Archive for the 'Educação' Category

12
Set
13

Se nos tiram a educação, vamos ser mal educados

nuno crato aldrabao

Hoje começaram as aulas para milhares de crianças. O ministério diz que está tudo bem e tudo preparado. Eu não sei, mas ouvi dizer que há turmas com 36 alunos, muito acima do máximo permitido mesmo depois do aumento imposto por este canalha e que como ainda não existem professores contratados há muitas turmas que não vão ter aulas.

No meio de tudo isto o aldrabão foi com o mentiroso do seu chefinho inaugurar duas escolas que já tinham sido inauguradas e estavam a funcionar há mais de uma ano. É que é mês de eleições e como estes bandalhos não fizeram mais nada pelas escolas que cortar em professores, auxiliares e condições de trabalho vão inaugurar as escolas que outros mandaram construir antes deles. Mas, desta gente não se pode esperar mais.

Se isto te revolta, se te sentes insultado como ser humano ao ver este governo destruir a saúde e a escola pública, a cortar nas reformas dos que já vivem com dificuldades estremas, a atirar milhões para o desemprego, para a pobreza e para a miséria enquanto eles, os seus amigos e os mercados engordam que nem porcos participa na concentração de dia 15 de Setembro, já no próximo domingo, na Praça de Espanha pelas 16H30. Vamos dizer não e vamos mudar isto. Vai e leva outro amigo também. Vozes ao alto .

https://www.facebook.com/events/427285414049425/

10
Set
13

“Cheque” mate ao ensino público

nuno crato paulo portas cheque ensino

O Paulo Portas veio informar-nos da intenção do governo de avançar com o cheque de ensino baseado na falácia de cada um poder escolher em que escola quer que o seu filho ande. Já aqui falei disso mais que uma vez e há vários anos. Isto não passa de uma forma de favorecer os que têm mais dinheiro ajudando a pagar o colégio onde já andam os seus filho e de preparar o terreno para o fim da escola pública. Falácia porque nenhum dos colégios particulares para gente rica alguma vez aceitará receber gente da Cova da Moura. Falácia porque assim irá fomentar o aparecimento de escolas particulares “low cost”, com más condições, professores mal pagos e ensino deficiente para abocanharem os ditos cheques. Em contrapartida as escolas públicas vão definhar e baixar ainda mais de qualidade para não fazerem sombra ao novo negócio do ensino. Com o tempo, o valor dos cheques irá diminuir e só alguns passarão a recebe-lo parque o Estado não vai ter dinheiro e assim acabam com a Escola Pública gratuita para todos.

Que este governo quer acabar com o Estado Social, com o ensino gratuito, a saúde e segurança social. Isso foi notório recentemente quando mandam cortar nas despesas da escola pública e aumentam a comparticipação por estudante nas privadas. Isso é notório quando preferem que o estado pague a hospitais privados os tratamentos enquanto fecha urgências, centros de saúde e hospitais. É notório quando prefere subsidiar as instituições  de apoio social e lares privados em vez de construir e gerir os seus.

Os meus filhos sempre frequentaram a escola pública, não só por uma questão de dinheiro, mas sobretudo porque é ai que encontram a vida real, se cruzam com outras condições, e outras vivências fazendo deles gente mais rica e mais apta a viver o dia a dia. Que melhor forma de combater o racismo e a xenofobia que proporcionando aos nossos filhos o viverem, brincarem e estudarem lado a lado com outras etnias e outras culturas. Se há dinheiro dos meus impostos que não me importo de pagar é aquele que vai para permitir a saúde, a educação públicas, universal gratuita. Isto é algo de que nos devemos orgulhar, mas que alguns pretendem destruir só em nome do lucro de alguns.

07
Set
13

O Lobo Xavier e os porquinhos mealheiros

lobo xavier paulo portas cavaco silva brinde divida

O polvo Lobo Xavier que anda metido em tudo e em todo o lado, aquela coisa parda que aparece no fundo de qualquer cerimónia ou jantar a segredar ao ouvido de alguém, quando confrontado com o atraso civilizacional que esta politica condena Portugal, destruindo a saúde, a educação e até o respeito e dignidade do ser humano veio defender que há dividas prioritárias e que a divida soberana se sobrepõe a tudo e a todas as outras. Morra-se de fome, de doença, não se paguem as pensões, ordenados, não se cumpram acordos, vale tudo desde que paguemos aos usurários, aos mercados e os que com a sua ganância nos condenam à miséria. Claro que ele faz parte de administrações, de concelhos de gerências, representa interesses poderosos e por isso só defende os seus donos, os que o engordam, mas que em nome do vil metal se esteja cagando para o seu povo, o seu país, a existência das pessoas como seres humanos. e triste. Ainda por cima é um ser seboso. Nojo.

18
Ago
13

Um erro…Crato

nuno crato hey teacher leave them teachers alone

Não sou professor mas sempre fui defensor de uma escola pública de qualidade que estes bandalhos andam tão diligentemente a destruir. Podia dar aqui as minhas razões e questionar as politicas seguidas, mas há certamente gente com mais saber e capacidades que eu para o fazer. Para eles fica o meu pedido que não se calem e não deixem destruir este que é um dos maiores bens que temos e a garantia de um futuro melhor. Ou pelo menos que tudo façam por isso.

21
Jun
13

Mais um para a história da Educação

nuno crato mario nogueira branca de neve e bruxa crato

 Eu agora quando tenho de fazer um boneco do Nuno Crato lembro-me logo da Bruxa em contraponto ao Nogueira que desde que assinou o memorando com a Bruxa Maria de Lurdes Rodrigues me lembra sempre a Branca de Neve e a famosa dentada na maça. Ontem acabei por fazer este boneco mas depois pareceu-me que não era o mais adequado ao texto e substituiu por outro. Para agora devia ter feito algo diferente mas não tive tempo e por isso resolvi publicá-lo. Afinal, de uma maneira ou de outra, todos são representativos do actual estado das coisas.

17
Jun
13

Vai-se lixar… ou melhor vai-te F****

nuno crato um tiro no escuro

12
Jun
13

Crato, a Bruxa Má

nuno crato vitor gaspar bruxa ma e espelho

Nuno Crato revelou que o Ministério vai recorrer de decisão do colégio arbitral nomeado para decidir sobre a determinação de serviços mínimos na greve dos professores do dia 17 de Junho. O colégio, formado por três pessoas, considerou que a greve de professores, pese embora coincidente com o 1º dia de exames finais nacionais do ensino secundário, “não afecta de modo grave e irremediável o direito ao ensino na sua vertente de realização dos exames finais nacionais, não se estando por isso perante a violação de uma necessidade social impreterível”.

A esta hora o Ministro já deve estar a clamar por vingança e o “espelho” já lhe deve ter dado as suas ordens. Da última vez, quando a bruxa era a Sinistra Ministra Maria de Lurdes Rodrigues, o Mário Nogueira acabou por trincar a maça envenenada que lhe ofereceram. Esperemos que tenha aprendido a lição e que não vacile. Como pai de alunos que têm exame este ano aqui dou todo o meu apoio à luta dos professores, não só em nome da Escola Pública mas de todo o estado social que esta cambada quer destruir.

07
Jun
13

Vamos todos dar-lhes uma lição

mario nogueira de volta a luta

Ao fim de todos estes anos de ressaca é bom ver os professores de novo a lutarem pelos seus direitos e em defesa da escola pública. Não sou professor, mas como pai de alunos que vão ser afectados pela greve quero aqui deixar o meu apoio e a minha solidariedade nessa luta, que como deviam ser todas, é de todos nós.

greve profs

O meu único conselho que lhes posso dar é que se unam e não vacilem, nem contra este governo e este sistema, nem na vigilância junto dos sindicatos para que não se repita o que aconteceu no tempo da Bruxa Maria de Lurdes Rodrigues. Não deixem que os sindicatos assinem memorandos de entendimento com o poder sem antes haver uma consulta aos professores e estejam atentos às condições propostas. Não voltem a morder maças envenenadas que vos sejam oferecidas e coloquem a vossa luta ao serviço de todos e de uma luta global. Lembrem-se de tudo o que perderam com a vitória que conseguiram nas ruas e nas escolas. Todos juntos podemos vencer.

13
Jan
13

Os professores voltam à rua

mario nogueira nuno crato manif 26 janeiro 2013

Tenho assistido nos últimos tempos à convocação de uma manifestação Nacional de Professores para o próximo dia 26 de Janeiro. Finalmente os professores parecem reagir a todos os assaltos a que eles e a escola pública tem sido sujeitos, depois de anos em que pareciam ter desaparecido da luta politica. Voltando um pouco atrás, ou bastante atrás, lembro-me de quando os professores encheram as ruas de Lisboa em enormes manifestações em luta contra a famosa avaliação e a Sinistra Ministra Maria de Lurdes Rodrigues. Também a história deste blog está ligada a essa luta que sempre apoiou, não por eu ser professor, mas por ser pai e defensor de uma escola pública de qualidade. Foi uma luta em que finalmente se viu uma classe unida e se vislumbrou uma vitória para os trabalhadores, uma luta em que a Ministra foi encostada à  parede e ia cair. Estranhamente, ou talvez não, o Mário Nogueira resolveu morder a maça envenenada que lhe foi estendida pela Bruxa Sinistra assinando um acordo com a Ministra que a salvou e que acabou por levar à divisão, desmobilização e ao fim da luta dos professores. Dai até hoje, a avaliação foi implementada, os horários aumentados, as condições de trabalho piorados e milhares de professores foram para o desemprego. Saúda-se por isso o regresso dos professores à luta em defesa dos seus direitos e do seu trabalho.
Uma vez mais vou estar presente na luta pela defesa da escola pública, assim como estou na defesa do SNS, do estado social ou dos direitos laborais. Defendo mesmo e custa-me a compreender ver classes não se unirem nas lutas, não se compreender que as lutas de uns são as lutas de todos. Essa sim, seria uma grande vitória  e um sinal de esperança para o futuro, ver todos unidos e solidários na defesa dos problemas dos noutros e de cada um.
Mas como disse vou estar presente em defesa da escola pública de qualidade. Só espero é que desta vez os professores assumam a luta e não aceitem que ela seja destruída por acordos de bastidores com o governo. Sou um defensor da existência de sindicatos, a forma de os trabalhadores se organizarem e potenciarem a sua força, mas também acredito que esses sindicatos devam agir de acordo com a vontade dos trabalhadores e não das suas classes dirigentes e de interesses ou agendas políticas. Os sindicatos servem para defender os trabalhadores que deles fazem parte.
Mais uma vez digo que vou estar presente e apelo a todos, professores ou não professores que se juntem e lutem contra as politicas deste governo e por um país mais justo. Razões não faltam, do desemprego à precariedade, da pobreza à destruição da esperança. Juntem-se e esta e a todas as outras lutas porque isto não é um problema só de alguns mas de todo um país. Juntem-se, lutem e tenham a coragem de, após cada vitória conseguida, assumir nas vossas mãos o futuro.

01
Dez
12

Até as paredes nos observavam

cavaco silva passos coelho quadros escola fascismo

Ontem quando escrevi aqui sobre a vontade do Passos Coelho em colocar propinas no secundário, destruindo aquilo a que hoje chamamos de Escola Pública, o boneco que tinha feito para acompanhar o texto era este que hoje estou a publicar. Embora represente a velha Escola do tempo do Estado Novo, em que em todas as paredes de sala de aula havia uma fotografia do Primeiro-ministro, outra do Presidente da Republica a ladearem um crucifixo, preferi fazer uma outra que então publiquei, mas como tanta gente parecia desconhecer a intenção dos gatunos que nos governam pareceu-me que era bom voltar a referir o assunto. Não podemos deixar que destruam tudo o que Abril conquistou. Comparar o Portugal do tempo do velho Botas com aquele que se construiu é algo quase impossível, tantas foram as coisas feitas. Saneamento básico e electividade em todo o país, um serviço Nacional de Saúde de que nos podíamos orgulhar, direitos no trabalho e direitos sociais bem como uma Escola pública para acabar com o analfabetismo reinante. Tudo esta gente está a destruir e o país que ganhou cor no dia 25 está de novo a ficar cinzento e triste. Está em cada um de nós a possibilidade de revertermos tudo isto e reconquistar o que nos estão a roubar.

PS: Não imaginam o prazer que foi enfrentar o continuo da escola que não queria deixar retirar os quadros da parede no dia 26 de Abril, só suplantado pelo retirá-los mesmo.

29
Nov
12

Queres aprender? Paga

O Primeiro-ministro, Passos Coelho não trouxe boas notícias para o sector educativo, . O governante considera que há margem de manobra para se mexer na área educativa, admitindo que a gratuitidade poderá ter os dias contados. Passos Coelho recorreu-se da Constituição para lembrar que o documento “não trava mudanças no financiamento do sistema educativo que pode assim passar a ser semi-público com a introdução de co-pagamentos nos níveis de ensino que hoje são gratuitos”. Em seu entender, a Constituição permite, na área da educação, avançar para um sistema de financiamento “mais repartido entre os cidadãos e a parte fiscal directa que é assegurada pelo Estado”. A introdução de propinas no ensino secundário é agora uma possibilidade.

Para aqueles que gostam de elogiar o Velho Botas Salazar, seria bom lembrarem-se que no tempo do ditados o analfabetismo atingia os 70% e metade dos portugueses não sabiam ler nem escrever. Ainda me lembro de com 10 anos ir visitar a aldeia onde tinha nascido o meu pai e haver senhoras que me pediam se lhes lia as cartas que tinham recebido dos filhos ou netos emigrados e que tinham guardadas por não as saber ler. Eu, um miúdo com a quarta classe escrevia as cartas que me ditavam para poderem depois enviar na volta do correio. A Escola Pública e o ensino obrigatório foram uma das grandes conquistas do 25 de Abril e um passo enorme na qualidade de vida das pessoas. Já era ridículo que tenhamos gasto tanto dinheiro em Escolas e equipamentos para apostar na educação e no aumento das qualificações dos portugueses para chegar uma besta como o Passos Coelho e mandar essa gente toda emigrar, perdendo-se um enorme potencial de desenvolvimento e condenando-se este país a trabalho de baixo custo e precário. Pior agora quando se quer voltar a um passado que já pensávamos nunca ter de reviver. Quem tem dinheiro estuda, quem não tem vai trabalhar. Claro que vai começar lentamente dizendo que só quem tem mais rendimentos vai pagar, mas com o passar do tempo, como tem sempre acontecido, o pagamento será estendido a todos e o custo aumentado. Uma vergonha e a destruição de todo um futuro para este país. Sinto asco destes nossos governantes. Pulhas.

27
Set
12

Mentiroso e Burro

«A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) acusou  o Ministério da Educação de gastar 61 mil euros, por ajuste directo, num parecer jurídico para justificar por que não paga compensações por caducidade de contrato aos docentes.   
Em comunicado, a Fenprof divulgou a folha de rosto do parecer que a tutela solicitou em Março à empresa Sérvulo & Associados e pelo qual pagou 61 mil euros, por ajuste directo, e que o ministro Nuno Crato afirmou desconhecer numa reunião mantida com aquela organização sindical, na sexta-feira passada.    
O ministro terá mesmo dito à delegação da Fenprof que, se a organização conhecesse tal parecer, devia mostrá-lo ao Ministério, argumentando que a tutela tem os seus próprios serviços jurídicos e não precisa de recorrer a pareceres externos.    
A Fenprof acrescenta um ofício, assinado por Nuno Crato, enviado também em Abril ao provedor de Justiça, em que o ministro afirma que, face à recomendação do provedor no sentido de serem pagas as compensações por caducidade de contratos aos professores, pediu “um parecer jurídico a uma conceituada sociedade de advogados sobre o regime aplicável à cessação, por caducidade, de contratos a termo em funções públicas”. » [CM]

Este governo é incompetente em tudo. Nem a mentir é bom. Bem, há uma coisa em que é especialista, em dar negócios a amigos com o dinheiro que nos rouba. Paga aos amigos para não pagar a quem tem direito. Esta corja tem mesmo de ser corrida.

09
Set
12

DEMO c RATO

Foi a minha amiga Margarida AZ quem me chamou a atenção para o nome de Crato poder ser lido como cRATO. Já antes lhe chamava DEMOCRATO por ideia sua  e creio que DEMO cRATO o define muito melhor. Quanto à razão do boneco é para pedir a todos que não deixem que a afirmação deste cRATO, de que estava convencido que os professores não irão contestar os 40 mil despedimentos feitos este ano e os outros que já promete para o futuro, passar sem irem para as ruas contestar e contestar como o fizeram contra a sinistra ministra. Uns porque já perderam o trabalho, outros porque o vão perder, outros por solidariedade com os que o perderam e todos em defesa de uma verdadeira escola pública e democrática. Já chega de resignação, de bovinidade e de falta de solidariedade. É hora de agir, de abanar o sistema e de o derrotar. É disso que depende o nosso futuro. Se os sindicatos não o querem ou sabem fazer que o façam os professores. Eu estarei lá com eles.

02
Set
12

Engolir a laranja envenenada

A lista de professores colocados, ontem conhecida, representa uma redução de 40,5 por cento (menos 7.571 docentes) face à de Agosto do ano passado, segundo contas da Fenprof, que classificou estes números como sendo «de uma violência atroz».
De acordo com o líder da Federação Nacional dos Professores, Mário Nogueira, que falava em conferência de imprensa no Porto, após uma primeira análise dos números, só a renovação de contratos caiu 43,5 por cento (menos 4.471), em relação a 2011. Seguem-se agora colocações via bolsas de recrutamento que, se caírem na mesma proporção, permitem antecipar, na leitura sindical, a exclusão do sistema de 15.000 a 18.000 professores.

Quando a Sinistra Ministra estava no poder a luta contra o processo de avaliação e a destruição da Escola pública foi encabeçada pelo Mário Nogueira que rapidamente se viu ultrapassado pela união dos professores e de muito movimentos que criaram. Por duas vezes Lisboa foi palco de gigantes manifestações que fizeram com que finalmente se sentisse uma réstia de esperança e de acreditar que ainda havia poder na luta das pessoas para fazerem recuar as politicas do então governo de socretinos. Depois de ver os governos atacarem os direitos dos cidadãos e de as lutas sindicais não o conseguirem impedir finalmente se provava que havendo vontade tudo era possível. A Sinistra Ministra estava derrotada. Inesperadamente, ou talvez não, surge a noticia de que o Mário Nogueira tinha assinado com o governo um Memorando de Entendimento, que se minimizava as medidas da Ministra, lhe possibilitava a continuidade de existência bem como das suas politicas. Assim morreu uma luta que estava ganha e se desmobilizou os professores. Hoje, após a chegada deste governo e deste DemoCrato que ocupa o cargo de Ministro os professores sentem na pele o resultado dessa derrota e dessa desmobilização. Os professores que conseguiram colocação não a querem colocar em risco, os que vão para o desemprego estão sós e sem esperança. E agora Mário Nogueira?

23
Ago
12

Ensino Crato-profissional

«Os nossos planos são chegar a 50 por cento ainda este ano, do ensino secundário. Pretendemos que os jovens escolham as suas carreiras e acreditamos que chegar aos 50 por cento na parte da escolaridade obrigatória no ensino profissional é um objectivo que faz sentido para o país», disse Nuno Crato, ministro da Educação, à saída da reunião que os membros do Governo realizaram esta terça-feira com os parceiros sociais.

Nada tenho contra quem seja electricista, canalizador ou cozinheiro, antes pelo contrário respeito-os muito mais que qualquer licenciado com o curso feito com mais equivalências que exames ou que de um ministro incompetente, mas há aqui duas questões que convêm esclarecer. A primeira é como pensa o governo, num toque de mágica, atingir esse número num ano. Vai iniciar campanhas de lavagem cerebral aos alunos do secundário para que essa seja a sua opção? Vai fazer avaliações tão exigentes que metade se vê sem outra possibilidade que optar por essa via?
Já a segunda questão é a de saber qual a aposta de desenvolvimento que se deseja para o país. Até agora todos falavam e foi feita uma clara aposta na qualificação dos nossos jovens, nas novas tecnologias e na inovação. O que parecem desejar agora é criar mão de obra menos qualificada para abastecer um mercado de trabalho de baixos salários. Olhando para as politicas de empobrecimento dos portugueses essa parece ter sido claramente a via escolhida. resta saber se esse é também a escolha dos portugueses.




Indignados Lisboa
Julho 2020
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Blog Stats

  • 716.685 hits


%d bloggers like this: