Posts Tagged ‘Rui Pereira

18
Maio
11

Medo de ter medo.

Setúbal (no fim da Manifestação do 1º de Maio), Porto, (Desocupação da Escola da Fontinha) e agora Lisboa (no fim do Festival Académico), são três casos em quinze dias em que a Policia é acusada de excesso de violência e até de provocadora dessa mesma violência. Em todas estas ocasiões a desculpa é sempre a da manutenção da ordem pública, Em Setúbal o argumento foi a de queixas de barulho….às quatro da tarde numa manifestação, no Porto a desocupação de uma escola onde se tinha criado um centro Cultural e com agrado dos habitantes da zona e agora em Lisboa, por alguém ter atirado uma garrafa, indiscriminadamente, levaram todos os que estavam presentes.
Quem está com medo? Quem lança violentos avisos sobre quem pense questionar o sistema. Os blindados que não chegaram a tempo para a Cimeira da Nato, já chegaram e já estão operacionais. A resposta violenta está garantida. Transferem o seu medo da contestação e do protesto para os cidadãos. Quando o poder começa a temer os seu próprio povo a ditadura ganha terreno. Cabe-nos a nós protestar ainda mais e sobretudo não aceitar o medo. Só devemos temer ter medo.
04
Maio
11

Violência e parvoices perigosas


Podia vir aqui falar da Manifestação que se realizou em Setúbal no 1º de Maio e que terminou violentamente devido a uma despropositada carga policial. Posso afirma-lo porque estive lá, não assisti a nenhuma desordem ou desacato, e acabei por ser atingido por uma bala de borracha no pescoço ainda antes de me ter dado conta de que existiam problemas. Mas, não vou contar aqui a minha versão nem a da policia porque certamente alguns preferirão acreditar no lado em que se sentem mais à vontade. Não posso no entanto, deixar de referir uma passagem do comunicado da PSP que me parece demonstrativo da falta de todo o bom senso. O comunicado da PSP refere que o mesmo indivíduo, de 49 anos,(que foi atingido nos joelhos por tiros de shotgun e preso) também foi identificado no passado dia 25 de Abril, em Lisboa, quando tentava integrar a manifestação oficial sem conhecimento prévio do Governo Civil de Lisboa.
Referenciado porque tentava integrar a manifestação “oficial” do 25 de Abril? Conhecimento prévio ao Governo Civil para integrar uma manifestação? Que raio de livros de lei anda a ler a nossa policia? Pode qualquer cidadão ficar referenciado por participar no 25 de Abril? Voltamos ao tempo da PIDE?
Já agora mais um bocadinho da noticia. De acordo com a PSP, alguns manifestantes, gritavam palavras de ordem «Setúbal é nossa, Sonae fora daqui», «Partidos não, país em auto gestão».
É proibido falar de auto gestão? É proibido alguém dizer em voz alta aquilo em que acredita e que defende? Não podem existir opiniões diferentes em relação à forma como está organizada a sociedade? É isso um crime que justifique transformar Setúbal numa zona de guerra com tiros e violência?


18
Fev
11

Perderam-se 60 mil votos. Alvisseras a quem os encontrar

O mapa oficial dos resultados das eleições presidenciais de 23 de Janeiro, publicado ontem em Diário da República, refere um total de 4 431 849 votantes, menos 60 448 do que o inicialmente anunciado, 4 492 297.

Depois dos milhares que não puderam votar devido à trapalhada do cartão único sabemos agora que se perderam 60 mil votos. O Ministro Rui Pereira, que já se devia ter demitido no próprio dia das eleições presidenciais, melhor já se devia ter demitido muito antes e muitas vezes tantas têm sido as trapalhadas  porque passou o seu reinado como Ministro da Administração Interna, nem agora mostra vontade de resignar ao cargo. O Jorge Coelho demitiu-se só pela tragédia da Ponte de Entre-os-Rios e este agarra-se ao lugar como uma lapa. Todos querem que se demita, da direita mais extrema  à mais extrema esquerda. Faça-lhes a vontade a eles e a nós também.

27
Jan
11

Desculpem lá qualquer coisinha

 

Rui Pereira, o Ministro da Administração Interna veio pedir desculpa pela barracada que foram, nas eleições presidenciais, com milhares de eleitores com o novo cartão de cidadão a não saberem  qual o seu número de eleitor. Na época da tecnologia e da comunicação instantânea tiveram a lata de afirmar que o sistema colapsou por uma anormal volume de solicitações. Então não era normal e esperado que isso acontecesse em dia de eleições? Muitas pessoas não conseguiram votar e bem mais grave ainda seria se os resultados estivessem sido mais renhidos.
Este ministro já mostrou que não possui as qualidades exigidas para o cargo que ocupa. Demita-se, ou melhor demitam-no que ele merece. Ou melhor ainda demitam-se todos.
20
Jan
11

Dói mais quando o alvo somos nós

Dois sindicalistas foram hoje detidos pela polícia no final de uma concentração dos sindicatos da Administração Pública, junto à residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa. As forças de segurança e os sindicalistas chegaram mesmo a envolver-se em confrontos. A PSP diz que os dois detidos desrespeitaram a ordem para não ultrapassar um cordão policial que estava pré-definido.

PCP e BE acusaram na Assembleia da Republica a PSP de “abuso de poder” e “acção desproporcionada” nos confrontos de terça-feira com dirigentes sindicais após uma manifestação à porta da residência oficial do primeiro-ministro.

Basta ouvir no discurso dos nossos políticos a preocupação que mostram com aquilo a que chamam, de “aumento da contestação social “, provocada pelas medidas de austeridade, para se poder pensar que estas atitudes da policia podem ser já a resposta mais musculada para a travar. Os  partidos mais à esquerda mostram, e bem, a sua indignação, mas não posso deixar de lhes lembrar que, quando da Cimeira da NATO em Lisboa nada disseram sobre a “violência” praticada pela policia sobre alguns manifestantes não subordinados às orientações do PCP. (Antes pelo contrário, foi a própria organização da CGTP quem solicitou à policia essa mesma “violência” sobre manifestantes pacíficos). Esquecem que, quando aceitam a violência contra os outros, os que não se regem pela sua cartilha, acabam por a legitimar e a abrir o caminho para serem eles os próprios a receber o mesmo tratamento. A defesa dos direitos e das liberdades têm de ser feitas para todos e não só para alguns.
quanto a este ministro, há muito que devia ter sido “saneado”. Não presta.

19
Jan
11

O grande olho do…Tio Sam

Rui Pereira garante que o acordo que Portugal assinou com os EUA para a cedência de dados pessoais dos cidadãos portugueses não viola nenhuma norma da Constituição Portuguesa.

Pois eu digo que se não viola devia violar porque não entendo a razão, mesmo com a desculpa do terrorismo, dos dados pessoais de um cidadão que nunca praticou actos ilegais, que não anda para aí a pôr bombas e que está descansado em sua casa, podem ser oferecidos a uma potência estrangeira. Porque toda esta subserviência a gente que já mostrou não ser de confiança, gente que já mandou assassinar Presidentes e outros cidadãos de países independentes, gente que já invadiu países soberanos sem qualquer legitimaidade para o fazer, gente que já bombardeou populações inocentes, gente que pratica a tortura e mantêm uma prisão totalmente inaceitavel em Guantanamo. Porque tenho eu de dar a esta gente os dados dos portugueses? Se não é inconstitucional devia ser.

04
Jan
11

Quanto vale a liberdade de um homem?

Em nome da luta contra o terrorismo, os Estados Unidos querem ter acesso a dados biográficos e biométricos dos portugueses que constam no Arquivo de Identificação Civil e Criminal.
O FBI pretende ainda aceder à base de dados de ADN de Portugal para receber o registo criminal de cidadãos condenados, estando estes dados sob a responsabilidade do Instituto de Medicina Legal.
O acordo com o governo já está a ser feito e falta apenas ser ratificado na Assembleia da República. Contudo, este mês vai ser emitido um parecer da Comissão Nacional de Protecção de Dados que alerta para os problemas que constam no texto do acordo bilateral.
Fonte da Secretaria de Estado das Comunidades disse àquele jornal que se trata “de um processo que visa a luta contra o terrorismo e já foram feitos vários acordos entre os EUA e vários países europeus. Alguns através da Comissão Europeia”.
Ainda durante a Cimeira da Nato, em Lisboa, o acordo voltou a ser abordado e o ministro da Administração Interna manifestou “a vontade firme de tornar a cooperação entre os dois países mais firme e profícua no futuro”.
em I

Isto é inadmissível? Vamos deixar calados e mudos? Somos nós, a nossa liberdade, os nossos direitos, a nossa segurança que está a oferecida. Esta corja que nos governa entrega os cidadãos do seu país  a um país estrangeiro. (Não esqueçamos que é um país que  tem no seu quintal um Guantanamo.) Se isto não é trair a constituição e a própria alma de um país o que poderá ser?
Vamos todos dizer não e já!

16
Dez
10

Oh tempo volta pra trás…

O ministro da Administração Interna, Rui Pereira,  revelou que o Estado português irá rejeitar os blindados que sejam entregues fora de prazo e vai accionar as cláusulas penais (as indemnizações) em caso de incumprimento do contrato.
Dos contrato de aquisição das seis viaturas blindadas para garantir a segurança durante cimeira da NATO, que decorreu a 19 e 20 de Novembro, em Lisboa, só duas foram já recebidas. Quanto à escolha de adquirir o material através de ajuste directo (por consulta e não por concurso público) foi justificada com a natureza do equipamento, com a necessidade de trabalhar com empresas certificadas e com a “urgência” da aquisição.

Alguém devia oferecer um calendário ao Sr. Ministro, porque se as viaturas blindadas tinham sido compradas para a cimeira da NATO e a primeira só chegou no dia 21 de Novembro e ainda faltam chegar mais quatro, então nenhuma chegou dentro do prazo. Ou o Ministro tem o relógio a andar para trás, tem uma máquina do tempo no seu gabinete ou então a história do material ser para a cimeira da NATO está muito mal contada.

22
Nov
10

A ostentação da força contra a força da paz

Agora que os Senhores da Guerra se foram embora Lisboa pode regressar à sua normalidade. Lisboa foi uma cidade sitiada com ruas e bairros bloqueados. Gastaram-se muitos milhões para se poder tirar fotografias de líderes mundiais a assinar acordos há muito discutidos e decididos. (Ninguém pode acreditar que uma Cimeira EUA-Russia dure 20 minutos e daí tenham saído todas as resoluções anunciadas). Retirou-se a liberdade aos cidadãos que foram tratados como criminosos, fecharam-se fronteiras e impediu-se a entrada a gente por razões ridículas como o trazerem uma fotocópia de um manifestos contra a NATO, ou T-shirts ou até um manifesto em defesa da escola pública. Fechou-se o espaço aéreo, até partes do Rio Tejo. Ridículo e triste. Vendeu-se o medo na forma de black-bloques, mostrando imagens de violência e notícias alarmistas como a da presença,  já no interior de Portugal, de milhares desses elementos.
De todas estas fantasias o que resultou? Nada para além de uma despesa “milhãonária”.
Black-bloques não se viram, violência não houve, na manifestação trataram-se como animais jovens e idosos (ia lá uma fantástica senhora irlandesa de 83 anos com uma bandeira da paz), gente a quem apelidaram de anarquistas como se isso fosse crime ou pecado. Gente que desceu a Avenida, cercada por 3 polícias, fortemente armados, para cada manifestante (como afirmou o chefe da Unidade Especial). Ao som dos tambores dos Ritmos de Resistência, uns jovens simpáticos e bem dispostos, os poucos problemas que podiam ter acontecido deveram-se exactamente à megalómana ostentação de força e à forma como trataram como animais enjaulados gente que se manifestava civicamente e que em momento nenhum praticou ou mostrou querer praticar actos violentos. Foi para mim um prazer, uma satisfação e uma honra estar nesse grupo junto com essa gente.

18
Nov
10

NATO – Senhores da guerra e do medo

Lucas Wirl tem 29 anos, prepara um doutoramento em sociologia, é alemão, pertence ao INES e foi impedido de entrar em Portugal no aeroporto de Lisboa, a meio da tarde de dia 17. Foi acusado de prejudicar a segurança nacional pois trazia consigo programas da Contra-Cimeira que vai ocorrer em 19/21 próximos, organizada pela PAGAN e pela coligação “No to War, No to Nato” e um documento onde se referia o anúncio de uma acção de desobediência civil no Rossio, para dia 18, às 16 h – uma acção de treino de desobediência civil entre activistas anti-NATO. (Este activista estava indicado como moderador de um painel sobre “Acções para a Paz” na Contra-Cimeira na sexta-feira, dia 19).

Inicialmente, o inspector-adjunto Rui Melro informou a advogada da PAGAN que a entrada de Lucas estava dependente de uma informação da embaixada alemã; porém, acabou por ser forçado a embarcar num avião de volta a Paris, de onde viera.

Se a posse de programas da Contra-Cimeira, evento que vem sendo anunciado há meses, que foi enviado à comunicação social e amplamente distribuído aos portugueses prejudica a segurança nacional, deverá então estar a ser preparada a prisão de todos os detentores desse programa?
Mais um acto de arbitrariedade policial levado a cabo por agentes desenquadrados?
Ou uma acção devidamente coordenada pelo governo?
Uma forma de dar sinais de intolerância e de actuação repressiva quando a crise social não para de se agravar e quando está eminente uma greve geral?
Acção de continuidade das tentativas de criminalização da PAGAN e dos seus amigos estrangeiros anti-guerra e anti-NATO, a que temos vindo a assistir nas últimas semanas?

Aproveito para convidar, em nome da PAGAN, todos a estarem presentes na Contra-Cimeira, já nesta 6ªfeira dia 19 no Liceu Camões a partir das 10 horas. Ali falaremos de paz e de como a alcançar enquanto no Parque das Nações os Senhores da Guerra vão exaltar a morte e a destruição. (Programa completo da Contra-cimeira pode ser consultado “AQUI” 

Se amas a paz, APARECE que todos juntos não somos muitos para acabar com a guerra.

18
Nov
10

Os nossos 007’s estão sem chefe

Inconformado com os cortes orçamentais anunciados para 2011, o director do Serviço de Informações Estratégicas da Defesa, Jorge Silva Carvalho, o chefe dos nossos espiões no estrangeiro, bateu com a porta.

12
Nov
10

A violência da mentira

Já todos ouvimos falar da próxima Cimeira da NATO que vai decorrer em Lisboa nos próximos dias 19 e 20. Eu já por diversas vezes critiquei as politicas e a própria existência da NATO que, em vez de servir para promover a paz, é neste momento o braço armado do capitalismo ocidental para defender impor e conquistar recursos naturais e rotas comerciais. Para isso não hesitam em fazer terrorismo de estado e a guerra, mesmo que nela morram milhares de inocentes sejam eles mulheres ou crianças. Danos colaterais, como gostam de dizer.
Para contestar essa cimeira surgiram em Portugal duas plataformas diferentes, a “Paz Sim, NATO Não”, ligada ao PCP e a PAGAN, “Plataforma anti-Guerra, anti-NATO”, composta por indivíduos e sem quaisquer ligações partidárias. Tendo participado na criação da PAGAN e da sua filosofia, anti-guerra e não violenta, cedo contactámos a outra Plataforma para tentarmos coordenar trabalho e procurar a cooperação na luta que era comum. Em vão, a nossa colaboração foi recusada e foi-nos dito que era cada um por si. Sabendo da maior experiência e de meios para fazer mobilizações ficou decidido que a Plataforma “Paz sim, NATO Não” organizaria uma manifestação na qual participaria a PAGAN que por seu lado organizaria uma Contra-cimeira em cooperação com outras organizações Internacionais integrantes do movimento “No to War, no to NATO”.
Com a aproximação da data e de em Lisboa irem estar o Obama e outros lideres mundiais, os média começaram a lançar a ideia que a cidade ia ficar a ferro e fogo, com policia de um lado e os black-block, do outros grupos violentos do outro. Rapidamente venderam esta ideia, com informações sobre a segurança esperada e a violência que estava a ser preparada. O cenário estava lançado.
Estranhamente, e não sei por acção de quem, (e se suspeito não quero dizer), algumas noticias dos jornais começaram a ligar a PAGAN ao elementos mais violentos. Mesmo estando há muito dito e escrito nas bases da fundação da plataforma a sua natureza não violenta e não havendo um único caso de violência que possa ser atribuído ou associado à PAGAN, essa ideia começou a ser “vendida” pelos média. Cedo protestámos com alguns órgãos de informação por notícias incorrectas e cheias de “veneno”, exigindo o direito de resposta que nunca nos foi concedido. Infelizmente é assim funciona a informação em Portugal sempre ao serviço de interesses partidários, económicos e políticos.
A cereja em cima do bolo veio quando um elemento da outra plataforma veio dizer na RR que “já tinha proibido a PAGAN de participar na manifestação” de dia 20.  Honestamente não sei se vai ou não vai haver violência em Lisboa durante a Cimeira da NATO, se a acontecer essa violência  vai ser obra de Black-blocks, da policia ou de outro qualquer grupo, o que sei é que não serão aqueles que se juntaram  na PAGAN que a irão incentivar ou realizar. Vamos promover a Contra-cimeira nos dia 19, 20 e 21 e vamos participar na manifestação com o direito que nos dá sermos cidadãos deste país. Outros podem dizer que são contra a NATO por interesses politico e partidários mas a PAGAN é contra por convicção. Não somos certamente os vilões da história mas também não somos os seus policias. Pelos vistos há outros que não se importam de o ser.
02
Out
10

Cimeira da Nato em Lisboa

A PSP gastou 5 milhões de euros a comprar blindados e material de segurança para a Cimeira da NATO que se vai realizar em Lisboa. (A GNR dissse que tinha esse material e podia emprestar, mas a PSP disse que não era mesmo, mesmo igual ao que eles queriam). Para os “Senhores da Guerra” nunca falta o dinheiro, mesmo quando não o há para mais nada. Vão fechar o Tejo, o espaço aéreo, o transito e a normal circulação dos cidadões. Afinal vai cá estar a fina flor dos mais poderosos assassinos do planeta.

26
Ago
10

Insónias e pesadelos em Agosto

Aproxima-se o fim do mês de Agosto e com isso o fim do mês que é o maior pesadelo de todos os Ministros da Administração Interna. Inveja de todos os outros ministros que se espraiam pelas praias do Algarve, as férias dos outros a obrigar os jornais e televisões a recorrerem a noticias de crime e/ou de fogos florestais e/ou de acidentes rodoviários. Hoje intoxicado pelo fumo e pelo calor a visitar um incêndio, amanhã sob a chuva e nevoeiro da noite para estar num local de acidente, lá tem o Ministro de aparecer em todo o lado. Não ajuda em nada, (acredito que até atrapalhe com a comitiva de jornalistas que leva sempre atrás), mas tem sempre de lá estar. Ser-se ministro já deve ser mau, ser-se ministro da Administração Interna em Agosto ainda pior.

06
Jul
10

Os Assaltantes da Linha de Cascais

Verão. Época de medo e problemas para todos os Ministros da Administração Interna. Os políticos vão de férias, as instituições fechadas e os noticiários ficam sem noticias para dar. Uma hora de telejornais e muitas páginas de jornal a necessitarem de assunto. Havendo falta de melhor lá saltam para as primeiras páginas os assaltos e os fogos. Ainda estamos no inicio de Julho e já a Linha de Cascais parece mais perigosa que as favelas do Rio de Janeiro. Depois, claro que se cai no ridículo de ver o Portas a chamar o Ministro à Assembleia porque houve problemas num comboio ou o António Capucho a vir reclamar na comunicação social mais policiamento quando sabe bem que Cascais é das zonas mais protegidas, não fosse lá a Quinta da Marinha, e que esses pedido podia ser feito directamente ao Ministro com um simples telefonema. Isto, para não dizer que quem agora pede mais segurança são os mesmos que na assembleia reclamam da existência de um estado gastador. Se há razão para reclamar, e há, é que não coloquem a policia mais ao serviço dos cidadãos do que a controla-los . Há alturas em que até parece que voltámos ao antigamente e basta juntar-se quatro ou cinco pessoas a protestar contra uma coisa qualquer para logo aparecer a policia para os identificar e mandar embora.




Indignados Lisboa
Setembro 2020
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Blog Stats

  • 717.025 hits


%d bloggers like this: