40 milhões de euros em prémios e bónus.

Mirem-se no exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda
Roubam prós seus capitalistas, orgulho e raça da Europa
Quando deixados, se afundam
Se banham em ouro, chafurdam
Em suas contas
Quando falidos não choram
Se reúnem, pedem, imploram
Mais alguns milhões
Ladrões
Mirem-se no exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda
Roubam prós seus capitalistas, orgulho e raça da Europa
Quando outros enviam, soldados
Eles negoceiam blindados
Milhares de mortos
E quando se sentem sedentos
Querem roubar violentos
Mais alguns milhões
Ladrões
Mirem-se no exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda
Roubam prós seus capitalistas, orgulho e raça da Europa
Quando eles se entopem de lucro
Costumam buscar o usufruto
De outras empresas
Mas no fim da noite, consolados
Quase sempre voltam mais anafados
Mais alguns milhões
Ladrões
Mirem-se no exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda
Roubam prós seus capitalistas, orgulho e raça da Europa
Elas não têm moral ou decência
Nem honestidade nem consciência
Têm ganância apenas
Não têm vergonha, só têm investimentos
O seus lucros, relatórios, aumentos
Mais alguns milhões
Ladrões
Mirem-se no exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda
Roubam prós seus capitalistas, orgulho e raça da Europa
Dos países pobres, lixados
E dos seus povos abandonados
Não fazem caso
Vestem-se de gala, se reúnem
Se apadrinham e se servem
Mais alguns milhões
Ladrões
Mirem-se no exemplo daqueles Banqueiros da Irlanda

Roubam prós seus capitalistas, orgulho e raça da Europa

adaptado da música do Chico Buarque, “As mulheres de Atenas”

11
Maio
10

Os Deuses do nosso fado

Os Deuses não estão mesmo connosco. O nosso grande Abraão das finanças também não.

07
Maio
10

BCE

A elite do Banco Central Europeu veio reunir-se em Lisboa, o Sr. Silva  aproveita para condecorar o Jean-Claude Trichet, sabe-se lá porquê e o amigo da onça do Constâncio para aconselhar que se aproveite a crise para retirar mais uns direitos e apertar ainda mais o cinto aos que menos têm.

20
Abr
10

Trichet

O presidente do Banco Central Europeu (BCE),.Jean Claude Trichet, saudou o PEC português, destacando como exemplo o congelamento de salários da função pública, apelando a Portugal como aos restantes países para que se esforcem no controlo do défice .

10
Mar
10

Lá se vão os aneis que restam

01
Maio
09

O Naufrágio capitalista

trichet-naufragio
O conselho dos 22 governadores do Banco Central Europeu irá decidir na sua próxima reunião de 7 de Maio um corte das suas principais taxas de juro, a adopção de medidas “não convencionais” de apoio à estabilidade dessas condições, mas discute-se ainda se adoptará medidas semelhantes às norte-americanas ou britânicas de injectar dinheiro na economia.
O BCE está preparado para adoptar um conjunto variado de medidas que poderá integrar a injecção financeira na economia e agora debate-se se não haveria interesse de o BCE em poder adquirir títulos de dívida dos Governos ou das entidades privadas, à semelhança do que fez as instituições monetárias nos Estados Unidos e no Reino Unido.
Em declarações feitas ontem, Jean-Claude Trichet veio afirmar que os governadores “estão unidos no propósito” de restaurar a confiança no sistema financeiro global, mas que a ameaça de turbulências nos mercados ainda se mantém possível. “Estamos a navegar em águas desconhecidas e ainda há riscos de uma súbita desencadear de mais turbulências financeiras”.

Mais do mesmo para acabarmos com os resultados que já conhecemos. O dinheiro publico que deveria ser utilizado na defesa do emprego, (não no subsidio de desemprego), vai ser oferecido uma vez mais à banca e ao grande capital. Esta ideia peregrina de “restaurar a confiança no sistema financeiro global”, o principal culpado da crise, sem nada alterar e entregando-lhe os dinheiros públicos, nada vai resolver. Como reconhece o Presidente do Banco Europeu “navegamos em águas desconhecidas”, ou seja não fazem a mínima ideia de onde iremos parar. Isto se não nos acontecer o mais provável que é irmos ao fundo e nos afogarmos todos.
Voltando ao post “Rupturas” que publiquei antes é urgente proibir os despedimentos e fazer a ruptura com a União Europeia para tentarmos ainda levar este barco a bom porto.




Indignados Lisboa
Agosto 2020
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Blog Stats

  • 716.831 hits


%d bloggers like this: